SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 número3Será uma refeição ligeira fator de erro na avaliação da dureza hepática por elastografia hepática transitória?: Um estudo prospetivo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Jornal Português de Gastrenterologia

versão impressa ISSN 0872-8178

Resumo

AREIA, Miguel; DINIS-RIBEIRO, Mário  e  SOCIEDADE PORTUGUESA DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA (SPED). Um dia de endoscopia digestiva alta num país do sul da Europa. J Port Gastrenterol. [online]. 2014, vol.21, n.3, pp.97-101. ISSN 0872-8178.  http://dx.doi.org/10.1016/j.jpg.2013.05.004.

Introdução: Estudos transversais reportando resultados de Endoscopia Digestiva Alta (EDA) são raramente descritos. Objetivos: Avaliar o desempenho em termos de EDA em hospitais portugueses do Serviço Nacional de Saúde e a prevalência de lesões gástricas pré-malignas. Métodos: Estudo transversal multicêntrico, num único dia, definido aleatoriamente. Resultados: Participaram no estudo 28% dos 43 hospitais convidados, compreendendo um total de 123 EDA. Os exames foram realizados em ambulatório em 84% dos casos e 78% não necessitaram de sedação. As indicações mais frequentes foram presença ou suspeita de hemorragia (20%), dor abdominal ou dispepsia (18%) ou refluxo (12%). Histologicamente foi diagnosticada atrofia gástrica em 19% dos casos (95% IC 8-30%), atrofia extensa ou metaplasia intestinal no corpo em 15% (5-25%) e positividade para o Helicobacter pylori (H. Pylory) em 38% (23-53%). Comparando o tipo de EDA realizada, primeira vs. repetição não foram encontradas diferenças no diagnóstico de atrofia (22 vs. 14%, p = 0,49) e presença de H. pylori (44 vs. 30%, p = 0,36) assim como a idade < vs. ≥50 anos não foi relevante (11 vs. 21%, p = 0,51 e 63 vs. 31%, p = 0,10, respetivamente). Conclusões: A maioria das EDA em Portugal é realizada com segurança em ambulatório e sem anestesia. Dos pacientes, 15% apresentam atrofia extensa ou metaplasia intestinal no corpo que deve ser orientada para vigilância endoscópica segundo recomendações recentes. Embora com uma taxa de participação baixa, este estudo é um ponto de partida para estudos de análise de decisão que avaliem a EDA como uma opção de vigilância para estes doentes de alto risco assintomáticos

Palavras-chave : Endoscopia digestiva; Endoscopia digestiva alta; Gastrite; Atrofia; Metaplasia intestinal.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )