SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 número4Efeitos da quantidade e do regime de prática variada após a prática constante sobre o processo adaptativo de aprendizagem motoraO efeito do auto-estabelecimento de metas na aquisição de uma habilidade motora índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Motricidade

versão impressa ISSN 1646-107X

Resumo

GUERRA FILHO, Jairo Laécio et al. Validade de diferentes equações de predição da carga máxima em atletas de artes marciais mistas. Motri. [online]. 2014, vol.10, n.4, pp.47-55. ISSN 1646-107X.  http://dx.doi.org/10.6063/motricidade.10(4).2948.

O objetivo do estudo foi verificar a validade de diferentes equações preditivas de uma repetição máxima (1-RM) no exercício supino horizontal (SH) com barra em atletas de artes marciais mistas (MMA). Participaram do estudo 19 homens atletas de MMA (27.68 ± 6.19 anos). A coleta de dados referentes às cargas de trabalho no SH foi realizada em dois momentos: 1) no teste de 1-RM; 2) no teste submáximo e seus respetivos números de repetições. Verificou-se por meio do teste t de Student para amostras pareadas que, dentre as seis equações comparadas com o teste de 1-RM, apenas as de Adams (p= 0.337) e O’Conner (p= 0.250) não apresentaram diferenças significativas; todavia, houve uma elevada correlação de Pearson e um elevado índice de correlação intraclasse (r= 0.924, ICC= 0.924; r= 0.944, ICC= 0.944), respetivamente. Entretanto, todas as equações apresentaram altas correlações que variaram entre 0.856 e 0.944. Conclui-se que para uma estimativa dos valores de 1-RM, as equações preditivas de Adams e O’Conner são válidas em atletas de MMA.

Palavras-chave : supino horizontal; equações de predição; teste de 1-RM; artes marciais mistas.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons