SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 número4Telemóveis submetidos a ciclos de humidade e temperaturaEnsaios de desempenho para a selecção de esquemas de pintura nas atmosferas de la Paz e Santa Cruz índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Corrosão e Protecção de Materiais

versão impressa ISSN 0870-1164

Corros. Prot. Mater. v.26 n.4 Lisboa out. 2007

 

Estudo da corrosividade de solo contaminado por substâncias químicas através de ensaios de perda de massa e Índice de Steinrath

 

A. Loureiro (1) (*), S. Brasil (1) e L. Yokoyama (1)

 

RESUMO

Este trabalho visa estudar a influência de algumas substâncias químicas na corrosividade do solo sobre o duto de aço-carbono, em condições drásticas tais como isenção de técnica de proteção do metal e alto teor de umidade no meio. Amostras de Latossolo Vermelho-Amarelo (solo de maior representação geográfica no Brasil) foram contaminadas por três substâncias químicas: ácido sulfúrico, amônia e 1,2-dicloroetano. A agressividade total deste solo foi avaliada durante quatro meses a partir de ensaios de perda de massa e medidas do Índice de Steinrath. Não houve total concordância do Índice de Steinrath com os resultados obtidos nos ensaios de perda de massa para este solo, mostrando que nem sempre é possível definir a corrosividade de um solo considerando apenas uma forma de avaliação.

Palavras-chave: Corrosividade do Solo, Dutos Enterrados, Contaminação do Solo

 

Study of the soil corrosivity contaminated by chemical substances through tests of loss of mass and Index of Steinrath

 

ABSTRACT

The present study aims to evaluate the influence of some pollutants on the soil aggressiveness, considering pipelines without protection and high moisture content. The soil used in this study is named Latossolo Vermelho-Amarelo, the most representative soil in Brazil according to the Brazilian Soil Classification. Chemical compounds (sulfuric acid, ammonia and 1,2-dichloroethane) were added to soil samples in order to evaluate the soil aggressiveness up to four months, by means of weight loss measurements and Steinrath’s Index. It wasn’t observed total agreement between results obtained by Steinrath’s Index and weight loss tests, leading to the conclusion that soil corrosiveness determination needs more than one assessment method.

Keywords: Soil Aggressiveness, Buried Pipeline, Soil Contamination

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

REFERÊNCIAS

[1] E. B. LUCHESE, L. O. B. FAVERO and E. LENZI (Fundamentos da Química do Solo), 2.ed., Freitas Bastos, Rio de Janeiro, Brasil (2002).        [ Links ]

[2] EMBRAPA (Sistema Brasileiro de Classificação de Solos), Embrapa Solos, Rio de Janeiro, Brasil (1999).

[3] I. F. LEPSCH (Formação e Conservação dos Solos), Oficina de Textos, São Paulo, Brasil (2002).

[4] H. PRADO (Manual de Classificação de Solos do Brasil), 3.ed., FUNEP, Jabocaticabal, Brasil (1996).

[5] EUROPA – THE EUROPEAN UNION ON-LINE. Comunicação da Comissão ao Conselho, ao Parlamento Europeu, ao Comité Económico e Social e ao Comité das Regiões- Para uma estratégia temática de protecção do solo. Set.2002. http://www.europa.eu.int., Acesso em: 29 set. 2004.

[6] V. DREVENKAR et al., Environmental Management and Health, 7, 4, 5 (1996).

[7] S. E. Manahan (Soil Environmental Chemistry), CRC Press LLC, Boca Raton, EUA (2000).

[8] G. TRABANELLI, F. ZUCCHI and M. ARPAIA, Chimica Pura Ed Applicata, 3, 4, 43 (1972).

[9] E. LOPEZ, A. OSELHA and L. MARTINO, Corros. Sci., 48, 2, 389 (2006).

[10] S. BRADFORD (Pratical Handbook of Corrosion Control in Soils), CASTI Publications, Edmonton, Canadá (2002).

[11] A. TABBAGH et al., Geoderma, 97, 393 (2000).

[12] M. J. VEPRASKAS and S. P. FAULKNER (Redox Chemistry of Hydric Soil), CRC Press, Boca Raton, EUA (2001).

[13] A. H. S. BUENO (Avaliação da Suscetibilidade à Corrosão sob Tensão em Contato com o Solo dos Aços da Classe API X46, X60 e X80), Dissertação para obtenção do grau de Mestre, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil (2003).

[14] M. G. FONTANA (Corrosion Engineering), 3th ed., McGraw-Hill Book Company, New York, EUA (1986).

[15] AMONEX DO BRASIL. Ácido Sulfúrico. http:/www.amonex.com.br. Acesso em: 11 dez. 2004.

[16] F. I. KHAN and S. A. ABBASI. Journal of Loss Prevention in the Process Industries, 12, 361 (1999).

[17] Estadão. Ciência e Meio Ambiente. http:/www.estadao.com.br. Acesso em 11 dez. 2004.

[18] A. M. V. LOUREIRO (Estudo da Corrosão de Dutos Enterrados em Solos Contaminados por Substâncias Químicas), Dissertação para obtenção do grau de Mestre, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil (2005).

[19] ASTM G1 – 90 (Standard Practice for Preparing, Cleaning and Evaluation Corrosion Test Specimens), American Society for Testing and Materials, Philadelphia, EUA (1992).

[20] EMBRAPA (Manual de Métodos de Análise de Solo), 2.ed., Centro Nacional de Pesquisas de Solos, Rio de Janeiro, Brasil (1997).

[21] A. VOGEL (Química Analítica Quantitativa), 5. ed., Mestre Jou, São Paulo, Brasil (1981).

[22] A. M. A. GABER, N. KHALIL and A. A. E. FETOUH, Anti-Corrosion Methods and Materials, 50, 6, 442 (2003).

 

(1) UFRJ - Departamento de Processos Inorgânicos da Escola de Química, Rio de Janeiro, Brasil

(*) A quem a correspondência deve ser dirigida, e-mail:alinemarta@pop.com.br

 

Artigo submetido em Outubro de 2006 e aceite em Março de 2007