SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número22Saúde mental dos enfermeiros: Contributos do burnout e engagement no trabalhoTranstornos mentais comuns e comportamentos de risco em motociclistas vítimas de acidentes de trânsito índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental

versão impressa ISSN 1647-2160

Resumo

MELO, Elizabete et al. Sintomas físicos e psicológicos do estresse em pessoas vivendo com o vírus da imunodeficiência humana. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental [online]. 2019, n.22, pp.19-26. ISSN 1647-2160.  http://dx.doi.org/10.19131/rpesm.0259.

INTRODUÇÃO: O viver com o HIV, além de ser uma doença sem cura e com uma alta carga estigmatizadora, é considerada um fenômeno social que convive com o sofrimento físico representando uma alta fonte de estresse. OBJETIVO: Avaliar a prevalência, fatores associados e sintomas físicos e psicológicos do estresse em pessoas vivendo com HIV, comparando-o segundo o sexo. MÉTODOS: Trata-se de um estudo analítico de corte transversal, realizado com pessoas que vivem com HIV em atendimento ambulatorial na região sudeste do Brasil. Foi utilizado questionário para caracterização sociodemográfica e clínica, e para avaliação dos sintomas de estresse foi utilizado o Inventário de Sintomas de Stress de Lipp (ISSL), o qual identifica a presença de estresse, a sintomatologia predominante e a fase em que o paciente se encontra. Para análise foi aplicado o teste de associação Qui-quadrado, adotando p<0,05. RESULTADOS: Participaram do estudo 340 pessoas, das quais 47,6% foram diagnosticadas com estresse. Houve associação do estresse com a idade (p=0,018), tempo de diagnóstico (p=0,025) e tempo de tratamento (p=0,016). As mulheres apresentaram maior frequência de sintomas de estresse nas fases de alerta (60,8%), quase-exaustão (75,0%) e de exaustão (54,8%), com predomínio dos sintomas físicos, destacando a impossibilidade de trabalhar (p=0,03), a vontade de fugir de tudo (p=0,004) e pensar/falar sobre o mesmo assunto (p=0,02). CONCLUSÕES: O presente estudo evidenciou uma alta prevalência do estresse em PVHIV, com associação entre a idade, o tempo de diagnóstico e o tempo de tratamento com antirretroviral; e predomínio entre sinais e sintomas nas mulheres.

Palavras-chave : Estresse psicológico; Saúde mental; Infecções por HIV.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons