SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 número2Pneumonia adquirida na comunidade numa unidade de cuidados intensivosQuais os parâmetros funcionais que permitem diferenciar asma grave de DPOC? índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Portuguesa de Pneumologia

versão impressa ISSN 0873-2159

Resumo

SOARES, Sandra; COSTA, Isabel; NEVES, Ana Luísa  e  COUTO, Luciana. Caracterização de uma população com risco acrescido de DPOC. Rev Port Pneumol [online]. 2010, vol.16, n.2, pp.237-252. ISSN 0873-2159.

Introdução: O tabagismo é o principal factor de risco da DPOC, estimando-se que 15-20% dos fumadores a desenvolvam. A caracterização desta população de risco é um importante passo na melhoria do diagnóstico de DPOC, que é cada vez mais um desafio nos cuidados primários. Objectivos: Determinar a percentagem de fumadores identificados numa USF na população de utentes entre 45-65 anos e sua caracterização; determinar possíveis relações entre a presença de sintomatologia respiratória e as restantes variáveis; e entre a presença de alterações obstrutivas das pequenas vias aéreas e as restantes variáveis. Material e métodos: Estudo observacional, analítico, transversal, numa unidade de saúde familiar (USF) portuguesa. População: utentes fumadores entre os 45-65 anos, submetidos à aplicação de um questionário e realização de espirometria. A análise estatística foi realizada em SPSS v.13.0 (nível de significância de 0,05). Resultados: A amostra foi constituída por 157 indivíduos (31%  ♀ e 69% ♂ ); idade média de 53,85 anos; idade média de início de tabagismo de 16,64 anos; carga tabágica média de 37,78 UMA. Sintomatologia respiratória esteve presente em 68,8% dos indivíduos, sendo mais frequente nos homens, com iniciação tabágica mais precoce e maior carga tabágica (p<0,05). Alterações obstrutivas das pequenas vias aéreas estavam presentes em 30%, sendo mais frequentes nos mais velhos e com maior carga tabágica (p<0,05). Discussão e conclusões: O subdiagnóstico do tabagismo é alarmante, alertando para a importância da identificação da população de risco e implementação de medidas preventivas direccionadas - que associadas à melhor caracterização desta população poderão contribuir para uma melhoria no diagnóstico e abordagem da DPOC

Palavras-chave : Doença pulmonar obstrutiva crónica; tabagismo; cuidados primários.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )