SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número especial 4Suporte emocional às gestantes que convivem com doenças crônicasPerfil motivacional e demográfico dos alunos do mestrado acadêmico e profissional índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental

versão impressa ISSN 1647-2160

Resumo

FONSECA, Paula Isabella Marujo Nunes da; TAVARES, Cláudia Mara de Melo; SILVA, Thiago Nogueira da  e  NASCIMENTO, Vagner Ferreira do. Situações difíceis e seu manejo na entrevista para doação de órgãos. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental [online]. 2016, n.spe4, pp.69-76. ISSN 1647-2160.  http://dx.doi.org/10.19131/rpesm.0144.

CONTEXTO: A formação em Comunicação de Notícias Difíceis pelos coordenadores avançados em transplantes, não os isenta de lidarem com as situações mais diversas. OBJETIVO: Identificar os fatores e/ou situações representativas de situações difíceis vivenciadas pelos coordenadores avançados em transplantes; e descrever como manejam tais fatores e/ou situações na condução da entrevista familiar. MÉTODO: Abordagem qualitativa, estudo hermenêutico. Dados obtidos por entrevista semi-estruturada contendo oito questões abertas dirigidas à 24 coordenadores avançados em transplantes, no período de janeiro a maio de 2012. Utilizada análise do discurso dos sujeitos com base na interpretação proposta na hermenêutica filosófica de Gadamer para organização e compreensão dos dados relatados que foram gravados e, em seguida, transcritos na íntegra. Estudo aprovado pelo Comitê de Ética UFF/HUAP. RESULTADOS: Identificados como fatores e/ou situações difíceis no momento da entrevista: ambiente; profissionais que falham na comunicação com os familiares; e assistência prestada. Manejos descritos: modo de conduta do entrevistador no trabalho; aspectos emocionais; que envolvem os familiares do potencial doador; lançar mão dos próprios instrumentos de enfrentamento das dificuldades; e ainda o “eu não sei, nunca parei para pensar nisso”. CONCLUSÃO: O afastamento da situação e o tratar sobre o assunto em outro momento lhes permitiu se conhecer melhor, no sentido de saber como agem em sua prática cotidiana laboral.

Palavras-chave : Emoções manifestas; Pessoal de saúde; Transplante; Enfermagem psiquiátrica; Entrevista.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons