SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 número1Uma análise qualitativa da convivência da mulher com sua endometrioseAuto-imagem, auto-estima e auto-realização: qualidade de vida na universidade índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Resumo

VINAGRE, Maria da Graça  e  LIMA, Maria Luísa. Consumo de álcool, tabaco e droga em adolescentes: experiências e julgamentos de risco. Psic., Saúde & Doenças [online]. 2006, vol.7, n.1, pp.73-81. ISSN 1645-0086.

A elevada prevalência de consumo de substâncias psicoactivas nos adolescentes e a alteração nos padrões de consumo constituem uma ameaça à sua saúde, bem-estar e qualidade de vida. Pretende-se assim contribuir para a compreensão do problema, através do estudo de algumas variáveis implicadas neste processo. Este estudo, inserido numa investigação mais vasta sobre o tema, tem como objectivos analisar o papel da experiência de consumo dos adolescentes nos julgamentos de risco, e verificar a influência do sexo e idade conjuntamente com as práticas de consumo nos julgamentos de risco. Participaram 585 estudantes dos 10º, 11º e 12º anos de escolas secundárias públicas de Lisboa, através do preenchimento de um questionário que permite caracterizar a sua experiência de consumo assim como a estimativa de risco face a situações/ /cenários construídos para o efeito. Os resultados revelaram que os adolescentes que não consomem percepcionam-se como mais susceptíveis às consequências negativas destes consumos quando comparados com os que têm essa experiência; e quanto maior o seu envolvimento nos consumos menor a estimativa de risco, à excepção do tabaco que parece ser, para a maioria, a substância mais ameaçadora, apesar de muitos continuarem a fumar. Na generalidade, são as raparigas, os adolescentes mais novos e os que possuem menos experiência que apresentam maior percepção de risco. Estes resultados apontam para alguns aspectos relevantes, a equacionar no planeamento e implementação de estratégias de prevenção e educação para o risco, no âmbito dos comportamentos de consumo nos jovens.

Palavras-chave : Adolescentes; Consumo de substâncias; Experiência; Julgamento de risco.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )