SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 número4Utilização de técnicas eletroquímicas na avaliação da porosidade de camadas fosfatizadas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Corrosão e Protecção de Materiais

versão impressa ISSN 0870-1164

Corros. Prot. Mater. v.25 n.4 Lisboa out. 2006

 

Comportamento de ânodos de aço em meio alcalino

A. I. Melato(1), A. M. Fundo(1) e L. M. Abrantes(1)(*)

Trabalho submetido em Junho de 2006 e aceite em Julho de 2006

 

RESUMO

Estuda-se o comportamento dos aços inox AISI 301, 310 e 316 em soluções fortemente alcalinas, pela análise das respostas à polarização desde o potencial de circuito aberto à região de libertação de oxigénio. Verifica-se corrosão/dissolução destes materiais no intervalo -0,20 a –0,05 V vs. ESC seguida da formação de óxidos que não passivam efectivamente a superfície. Mostra-se que para aumentar a estabilidade do aço 316, a polarização a 0,50 V vs. ESC, tem de ser prolongada (superior a 5h). Para melhorar o desempenho do aço inox em meio alcalino, apresenta-se uma metodologia alternativa consistindo na modificação da superfície por deposição anódica de óxidos metálicos, ilustrada para o caso da solução conter Pb(II) que, a 0,35 V vs. ESC, origina um filme de Pb3O4 e a-PbO2.

Palavras chave: Aço inox, meio alcalino, óxidos metálicos, deposição anódica.

 

 

Behaviour of stainless steel anodes in alkaline media

ABSTRACT

By the analysis of the polarization curves recorded from the open circuit potential up to the oxygen evolution region, the behaviour of AISI 301, 310 and 316 stainless steel anodes, in strong alkaline media, is investigated. Substrate corrosion/dissolution is observed in the potential domain –0.20 a –0.05 V vs. SCE, followed by oxides formation which do not effectively passivate the electrode surface. Aiming to enhance the stainless steel stability, a polarization at 0.50 V vs. SCE, for longer than 5h period is required. An alternative methodology is presented consisting on the modification of stainless steel surface by the deposition of metallic oxides. It is illustrated for the case of a Pb(II) containing solution providing a film composed by Pb3O4 e a-PbO2 when the electrode is polarized at 0.35V vs. SCE.

Key words: Stainless steel; alkaline media, metallic oxides, anodic deposition

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

[1] G. BLANCO, A. BAUTISTA, H. TAKENOUTI, Cement Concrete. Comp., 28, 212 (2006).        [ Links ]

[2] L. VELEVA, M. A. ALPUCHE-AVILES, M. K. GRAVES-BROOK, D. O. WIPF, J. Electroanal. Chem., 537, 85 (2002).

[3] L. VELEVA, M. A. ALPUCHE-AVILES, M. K. GRAVES-BROOK, D. O. WIPF, J. Electroanal. Chem., 578, 45 (2005).

[4] R. BEJANKIWAR, J. A. LALMAN, R. SETH, N. BISWAS, Water Res., 39, 4715 (2005).

[5] L. SZPYRKOWICZ, F. RICCI, M. F. MONTEMOR, R. M. SOUTO, J. Hazard. Mater., B119, 145 (2005).

[6] S. MAFFI, B. BOZZINI, A. FANIGLIULO, L. P. BICELLI, J. Appl. Electrochem., 34, 71 (2004).

[7] S. S. EL-EGAMY, W. A. BADAWAY, J. Appl. Electrochem., 34, 1153 (2004).

[8] C. M. ABREU, M. J. CRISTÓBAL, R. LOSADA, X. R. NÓVOA, G. PENA, M. C. PÉREZ, Surf. Interface. Anal., 38, 259 (2006).

[9] C. M. ABREU, M. J. CRISTÓBAL, R. LOSADA, X. R. NÓVOA, G. PENA, M. C. PÉREZ, Electrochim. Acta, 49, 3049 (2004).

[10] C. M. ABREU, M. J. CRISTÓBAL, R. LOSADA, X. R. NÓVOA, G. PENA, M. C. PÉREZ, J. Electroanal. Chem., 572, 335 (2004).

[11] S. A. M. REFAEY, F. TAHA, A. M. ABD EL-MALAK, Appl. Surf. Sci., 242, 114 (2005).

[12] C. M. ABREU, M. J. CRISTÓBAL, R. LOSADA, X. R. NÓVOA, G. PENA, M. C. PÉREZ, Electrochim. Acta, 51, 2991 (2006).

[13] S. M. Wong, Dissertação de Mestrado, FCUL, Fev. (2004).

[14] A. I. Melato, Dissertação de Mestrado, FCUL, Fev. (2004).

[15] A. M. Fundo, Dissertação de Mestrado, FCUL, Nov. (2001).

[16] Z. MISIRLIOGLU, S. UNERI, M. L. AKSU, J.. Corros. Sci. Eng., 3, artigo 8 (2001).

[17] (Powder Diffraction File Alphabetical Index Inorganic Phases), ICDD, International Centre for Diffraction Data, Swarthmore, PA, E.U.A (1988).

[18] W. A. BADAWY E F. M. AL-KHARAFI, Electrochim. Acta, 44, 693 (1998).

 

(1) Centro de Química e Bioquímica, Departamento de Química e Bioquímica, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Campo Grande, 1749-016 Lisboa. Telefone: 21 750 00 00, Telefax: 21 750 00 88.

*A quem a correspondência deve ser dirigida, e-mail. luísa.abrantes@fc.ul.pt