SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número4Cirurgia na Doença de Crohn Pediátrica: Série de Casos de um Centro de Referência TerciárioTuberculose Disseminada num Doente Imunocompetente: A Resposta Está no Fígado índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


GE-Portuguese Journal of Gastroenterology

versão impressa ISSN 2341-4545

Resumo

SANTOS, Carlos Eduardo Oliveira dos; PEREIRA-LIMA, Júlio Carlos  e  ONOFRIO, Fernanda de Quadros. Lesões Colorretais Grandes: Avaliação e Tratamento. GE Port J Gastroenterol [online]. 2016, vol.23, n.4, pp.197-207. ISSN 2341-4545.  http://dx.doi.org/10.1016/j.jpge.2016.01.001.

Nos últimos anos houve um crescente interesse pelas lesões colorretais polipoides e não polipoides de grande tamanho, especialmente pelas lesões planas neoplásicas ≥20 mm que tendem a crescer lateralmente - as chamadas lesões de espraiamento lateral (LST). Para avaliar o acometimento submucoso dessas lesões, pode-se utilizar a cromoendoscopia real ou virtual, a ecoendoscopia e a ressonância magnética. A ressecção endoscópica está indicada em lesões restritas à mucosa ou em casos selecionados com invasão da submucosa ≤ 1000 μm. A polipectomia e a ressecção endoscópica de mucosa permanecem um tratamento de primeira escolha para lesões colorretais grandes, enquanto que as LSTs cuja ressecção em bloco é mandatória devem ser submetidas à dissecção submucosa endoscópica em centros com grande experiência na técnica ou à ressecção cirúrgica.

Palavras-chave : Endoscopia Gastrointestinal; Neoplasias Colorrectais; Pólipos do Colon.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons