SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 número3Gastroenterite eosinofílica: divertículo duodenal intraluminal como fator predisponente? índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Jornal Português de Gastrenterologia

versão impressa ISSN 0872-8178

Resumo

SANTOS, Liliana et al. Peginterferão α2-a na co-infecção VHB --- VH delta: Um caso de duplo sucesso terapêutico. J Port Gastrenterol. [online]. 2012, vol.19, n.3, pp.151-155. ISSN 0872-8178.

O vírus da hepatite D (VHD) é um vírus satélite, que necessita do vírus da hepatite B (VHB) para a sua replicação. Na maioria dos casos, o VHD suprime a replicac¸ão do VHB e, nestas circunstâncias, está recomendado o tratamento com Interferão. Nos doentes em que não se observa resposta virológica após o 1.◦ ano de terapêutica, o seu prolongamento pode aumentar a taxa de resposta virológica sustentada. Caso clínico: Homem, 42 anos, com hepatite crónica B, anti-HBe positivo e baixa carga viral. Apresentava aminotransferases aumentadas que persistiram, mesmo após negativação do ADNVHB. A positividade da fração IgM do AcVHD conduziu ao diagnóstico de co-infecção VHB-VHD. Foi tratado com PegInterfeão _-2a durante 102 semanas. Observou-se normalização das aminotransferases à 33.a semana, negativação da IgM do AcVHD à 88.a semana e resposta virológica sustentada com perda do AgHB. Comentários: Este caso ilustra a importância de se manter o tratamento nos doentes com infecção VHD até resposta virológica, uma vez que a cura do VHD pode acompanhar-se da cura da infecção VHB.

Palavras-chave : Co-infecção; VHB; VHD; Peginterferão.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )