SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 número1Prescrição de terapêutica anticoagulante por médicos de medicina geral e familiar e especialidades hospitalares, em utentes com fibrilhação flutter auricular de quatro Unidades de Saúde Familiar do distrito do PortoQual a evidência da restrição do consumo de açúcar nas crianças com PHDA? índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar

versão impressa ISSN 2182-5173

Resumo

CHIN, Ângela Lee; VICENTE, Ana Filipa  e  LOURENCO, Olena. Consumo de «produtos naturais» e «suplementos alimentares» numa Unidade de Saúde Familiar: estudo exploratório. Rev Port Med Geral Fam [online]. 2019, vol.35, n.1, pp.30-36. ISSN 2182-5173.  http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v35i1.12168.

Introdução: O consumo de «produtos naturais» (PN) e «suplementos alimentares» (SA) tem aumentado de popularidade. Os estudos sobre o consumo destes produtos são importantes, pois existem poucos dados nacionais e a população geralmente desconhece os riscos associados. Objetivos: Determinar a prevalência do consumo de PN/SA na Unidade de Saúde Familiar (USF) Arruda. Adicionalmente pretendeu-se caracterizar socio-demograficamente os consumidores destes produtos e os seus hábitos de consumos e verificar se existe associação com o género, idade, escolaridade e estado civil. Tipo de estudo: Observacional, descritivo e transversal. Local: USF Arruda. População: Utentes adultos inscritos na USF Arruda. Métodos: Os dados foram recolhidos numa amostra não aleatória, de conveniência, de 1 de outubro a 30 de novembro de 2016. Foi aplicado um questionário anónimo, confidencial e voluntário. Os dados foram codificados, registados e analisados em SPSS®. Resultados: Obtiveram-se 351 questionários válidos. Dos inquiridos, 68,9% eram mulheres, 72,9% tinham idade entre 31 e 75 anos, 50,7% apresentavam escolaridade inferior ou igual a seis anos e 50,9% eram casados ou viviam em união de facto. 91,2% referiu consumir ou ter consumido PN/SA nos últimos seis meses. Destes, 64,7% consumiu um ou dois PN/SA, sendo que 75,9% fê-lo diariamente. Relativamente à análise da associação entre o consumo de PN/SA e as variáveis estudadas concluiu-se que apenas não estão associadas para o género. Conclusões: Os resultados deste estudo apontam para uma elevada prevalência de consumo de PN/SA na USF Arruda. Dada a relevância desta temática e ao facto de existirem poucos estudos atuais nesta área, consideramos que seria pertinente realizar investigações mais robustas, idealmente que pudessem ser representativas do panorama nacional.

Palavras-chave : Produtos naturais; Suplementos alimentares; Médico de família.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons