SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número1O bem-estar em cuidados paliativos: perspetiva do doente versus profissionais de saúdeFisioterapia na autoestima de mulheres com incontinência urinária: estudo longitudinal índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Resumo

SILVA, Neuza; CARONA, Carlos; CRESPO, Carla  e  CANAVARRO, Maria Cristina. Significações parentais positivas na prestação de cuidados a crianças/ adolescentes com asma. Psic., Saúde & Doenças [online]. 2014, vol.15, n.1, pp.154-168. ISSN 1645-0086.  http://dx.doi.org/10.15309/14psd150113.

A prestação de cuidados a crianças/adolescentes com condições crónicas tem sido associada a níveis elevados de desgaste e menor qualidade de vida (QdV); no entanto, os pais podem também experienciar gratificações que, facilitando uma atribuição de significados positivos à prestação de cuidados, podem contribuir para melhor adaptação. Este estudo pretendeu analisar as associações directas e indirectas, via reinterpretação positiva, entre as gratificações resultantes da prestação de cuidados e a QdV dos pais de crianças/adolescentes com asma, bem como a invariância destas associações entre grupos etários e níveis de gravidade da asma. Um total de 180 pais de crianças/adolescentes entre 8 e 18 anos reportaram as suas experiências de gratificação (Escala de Desgaste do Cuidador), o recurso à reinterpretação positiva enquanto estratégia de coping (Brief Cope) e a sua QdV (WHOQOL-Bref). Análises de equações estruturais mostraram um bom ajustamento do modelo de mediação (x2/gl=1,74; CFI=0,95; RMSEA=0,06), que explicou 14% da variabilidade da QdV dos pais. As gratificações associaram-se positivamente à reinterpretação positiva (ß=0,19; p=0,02), que por sua vez se associou com a QdV (ß=0,36, p<0,01). Não foi encontrado efeito directo das gratificações na QdV, mas o efeito indirecto via reinterpretação positiva foi estatisticamente significativo (ß=0,07; BC95%CI=0,01/0,14). Análises multigrupos demonstraram a invariância do modelo estrutural entre grupos etários (Δx2=0,89; p=0,35) e níveis de gravidade da asma (Δx2=1,91; p=0,17). Estes resultados sugerem que intervenções psicológicas focadas no reconhecimento e valorização das gratificações e na reavaliação positiva da prestação de cuidados podem promover processos de coping mais adaptativos e melhorar a QdV dos pais.

Palavras-chave : Asma pediátrica; Coping; Gratificação na prestação de cuidados; Pais/ cuidadores familiares; Qualidade de vida; Reinterpretação positiva.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )