SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 número2Efeitos da experiência nas dimensões de intensidade, direção e frequência da ansiedade e autoconfiança competitiva: Um estudo em atletas de desportos individuais e coletivosPercepção subjetiva de esforço como marcadora da duração tolerável de exercício índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Motricidade

versão impressa ISSN 1646-107X

Resumo

BASTOS, Carmen Lúcia Borges et al. Influência aguda do alongamento estático no comportamento da força muscular máxima. Motri. [online]. 2014, vol.10, n.2, pp.90-99. ISSN 1646-107X.  http://dx.doi.org/10.6063/motricidade.10(2).3077.

O objetivo deste estudo foi comparar a influência aguda do alongamento estático sobre a força muscular máxima (1RM). A amostra não probabilística foi constituída de 30 indivíduos divididos em dois grupos: grupo alongamento estático (GA= 15) e grupo sem alongamento (GC= 15). Para avaliação da força muscular através do teste de 1RM foi utilizado um dinamómetro modelo 32527pp400 Pound push/pull acoplado nos aparelhos cadeira extensora (CE) e supino reto/horizontal (SH). Utilizou-se o teste de Wilcoxon para as comparações intragrupos e o teste de Kruskal-Walis para as comparações intergrupos (p< 0.05). Não foram observadas diferenças estatisticamente significativas (p> 0.05) entre o GA e o GC para o exercício CE e SH. Pode-se concluir que não houve redução no desempenho do teste de 1RM para os exercícios CE e SH, quando precedidos por alongamento estático.

Palavras-chave : força muscular; alongamento; alongamento estático.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons