SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 número1A denúncia política na origem do new journalism: o caso pioneiro de Rodolfo WalshDOAJ Media and Communications Journals: Business Models, Technical Aspects and Involvement in the International Scientific Process índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Observatorio (OBS*)

versão On-line ISSN 1646-5954

Resumo

BARROS, Susana. Quando um Governo de Esquerda assusta os media: A formação da "geringonça" nos jornais. OBS* [online]. 2019, vol.13, n.1, pp.192-211. ISSN 1646-5954.

Perante uma tendência interpretativa crescente do jornalismo político em detrimento de um estilo descritivo, os media têm privilegiado a tática face à substância. Longe de ser um mero observador dos acontecimentos, o jornalista assume protagonismo no jogo político, contribuindo quer para o seu desenvolvimento, quer para a construção da perceção publica do mesmo. Incidindo sobre a formação do Governo do PS com o apoio parlamentar do PCP, BE e PEV - conhecido por "Geringonça" -, olhamos para as capas dos jornais Público, Diário de Notícias, Correio de Manhã e Observador, desde as eleições legislativas de 4 de Outubro de 2015 até à aprovação do programa do Governo a 3 de Dezembro de 2015, procurando captar padrões sobre a narrativa jornalística construída acerca de um processo pós-eleitoral inédito em Portugal. Com um corpus composto por 356 peças (233 capas de jornais e 123 editoriais), neste artigo apontamos para o enquadramento dado a este processo político nas primeiras páginas e para a visão da elite jornalística sobre este período manifestado nos editoriais. Situamos pois este trabalho na área do Agenda-Setting e do Framing na medida em que analisamos a forma como os media apresentam a formação do Governo e as questões que mais salientam durante a negociação política que, no nosso entender, não se podem desligar da maneira como noticiaram os anos de austeridade e a presença da Troika em Portugal. Os resultados mostram que, apesar de derrotado nas urnas, o Secretário-Geral do PS António Costa é a figura principal de um período que é apresentado em torno de dois eixos centrais: Estabilidade (associada à coligação PSD/CDS) / Instabilidade (associada ao PS e à esquerda). Acompanhando a tendência do jornalismo político, é o jogo das negociações e não as políticas em causa que surge destacado pela imprensa cujo discurso dominante chumba a formação de um Governo de Esquerda por motivos económicos e simbólicos.

Palavras-chave : Jornalismo político; Agenda-Setting; Framing; Governo de Esquerda; Media e Democracia.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons