SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número1Comportamento sexual dos adolescentes portugueses entre 2002 e 2014: estudo de HBSC em portuguêsInstrumento de avaliação das competências de liderança nas chefias de enfermagem: estudo das propriedades psicométricas índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Portuguese Journal of Public Health

versión impresa ISSN 2504-3137versión On-line ISSN 2504-3145

Resumen

SIMOES, Rosa Maria Pereira et al. Promoção do bem-estar em adolescentes: contributos do projeto +Contigo. Port J Public Health [online]. 2018, vol.36, n.1, pp.1-7. ISSN 2504-3137.  http://dx.doi.org/10.1159/000486468.

Objetivos: O projeto +Contigo insere-se no âmbito da promoção da saúde mental e bem-estar e da prevenção de comportamentos autolesivos e enquanto projeto de investigação longitudinal é baseado numa intervenção multinível em rede. Tem como um dos objetivos gerais promover o bem-estar em adolescentes do 3º ciclo e do ensino secundário. - Métodos: Estudo de natureza quasi-experimental, com grupo de controlo, avaliado no início, no final e seis meses após intervenção ao longo do ano letivo. A intervenção dirigida aos adolescentes é composta por 7 sessões em sala de aula, abordando o estigma, a adolescência, o autoconceito, a re­solução de problemas, a depressão e o bem-estar. O instrumento de recolha de dados, aplicado sob a forma de questionário é constituído por vários instrumentos de medida entre os quais o índice de bem-estar (OMS, 1998). Foi autoadministrado a 2.105 adolescentes, de escolas da região centro de Portugal com adesão ao projeto +Contigo, durante os anos letivos de 2011/2012 e 2012/2013. - Resultados: A amostra é constituída por 2.105 adolescentes, maioritariamente do género masculino, com idade entre os 13 e os 14 anos, pertencentes maioritariamente a turmas do 8º ano. O índice de bem-estar demonstra um aumento ao longo das três fases, no grupo alvo de intervenção, com diferença estatisticamente significativa para o grupo de controlo. Os adolescentes do género masculino apresentam melhores índices de bem-estar, existindo no decorrer do projeto aumento deste índice para ambos os géneros, com diferenças estatisticamente significativas no género masculino. Os adolescentes do 7º, 8º e 9º ano evoluíram favoravelmente no índice de bem-estar em todas as fases de avaliação. - Conclusão: A intervenção produz resultados positivos a curto e a médio prazo para o índice de bem-estar, com resultados estatisticamente significativos para o grupo de intervenção comparativamente ao grupo de controlo. Estas repercussões ao nível do bem-estar dos adolescentes reforçam a estratégia preventiva de comportamentos suicidários adotada, já que, sendo o bem-estar um indicador de saúde mental acredita-se que poderá ajudar a prevenir os comportamentos autolesivos nos adolescentes.

Palabras clave : Bem-estar; Adolescentes; Suicídio; Comportamentos autolesivos; Prevenção suicídio; Meio escolar.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · Portugués ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons