SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número3Endoftalmite Endógena e Urosépsis por Escherichia coli: Uma Associação Inesperada índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Medicina Interna

versão impressa ISSN 0872-671X

Resumo

FRUTUOSO, Beatriz; MOREIRA, Helena; TORRES-RAMALHO, Paulo  e  LOPES, Luís. Acidemia Metabólica Grave Após Enterocistoplastia de Aumento: Caso Clínico. Medicina Interna [online]. 2017, vol.24, n.3, pp.220-223. ISSN 0872-671X.  http://dx.doi.org/10.24950/rspmi/61/2017.

A acidose metabólica hiperclorémica é uma complicação tardia frequente da ileocistoplastia de aumento e apenas raramente os doentes apresentam acidemia sintomática. Uma mulher de 64 anos com história de ileocistoplastia de aumento três meses antes foi admitida no serviço de urgência por fadiga, dor abdominal, náuseas e vómitos. Analiticamente, apresentava elevação dos parâmetros inflamatórios, disfunção renal, aumento ligeiro da amílase e lípase séricas e acidemia hiperclorémica grave. O diagnóstico inicialmente proposto foi pancreatite aguda. Contudo, atendendo ao diagnóstico diferencial de acidemia com gap aniónico normal, devido à perda de bicarbonato, a hipótese de acidemia pós ileocistoplastia era mais consistente. O tratamento com bicarbonato endovenoso e oral foi instituído, observando-se melhoria clínica e analítica. É essencial prever as alterações metabólicas pós procedimento e considerar todos os diagnósticos possíveis, de modo a diagnosticar e tratar precocemente, prevenindo a morbilidade associada.

Palavras-chave : Acidose; Bexiga Urinária/cirurgia.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons