SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 número1Concentração de urânio em plantas desenvolvidas em solos agrícolas e de escombreira da área mineira da Cunha Baixa (Mangualde)Aplicação dos modelos PESERA e MEDALUS para avaliação dos riscos de erosão do solo e de desertificação da bacia hidrográfica do Vale do Gaio índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista de Ciências Agrárias

versão impressa ISSN 0871-018X

Resumo

GODINHO, B.; ABREU, M.M.  e  MAGALHAES, M.C.. Avaliação biogeoquímica dos solos e do medronheiro na área mineira da Panasqueira. Rev. de Ciências Agrárias [online]. 2010, vol.33, n.1, pp.226-235. ISSN 0871-018X.

As Minas da Panasqueira são uma das mais importantes minas em laboração em Portugal. Ao longo de 100 anos de explora­ção de tungsténio, cobre e estanho produzi­ram-se resíduos que foram amontoados à superfície, em escombreiras, provocando impactos ambientais elevados. Este trabalho teve como objectivo o estudo biogeoquími­co da envolvente das Minas da Panasqueira através da avaliação de solos e plantas de medronheiro (Arbutus unedo L.). Os solos apresentam-se contaminados (mg kg-1) em As (922), Cd (3), Cu (215), Pb (77), W (138) e Zn (260). Nas plantas, apenas o cádmio ocorre em concentrações médias (1,53 mg kg-1) acima do limite tolerável pela generalidade das plantas, no entanto, nenhuma planta apresentava sinais de toxi­cidade. O medronheiro parece ser tolerante às elevadas concentrações totais e da frac­ção disponível (solução DTPA) desses ele­mentos nos solos, podendo por isso, ser usado em programas de fitoestabilização e para aproveitamento dos frutos com o objectivo de produzir aguardente.

Palavras-chave : fitoestabilização; medro­nheiro; Panasqueira; solos contaminados; tungsténio.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons