SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número24Prevalência de sintomas depressivos entre adolescentes escolares em município do Norte de Minas Gerais, BrasilLiteracia em saúde mental dos jovens estudantes de enfermagem na integração ao ensino superior índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental

versão impressa ISSN 1647-2160

Resumo

BATALHA, Edenise; MELLEIRO, Marta; QUEIROS, Cristina  e  BORGES, Elisabete. Satisfação por compaixão, burnout e estresse traumático secundário em enfermeiros da área hospitalar . Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental [online]. 2020, n.24, pp.25-33. ISSN 1647-2160.  http://dx.doi.org/10.19131/rpesm.0278.

CONTEXTO: Os enfermeiros estão expostos a fatores que podem afetar a sua saúde mental, pois lidam com a dor física e emocional, com situações graves e complexas e, muitas vezes, com situações precárias no trabalho. São, portanto, suscetíveis a Satisfação por Compaixão (SC), Burnout (BO) e Estresse Traumático Secundário (ETS), os quais influenciam a sua saúde individual e podem afetar negativamente a assistência prestada. Assim, estudar esta temática torna-se relevante no contexto hospitalar. OBJETIVO: Identificar o nível de SC, BO e ETS em enfermeiros portugueses do âmbito hospitalar e analisar a sua variação em função das características sociodemográficas e profissionais. MÉTODOS: Pesquisa quantitativa com 201 enfermeiros que exerciam em contexto hospitalar, selecionados através da amostragem por redes, sendo 82% mulheres, 55% com idade ≤ 36 anos, e 53% com experiência profissional ≤13 anos. Aplicou-se a Professional Quality Scale 5 e um questionário sociodemográfico, tendo sido seguidos os requisitos éticos para pesquisas com seres humanos. RESULTADOS: Os níveis foram maioritariamente médios para SC (46,8%), BO (51,2%) e ETS (56,2%). Encontrou-se associação negativa entre a SC e BO e positiva entre o BO e o ETS. Apenas foi encontrado resultado significativo do ETS em função da carga horária semanal, com os enfermeiros que trabalhavam menos horas a apresentarem média superior. CONCLUSÕES: Os resultados elucidam a necessidade de estratégias que fomentem ambientes de trabalho promotores de saúde mental nos enfermeiros, especialmente relacionadas com a gestão do estresse, visando a diminuição do BO e ETS e a elevação da SC.

Palavras-chave : Enfermeiros; Transtornos de estresse traumático; Esgotamento profissional; Saúde mental.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons