SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 número4Diz-me como dormes: hábitos e problemas de sono em crianças portuguesas em idade pré-escolar e escolarPedopsiquiatria da primeira infância: caracterização da consulta num hospital central índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Nascer e Crescer

versão impressa ISSN 0872-0754

Resumo

MARQUES, Maria Inês et al. (In)Satisfação com a imagem corporal na adolescência. Nascer e Crescer [online]. 2016, vol.25, n.4, pp.217-221. ISSN 0872-0754.

Introdução: A perceção e satisfação com a imagem corporal (SIC) são preponderantes na autoaceitação do adolescente. Objetivos: Analisar a SIC num grupo de adolescentes. Métodos: Realizou-se um estudo transversal e analítico, com uma amostra de conveniência de jovens dos 12 aos 19 anos de três escolas. Foi aplicado um questionário individual para obtenção de dados demográficos, no qual os jovens assinalaram o número correspondente à imagem que consideravam a sua atual (IA) e a ideal (II), na escala de silhuetas de Stunkard. Avaliou-se a SIC subtraindo o valor da II ao da IA, classificando-se o jovem conforme o resultado: =0 - satisfeito; >0 - insatisfeito por excesso de peso; <0 - insatisfeito por défice de peso. O índice de massa corporal (IMC), calculado pelo peso e estatura aferidos, foi classificado segundo as curvas da Organização Mundial de Saúde. O tratamento estatístico foi realizado pelo SPSS 20.0. Resultados: Foram analisados 323 jovens, 54,8% do sexo feminino, com idade média 15,8 ± 1,7 anos. A SIC foi verificada em 34,4% dos jovens, 55,0% destes raparigas (p=0,967). Os rapazes insatisfeitos consideravam ter peso a menos e as raparigas peso a mais (p<0,001). Foi verificado um IMC adequado em 75,4%; neste grupo 61,5% estavam inSIC, 56,0% destes raparigas (p=0,700). A insatisfação com a imagem corporal foi mais prevalente nos adolescentes com baixo peso (100%), obesidade (78,6%) e excesso de peso (77,4%) (p=0,038). Conclusões: Os resultados sugerem insatisfação com a imagem corporal, mesmo em indivíduos normoponderais. É imprescindível a atenção clínica a este resultado para que se desenvolvam estratégias de intervenção, prevenindo perturbações nestes jovens.

Palavras-chave : adolescência; imagem corporal; satisfação.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons