SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número1Impacto do Ensino Personalizado na Preparação Intestinal para Colonoscopia: Estudo Prospetivo Controlado RandomizadoInsuficiência Hepática Aguda Induzida pela Trazodona e Diazepam índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


GE-Portuguese Journal of Gastroenterology

versão impressa ISSN 2341-4545

Resumo

LIBANIO, D. et al. Resultados a Longo Prazo da Disseção Endoscópica da Submucosa Gástrica: Foco nas Lesões Metácronas e na Abordagem da Resseção Não Curativa. GE Port J Gastroenterol [online]. 2017, vol.24, n.1, pp.31-39. ISSN 2341-4545.  http://dx.doi.org/10.1159/000450874.

Introdução: A disseção endoscópica da submucosa (ESD) é um tratamento eficaz nas neoplasias gástricas precoces, sendo curativa em 80-85%. Os objetivos deste estudo foram identificar fatores de risco para resseção não curativa e para o desenvolvimento de lesões metácronas, bem como avaliar a abordagem e os resultados após resseção não curativa. Métodos: Estudo de coorte, unicêntrico, incluindo doentes consecutivos submetidos a ESD gástrica com tempo mínimo de follow-up de 18 meses. Análise univariada e multivariada utilizadas na identificação de fatores de risco. Resultados: Entre 2005 e 2014, 194 lesões (164 doentes) foram submetidas a ESD (tempo mediano de follow-up 40 meses). Resseções em bloco e completa: 95.3 e 93.8%. Sexo masculino, lesão maior, procedimento demorado e histologia mais avançada associaram-se a resseção não curativa ( p < 0.05); na análise multivariada, adenocarcinoma nas biopsias foi identificado como fator preditor. Ocorreram lesões metácronas em 18.4% (taxa de incidência 4.7/100 pessoas-ano), sendo a idade mais avançada fator de risco independente para lesões metácronas. Nos casos de resseção não curativa, a sobrevivência foi semelhante nos doentes alocados para vigilância e nos submetidos a gastrectomia; em 75% não havia doença residual na peça cirúrgica. Conclusões: Os fatores de risco identificados são úteis na seleção apropriada dos doentes e na transmissão da informação. A incidência de lesões metácronas é significativa, estando os doentes mais velhos em maior risco. Após resseção não curativa a decisão deve ser individualizada, sendo a vigilância apropriada em casos selecionados.

Palavras-chave : Endoscopia gastrointestinal; Factores de Risco; Mucosa gástrica; Neoplasias gástricas; Resultado do Tratamento.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons