SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número5Carcinoma Hepatocelular em Doentes Com Infecção Crónica pelo Vírus da Hepatite B Sob Análogos dos Nucleós(t)idos de 3ª Geração: Factores de Risco e o Desempenho de um Score de RiscoTratamento da Ectasia Vascular do Antro Gástrico: Quando a Terapêutica com Árgon É Insuficiente índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Em processo de indexaçãoCitado por Google
  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO
  • Em processo de indexaçãoSimilares em Google

Compartilhar


GE-Portuguese Journal of Gastroenterology

versão impressa ISSN 2341-4545

Resumo

CARDOSO, Helder et al. Tratamento de Carcinoma Hepatocelular Com Sorafenib: Avaliação de Fatores de Prognóstico e um Indício Prático para a Orientação dos Doentes. GE Port J Gastroenterol [online]. 2016, vol.23, n.5, pp.243-248. ISSN 2341-4545.  http://dx.doi.org/10.1016/j.jpge.2016.04.006.

Introdução: O tratamento de primeira linha de doentes com carcinoma hepatocelular (HCC) em estadio avançado é a quimioterapia com sorafenib. O objetivo deste estudo foi avaliar os fatores de prognóstico de sobrevivência em doentes com HCC tratados com sorafenib, na prática clínica. Material e métodos: Estudo retrospetivo com inclusão dos doentes com HCC que iniciaram tratamento com sorafenib, após avaliação e decisão de grupo em reunião multidisciplinar. Resultados: Foram incluídos 36 doentes, que eram em maioria do género masculino (89%) e com idade média de 65 anos. As principais etiologias eram a hepatite C crónica (44%) e a doença hepática alcoólica (36%). Vinte doentes (56%) foram classificados como Child-Pugh A e 16 doentes (44%) como Child-Pugh B. A amostra apresentava em metade dos casos estadio BCLC C e os restantes BCLC B. Quinze doentes (42%) desenvolveram efeitos adversos significativos, que se associaram com maior sobrevivência (21,5 vs 3,2 meses, p < 0,001). Os efeitos adversos mais frequentes foram diarreia e síndrome palmo-plantar. A sobrevivência global mediana foi de 6,8 meses (IC 95%, 3-10,6). A sobrevivência mediana foi de 17,3 meses nos doentes Child-Pugh A versus 3,2 meses nos casos Child-Pugh B (p = 0,001). Considerando os doentes Child-Pugh A, a sobrevivência mediana foi de 21,5 meses para o estadio BCLC B e 15,7 meses para o estadio BCLC C (p = 0,001) Discussão e conclusões: Os principais fatores prognósticos, além da classificação de Child-Pugh e do estadiamento BCLC, incluíram a ocorrência de efeitos adversos. Estes, relacionados com o tempo de exposição ao fármaco, assinalam a importância de uma estratégia de redução de dose em vez de descontinuação quando se manifestam efeitos adversos significativos.

Palavras-chave : Antineoplásicos/quimioterapia; Carcinoma Hepatocelular/quimioterapia; Neoplasia do Fígado/quimioterapia; Sorafenib.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons