SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número2Uma abordagem sensorial e química ao aroma de aguardentes vínicas envelhecidas da LourinhãControlo de práticas enológicas reconhecidas internacionalmente: Uma revisão crítica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Ciência e Técnica Vitivinícola

versão impressa ISSN 0254-0223

Ciência Téc. Vitiv. v.23 n.2 Dois Portos  2008

 

Influência da origem da madeira de carvalho no envelhecimento de vinhos tintos

 

Maria Cristina Clímaco e Diogo Cancella d’Abreu

 

INRB, INIA-Dois Portos, ex-Estação Vitivinícola Nacional. Quinta d’Almoínha, 2565-191 Dois Portos. E-mail: evn.mcclimaco@mail.net4b.pt

(Manuscrito recebido em 24.11.08 . Aceite para publicação em 12.12.08)

 

 

RESUMO

Este trabalho avalia as incidências nas características de vinhos tintos, do estágio em quartolas de madeira de carvalho de espécies oriundas de florestas portuguesas e de florestas da Pensylvania. O ensaio tecnológico consistiu no estágio de vinhos tintos em 4 quartolas de madeira de carvalho português e 4 quartolas de madeira de carvalho americano nas Adegas Cooperativas de Carvoeira e de Benfica do Ribatejo. Os vinhos testemunha estagiaram em garrafas de 0,75 dm- 3. Todas as quartolas foram fornecidas pela mesma tanoaria com nível de queima médio.

Na apreciação dos efeitos do estágio em quartolas de madeira de carvalho de espécies distintas nas características dos vinhos procedeu-se à determinação de parâmetros de análise geral e de cor, da composição volátil e foram avaliadas as características sensoriais dos vinhos. Efectuouse a análise de variância a dois factores, espécie de madeira de carvalho e vinho, para a generalidade dos parâmetros analisados.

Os resultados obtidos mostram que os factores vinho e espécie de madeira de carvalho são importantes na definição da cor e da transparência dos vinhos e contribuem para alterações na sua composição volátil. De salientar que os vinhos testemunha se diferenciam dos vinhos envelhecidos em madeira de carvalho pela existência, exclusivamente, nestes últimos vinhos dos isómeros cis e trans de â-metil-ã-octalactona. O teor no isómero cis desta octalactona permite diferenciar os vinhos estagiados em quartolas de madeira de carvalho português e de carvalho americano.

Palavras-chave: vinhos tintos; envelhecimento, madeira de carvalho português, madeira de carvalho americano.

 

 

SUMARY

The effect of oak wood source in red wines ageing

This work evaluates the incidences in red wines characteristics, of ageing in oak wood barrels of species from Portuguese forests and from Pensylvania forests.

The technological assay consisted of red wine ageing in 4 barrels of Portuguese oak wood and 4 barrels of American oak wood in two Cooperative Cellars: Carvoeira and Benfica do Ribatejo. The control wine had ageing in bottles of 0.75 dm-3. All barrels had been supplied by the same cooperage with medium toast level.

In the appreciation of the effect in red wines characteristics of ageing in barrels of oak wood of distinct species it was done the determination from general analysis and colour parameters and of the volatile composition of the wines. The sensorial characteristics of the wines had been evaluated. The variance analysis to the factors, species of oak wood and wine, was carrying out for the generality of the analysed parameters. The results show that the factors wine and species of oak wood are important in the definition of the colour and the transparency of the wines and contribute for alterations in their volatile composition. To point out that the control wine differentiates of the wines aged in oak wood for the existence, exclusively, in these last wines of the cis and trans isomers of â-metil-ã-octalactone. The content in the cis isomer of this octalactone allows differentiating the wines aged in Portuguese oak wood barrels from those aged in American oak wood barrels.

Key-words: red wines; ageing, Portuguese oak wood, American oak wood.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Bakker J., Bridle P., Timberlake C.F., 1986. Tristimulus measurements (CIELab 76) of port wine colour. Vitis, 25, 67-78.        [ Links ]

Borralho A., 1994. Estudo de substâncias provenientes da madeira no envelhecimento de vinhos tintos. Suas incidências na qualidade. 60 p. Relatório final de curso de Engenharia Agro- Industrial. ISA-UTL. Lisboa.

Caldeira I. M. J., 2004. O aroma de aguardentes vínicas envelhecidas em madeira. Importância da tecnologia de tanoaria. Doutoramento em Engenharia Agro-Industrial. ISA-UTL. Lisboa

Caldeira I., Clímaco M. C., Sousa B. R., Belchior A. P., 2006. Volatile composition of oak and chestnut woods used in brandy ageing. Modification induced by heat treatment. Journal of Food Engineering, 76, 202-211.

Carvalho A., 1998. Identificação anatómica e caracterização física e mecânica das madeiras utilizadas no fabrico de quartolas para produção de aguardentes velhas de qualidade – Denominação Lourinhã. Ciência e Téc. Vitiv., 13 (1-2), 71-105.

Clímaco M. C., 1987. Efeitos do envelhecimento na composição aromática e na qualidade de vinhos tintos. 147 p. INIA-EVN, Dois Portos.

Clímaco M. C., Avelar M. L., Eiriz N., Caldeira I., Rodrigues J., Miguel V, Sardinha J., 2004. Fragmentos de madeira de carvalho versus quartolas no envelhecimento de vinhos tintos. VI Simpósio de Viticultura do Alentejo, 2, 148-155.

Clímaco M.C., Belchior A.P., Spranger-Garcia M.I., 1985. Contribuição para o estudo do envelhecimento do vinho tinto em madeiras de carvalho e de castanho. Ciência e Téc. Vitiv., 4, 57- 68.

Clímaco M.C., Belchior A.P., Vasconcelos A.M.P., Belchior, R.M., 1988. Contribuição para o estudo do aroma em vinhos tintos envelhecidos em madeira de carvalho. Ciência e Téc. Vitiv., 7, 19- 31.

Clímaco M. C., Borralho A., 1996. Influence des technologies d’élevage dans les transformation des composants de l’arôme des vins rouges. In: Oenologie 95 - 5e Symposium International d’Oenologie. 415-418. Lonvaud-Funel A. (ed.), TEC & DOCLavoiser, Paris.

Clímaco M. C., Duarte F. L., 1992. Estudo comparativo de diferentes modalidades de envelhecimento de vinhos tintos: Aspectos Organolépticos. II Simpósio de Viticultura do Alentejo. 347- 356.

Clímaco M. C., Duarte F. L., Ribeiro-Corrêa P., 1997. Efeitos de Tecnologias de Envelhecimento em Vinhos Tintos do Dão. O Dão em debate, 1º Congresso.

Clímaco M. C., Eiriz N., Avelar M. L., 2005. Avaliação à escala industrial do envelhecimento de vinhos tintos em quartolas e com adição de fragmentos de madeira de carvalho. enovitis, 2, 28-31.

Cocito C., Gaetano G., Delfini C., 1995. Rapid extraction of aroma compounds in must and wine by means of ultrasound. Food Chemistry, 52, 311-320.

Dubois P., Dekimpe J., 1982. Constituants volatils odorantes dês vins de Bourgogne élevés en fûts de chêne neufs. Rev. Franc. d’Oenol. 88; 51-3.

Kepner R. E., Webb A. D., Muller C. J., 1972. Identificacion of 4-hidroxi-3-methyl-octanoic acid gama lactone (5-butyl-4- methyldihydro-2-(3H)-furane) as a volatile component of oakwood aged wines of Vitis Vinifera var. Cabernet-Sauvignon. Am. J. Enol. Vitic. 23, 103-5.

Machado, T.R.G.H.C., 2005. Efeitos do nível de utilização de quartolas de madeira na qualidade do vinho tinto. Trabalho de fim de curso em Engenharia Alimentar. IPS-ESAS. Santarém.

Mosedale J. R., Puech J. -L., Feuillat F. 1999. The Influence on Wine Flavor of the Oak Species and Natural Variation of Heartwood Components. Inter. Symp. On Oak in Winemaking / Am. J. Enol. Vitic., 50 (4), 503-512.

Ribeiro M., 1993. Colorimétrie CIELab appliqué au vin de Porto. Feuillet Vert O.I.V., 934,1-14.

Ribeiro-Corrêa P., 1996. Influência de tecnologias de acabamento no aroma de vinhos brancos. Mestrado em Viticultura & Enologia. 201 p. UTL / UP. Lisboa.

Sauvageot F., Feuillat F., 1999. The influence of oak wood (Quercus robur and Quercus petraea Liebl.) on the flavor of Burgindy Pinot Noir. A examination of variation among individual trees. Am. J. Enol. Vitic., 50, 447-455.

Spillman P. J., Sefton M. A., Gawel R., 2004. The effect of oak wood source, location of seasoning and coopering on the composition of volatile compounds in oak-matured wines. Australian Journal of Grape and Wine Research, 10, 216-226.