SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número18Diversidade Linguística na Escola PortuguesaPrevalência da Dislexia entre Crianças do 1.º Ciclo do Ensino Básico falantes do Português Europeu índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Lusófona de Educação

versão impressa ISSN 1645-7250

Resumo

GONCALVES, Teresa. Linhas orientadoras da política linguística educativa da UE. Rev. Lusófona de Educação [online]. 2011, n.18, pp.25-43. ISSN 1645-7250.

Em vários documentos-chave (recomendações, planos de acção, quadros, pesquisas/ estudos, relatórios, directivas e comunicações), sobre política educativa (PE), política linguística (PL) e política linguística educativa (PLE) (tomadas de decisão em relação ao ensino das línguas num Estado, nos contextos formais de educação e nos contextos informais), principalmente os publicados a partir das Cimeiras de Lisboa (ou Estratégia de Lisboa, lançada em 2000) e Barcelona (2002), emanados da Comissão das Comunidades Europeias (CCE), do Comité Director da Educação do Conselho da Europa (CDECE), da Divisão das Políticas Linguísticas (DPL) e do Centro Europeu para as Línguas Vivas (CELV), a União Europeia (UE) tem vindo a veicular linhas orientadoras sobre o ensino/aprendizagem das línguas no mesmo espaço económico e sociopolítico. Neste artigo vamos passar em revisão alguns documentos oficiais da UE de referência que explicitam essas mesmas linhas orientadoras, procedendo à sua apresentação.

Palavras-chave : política linguística educativa da União Europeia; ensino/aprendizagem de línguas; multilinguismo; plurilinguismo; TIC.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )