SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 número4Sinovite Vilonodular Pigmentada do Tornozelo Tratada ArtroscopicamenteAloenxerto de tendão de Aquiles no tratamento de rotura crónica do tendão rotuliano após revisão de artroplastia total do joelho índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Em processo de indexaçãoCitado por Google
  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO
  • Em processo de indexaçãoSimilares em Google

Compartilhar


Revista Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia

versão On-line ISSN 1646-2939

Resumo

CASTRO, João Nunes; RAMIRO, Nuno  e  REIS, José. Traumatismo de alta energia do pé com perda de substância óssea: Reconstrução passo-a-passo. Rev. Port. Ortop. Traum. [online]. 2017, vol.25, n.4, pp.320-330. ISSN 1646-2939.

Objectivo: Um pé esfacelado representa um desafio na cirurgia ortopédica. A decisão entre amputação e tentativa de reconstrução permanece, até aos dias de hoje, baseada numa decisão caso a caso. Descrição: Apresentamos um doente, de sexo masculino,14 anos, vítima de acidente com hélice de um barco e consequente fractura exposta IIIB Gustillo e Anderson (GA) do tornozelo e pé esquerdos A extremidade foi avaliada de com o “Mangled Extremity Severity Index” (MESS) tendo sido obtido um valor de 6. Aquando o desbridamento e estabilização com fixador externo verificou-se uma necrose óssea extensa do médio-pé, decidindo-se enveredar por um tratamento sequencial: revisão da fixação externa, desbridamento, remoção do osso necrosado e cobertura de partes moles com enxerto musculo-cutâneo. A reconstrução final envolveu a utilização de enxerto de ilíaco estabilizado com placa e parafusos. Na avaliação pós-operatória ao 1º ano a função final obtida do membro foi satisfatória, com um resultado de 82 no “American Foot and Ankle Score”(AOFAS) e de 82,5 no “Foot and Ankle Disability Index” (FADI). Comentários: Na literatura existe uma considerável quantidade de opções terapêuticas. A escassez de evidência cientifica sustenta a controvérsia entre o benefício de um tratamento precoce completo versus um tratamento de reconstrução sequencial. Desta forma, o tratamento de um pé com perda de substância óssea deverá ser baseado numa avaliação clínica adequada e individualizada. As escalas de avaliação das extremidades mutiladas, como o MESS, são úteis mas não constituem por si só fundamento suficiente para se determinar a viabilidade ou a amputação do membro.

Palavras-chave : Pé esfacelado; perda de osso; fractura exposta; enxerto autólogo; osteossíntese.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons