SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número especial 5O adolescente com comportamento autolesivo sem intenção suicida no internamento do serviço de urgência de um hospital pediátrico da região centroA Componente Mental: um aspeto positivo da Qualidade de Vida de uma população índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental

versão impressa ISSN 1647-2160

Resumo

TEIXEIRA, Antónia; FERREIRA, Teresa  e  BORGES, Elisabete. Comportamento dos enfermeiros perante atos de bullying no trabalho. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental [online]. 2017, n.spe5, pp.69-73. ISSN 1647-2160.  http://dx.doi.org/10.19131/rpesm.070.

CONTEXTO: O ser humano passa grande parte da sua vida em contexto de trabalho, pelo que a sua qualidade de vida depende, entre outros fatores, das condições do local de trabalho. Comportamentos de violência, nomeadamente de bullying, são uma realidade nas organizações de saúde. A investigação tem demonstrado que os enfermeiros vivenciam este fenómeno com repercussões a nível individual, organizacional e social. OBJETIVO: Descrever o comportamento dos enfermeiros perante atos de bullying no trabalho, enquanto vítimas e enquanto testemunhas. METODOLOGIA: Estudo de natureza qualitativa. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas a 12 enfermeiros, cuja seleção foi efetuada através da técnica de amostragem por redes. A informação foi submetida a uma análise categorial temática segundo Bardin (2009). RESULTADOS: Os participantes que se identificaram como vítimas referiram os seguintes comportamentos, quando sujeitos a atos de bullying: confrontar o agressor, ignorar, suporte informativo, suporte emocional e medicação antidepressiva. Aconselhar e apoiar a vítima, advogar junto do agressor, desvalorizar e passividade foram os comportamentos descritos pelos participantes que testemunharam atos de bullying. CONCLUSÕES: Os atos de bullying mostram ter um impacto a nível emocional das vítimas, sendo referida a procura de suporte emocional e o recurso a medicação antidepressiva. Consideramos que a consciencialização deste fenómeno, das suas implicações e a capacitação dos enfermeiros para a atuação em situações de atos de bullying, pode ser um fator protetor e promotor de ambientes de trabalho saudáveis.

Palavras-chave : Bullying; Enfermeiros; Saúde ocupacional.

        · resumo em Espanhol | Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons