SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.serIII número6Literacia em saúde mental de adolescentes e jovens: conceitos e desafiosAnsiedade e necessidades dos cuidadores de crianças com e sem deficiência índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista de Enfermagem Referência

versão impressa ISSN 0874-0283

Resumo

CAMPOS, Paulo Fernando de Souza. História social da enfermagem brasileira: afrodescendentes e formação profissional pós-1930. Rev. Enf. Ref. [online]. 2012, vol.serIII, n.6, pp.167-177. ISSN 0874-0283.  http://dx.doi.org/10.12707/RIII12HM1.

Pretende-se uma abordagem histórico-social da profissionalização da Enfermagem brasileira, tal como proposto pelo modelo oficial de ensino assumido como um dos resultados da Reforma Sanitária de 1920, cuja perspetiva excluía homens e mulheres afrodescendentes da profissão. Os objetivos visam a ampliar o debate em torno das representações construídas sobre afrodescendentes no Brasil após a Primeira República (1889-1930), bem como suas influências na formação da identidade profissional do enfermeiro. O método histórico, fundado em documentação primária, possibilitou considerar que teorias eugénicas vigentes à época atingiram formação e orientação profissional, cujo impacto forjou a identidade profissional centrada na imagem da mulher branca. O estudo concluiu que a Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo redimensionou a enfermagem brasileira ao reintegrar homens e mulheres negras na formação profissional no Brasil.

Palavras-chave : história da enfermagem; educação em enfermagem; identidade de género; escolas de enfermagem.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons