SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 número2Teores de cobre na água de escorrimento superficial num solo ao qual foi aplicada lama residual urbana com elevada concentração de cobreEvolução do N residual e do pH num Podzol da Campina de Faro, por efeito da fertirrega gota-a-gota num pomar de jovens laranjeiras índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista de Ciências Agrárias

versão impressa ISSN 0871-018X

Resumo

ABREU, M.M.; MATIAS, M.J.; MAGALHAES, M.C.F.  e  BASTO, M.J.. Potencialidades do Pinus pinaster e Cytisus multiflorus na fitoestabilização de escombreiras na mina de ouro de Santo António (Penedono). Rev. de Ciências Agrárias [online]. 2007, vol.30, n.2, pp.335-349. ISSN 0871-018X.

A mina de Santo António, localizada a cerca de 10 km ao norte de Penedono (Viseu), foi um importante centro mineiro, tendo-se aí principalmente explorado o ouro e outros elementos químicos, como o arsénio. Actualmente, todo o complexo mineiro está abandonado e bastante degradado. As escombreiras, cortadas por dois barrancos de grande dimensão, estão sujeitas a intensa erosão eólica e hídrica. Estas apresentam teores totais elevados para vários elementos, dos quais se destacam As, Pb, Cd e Au que atingem, respectivamente, 40 000, 653, 14 e 9,8 mg kg-1 . Estudou-se na área mineira, e em particular na envolvente das escombreiras, os solos e as plantas aí desenvolvidas (Pinus pinaster, Quercus pyrenaica, Castanea sativa, Cytisus multiflorus e uma gramínea do género Agrostis). As águas de drenagem da escombreira não vegetalizada apresentavam valores de pH de 2,58 e teores de As e Cd respectivamente de 160 e 0,05 mg/L. As águas recolhidas a jusante de escombreiras vegetalizadas com pinheiros e giestas, mostraram um decréscimo drástico de todos os elementos, em especial do As que ocorria com valores ambientalmente aceitáveis (<0,1 mg/L). O pH dos solos varia entre 2,9 e 5,3. O arsénio nos solos próximos das escombreiras pode atingir valores de 23900 e 220 mg kg-1 respectivamente para os totais e disponíveis. A fracção disponível de Al e Cu atinge também valores elevados, respectivamente 32,9 e 55,4 mg kg-1, enquanto que os teores de Pb disponível são relativamente baixos quando comparados com os totais. As plantas colhidas nos solos adjacentes às escombreiras são bastante tolerantes aos elementos metálicos pois não manifestam sintomas visuais de toxicidade. O P. pinaster, o C. multiflorus e a gramínea apresentam teores elevados de As, Al e Pb na parte aérea, que são superiores aos das outras espécies. Estas espécies apresentam, no entanto, bom desenvolvimento vegetativo e boa cobertura do solo, minimizando assim a erosão hídrica e eólica. Por esta razão, a fitoestabilização das escombreiras desta mina pode ser efectuada por plantas autóctones do estrato arbóreo (Pinus pinaster), arbustivo (Cytisus multiflorus) e herbáceo (gramíneas do gén. Agrostis) que absorvem e translocam para a parte aérea teores relativamente elevados de As, reduzindo a sua lixiviação.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons