SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.38 número1A tomada de decisões urgentes em circunstâncias extremas: Associações com a reflexão cognitiva e com respostas a dilemas moraisEstereótipos profissionais compósitos: Sobre a geração e teste de traços emergentes índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Análise Psicológica

versión impresa ISSN 0870-8231versión On-line ISSN 1646-6020

Resumen

PEREIRA, Joana Campos; BARBOSA-DUCHARNE, Maria Acciaiuoli  y  DIAS, Pedro. Ajustamento psicológico e desenvolvimento da linguagem de crianças em acolhimento residencial. Aná. Psicológica [online]. 2020, vol.38, n.1, pp.75-86. ISSN 0870-8231.  http://dx.doi.org/10.14417/ap.1731.

Em Portugal, 98% das crianças com menos de três anos de idade retiradas das suas famílias de nascimento vivem em casas de Acolhimento Residencial (AR). A colocação precoce de crianças em AR pode afetar drasticamente seu desenvolvimento. Este estudo tem como objetivo: identificar a frequência de Problemas de Internalização, Externalização e Total, bem como o número médio de palavras utilizadas por crianças em AR; comparar a frequência dos problemas e o vocabulário destas crianças com a amostra normativa da população portuguesa que permitiu a validação e a aferição da Bateria ASEBA em Portugal; analisar as diferenças entre as crianças em AR de acordo com o sexo, integração pré-escolar, presença de irmãos na mesma casa de AR e o tamanho da própria casa de AR e explorar as correlações entre as medidas de ajustamento psicológico e o desenvolvimento da linguagem e as variáveis sociodemográficas. Participaram neste estudo cento e dezasseis crianças portuguesas (56,9% do sexo feminino) com idades compreendidas entre os 0 e os 71 meses (menores de 6 anos). Os dados foram recolhidos através da bateria ASEBA. Os resultados mostraram que estas crianças apresentaram um maior nível de vulnerabilidade em relação ao ajustamento psicológico e ao desenvolvimento da linguagem, quando comparadas com as crianças que vivem com as suas famílias, principalmente aquelas separadas dos seus irmãos e que vivem num contexto fechado que não proporcione experiências de contacto com outras crianças externas ao AR. Estes resultados reforçam a importância de se privilegiar a medida do acolhimento familiar (ao invés do AR), particularmente nesta faixa etária, para que as crianças tenham oportunidade de se desenvolver num contexto familiar normativo.

Palabras clave : Ajustamento psicológico; Desenvolvimento da linguagem; Bateria ASEBA; Crianças; Acolhimento residencial.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons