SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 número3Adaptação da escala de ansiedade pré-escolar, de s. SpenceEscalas de avaliação da interação mãe-bebé: Versão portuguesa das interaction rating scales índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Resumo

MENDES, José Carlos da Silva  e  FIGUEIRAS, Maria João. Desfiguramento facial adquirido: breve revisão narrativa. Psic., Saúde & Doenças [online]. 2013, vol.14, n.3, pp.484-501. ISSN 1645-0086.

Em 2010, o Instituto Nacional de Estatística de Portugal (INE) indicou que anualmente se realizam cerca de 40 000 médias e grandes cirurgias reconstrutiva e estética. Apesar da sua etiologia, justifica-se uma maior dedicação na investigação de indivíduos que por trauma ou doença perderam a sua “identidade” apresentando um desfiguramento facial. Pretende-se com o presente artigo apresentar uma breve contextualização que descreva o desenvolvimento sobre o desfiguramento facial adquirido causado pela doença (cancro cabeça e pescoço) ou originado pelo trauma (queimados, agressão, outros), recorrendo a literatura publicada em livros e artigos científicos, fazendo também referência a instrumentos validados para a população portuguesa que permitem avaliar o investimento da imagem corporal (ASI-R) e avaliar a autoconsciência da aparência (DAS-24). Referenciar as necessidades e questões psicossociais mais comuns, o tipo de intervenção, a importância do apoio social e quais as estratégias de coping mais frequentes no ajustamento ao desfiguramento facial adquirido.

Palavras-chave : desfiguramento facial; avaliação; intervenção; coping.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )