SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 issue21Work as a strategy of psychosocial reinsertion of the dependent chemist from the perspective of the familyMental health literacy on depression: A study with Portuguese adolescents author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental

Print version ISSN 1647-2160

Abstract

FREIRE, Rosa Maria; SOUSA, Maria Rui; PEREIRA, Filipe  and  MARTINS, Teresa. Estudo das propriedades psicométricas da Escala de Bem-Estar Psicológico de 42 itens. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental [online]. 2019, n.21, pp.31-39. ISSN 1647-2160.  http://dx.doi.org/10.19131/rpesm.0235.

CONTEXTO: O bem-estar psicológico é um constructo multidimensional que tem merecido atenção dos investigadores no âmbito da saúde mental positiva, na medida em que se relaciona com o desenvolvimento do potencial humano. OBJETIVO: Validar, para a população portuguesa, a versão reduzida de 42 itens da Escala de Bem-Estar Psicológico numa amostra de adultos e jovens adultos. METODOLOGIA: Recorremos à análise fatorial confirmatória e à validade de constructo numa amostra de 252 participantes recrutados a partir de uma instituição de ensino superior, sendo 48% estudantes e 52% docentes e não docentes, a maioria do sexo feminino com média de idade de 31,4 anos e uma escolaridade média de 15,5 anos. Os participantes preencheram um questionário através de uma plataforma informática. A Escala de Bem-Estar Psicológico é constituída por seis constructos teóricos medidos numa escala de resposta do tipo likert. RESULTADOS: A análise fatorial confirmatória mostra índices de ajustamento sofrível tendo, no entanto, melhorado com a eliminação de dois itens. As dimensões da escala apresentaram valores de coeficiente alfa de Cronbach com variação entre 0,71 e 0,82 e uma matriz de correlação que varia entre 0,31 a 0,73, com valores significativos ao nível de 0,01. Apenas a Autonomia se correlacionou com a dimensão Saúde Mental. CONCLUSÕES: A escala em estudo tem mostrado adequação para avaliar o bem-estar psicológico. Esta versão mostra ser discriminativa para a idade, género, escolaridade e condição de saúde mental e uma boa consistência interna. A estrutura fatorial da escala não mostra ser tão clara quanto o quadro teórico sugerido, requerendo novas investigações.

Keywords : Estudos de validação; Saúde mental; Avaliação de programas e instrumentos de pesquisa.

        · abstract in English | Spanish     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License