SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 número3Contributos para a adaptação e aferição de duas medidas de suporte socialSobre a vulnerabilidade… índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Resumo

BRITO, Irma et al. Fatores associados ao consumo de álcool na adolescência, em função do género. Psic., Saúde & Doenças [online]. 2015, vol.16, n.3, pp.392-410. ISSN 1645-0086.

De acordo com o último relatório do ESPAD (2012), 74% dos adolescentes portugueses reportaram ter consumido bebidas alcoólicas no último ano, 52% no último mês e 22% reportaram “binge drinking”. O consumo de álcool é um problema grave e prevalente entre os jovens, sendo indispensável identificar fatores associados a este consumo, por forma a desenvolver estratégias preventivas eficazes. Objetivos: Descrever as perceções sobre os fatores de risco e protetores associados à experimentação e ao consumo regular de álcool na adolescência, de acordo com o género. Metodologia: Recorreu-se à técnica de grupos focais, através da metodologia “World Café”. Organizaram-se nove grupos de estudantes (n=243): 2 grupos masculinos, 2 femininos, 4 mistos (de consumidores de álcool) e 1 grupo misto de jovens abstémicos. Os dados foram transcritos e analisados de acordo com a metodologia de análise de conteúdo. Resultados: Os participantes identificaram fatores de risco associados à experimentação (ex. atitudes da família face ao consumo) e ao consumo regular de bebidas alcoólicas (ex. gestão de emoções negativas). Foram encontradas diferenças de género na experimentação; as atitudes dos familiares face ao consumo surgem como mais relevantes para os rapazes, enquanto nas raparigas, a influência dos pares parece ter um papel mais preponderante. Conclusões: Os dados revelam diferentes fatores associados ao consumo de álcool na adolescência e identificam diferenças entre géneros. Os programas preventivos devem ter em conta estas diferenças e desenvolver ações suportadas pelas mesmas. Concomitantemente, revela-se importante que estes envolvam os pais, consciencializando-os para a influência dos seus comportamentos nos filhos.

Palavras-chave : Consumo de álcool; Adolescência; Fatores de risco e protetores; Metodologia World Café.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons