SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número2Competência social em adolescentes adotados: Estudo comparativo com adolescentes não adotados e em acolhimento residencialQualidade da amizade na adolescência e ajustamento social no grupo de pares índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231versão On-line ISSN 1646-6020

Resumo

FERNANDES, Susana; MCINTYRE, Teresa  e  LEITE, Ângela. Ajustamento psicossocial ao cancro da mama em função do tipo de cirurgia. Aná. Psicológica [online]. 2018, vol.36, n.2, pp.199-217. ISSN 0870-8231.  http://dx.doi.org/10.14417/ap.1205.

Este estudo compara o ajustamento psicossocial à doença em mulheres com cancro da mama submetidas a cirurgia de conservação e mastectomia, prevendo diferenças entre os dois grupos. Procura ainda avaliar se há diferenças no ajustamento ao longo de quatro momentos de avaliação. A amostra foi constituída por 74 mulheres no estádio I-III da doença submetidas a cirurgia. Todas as mulheres responderam a questionários de baseline, antes da cirurgia, e foram seguidas longitudinalmente até ao final dos tratamentos. As dimensões do ajustamento psicossocial avaliadas foram o estado emocional, as representações da doença e a funcionalidade, não se tendo verificado diferenças no ajustamento, para a grande maioria das variáveis psicossociais estudadas, em função do tipo de cirurgia. Contudo, encontramos diferenças significativas para as representações de doença (compreensão da doença) e para a funcionalidade (categoria lazer, sono e dimensão psicossocial), tendo os resultados sido mais favoráveis para as mulheres que realizaram uma mastectomia. Estes resultados são inesperados uma vez que a cirurgia de conservação pretende proporcionar um resultado cosmético mais satisfatório e com taxas de sobrevivência equivalentes às da mastectomia, fazendo supor que se conseguiria obter um melhor ajustamento psicossocial. Os dados encontrados sugerem que o tipo de cirurgia não parece predizer o ajustamento psicossocial. No entanto, considera-se que implicar as doentes na escolha do tipo de cirurgia, sempre que isso seja possível, pode beneficiar uma compreensão mais ajustada acerca da doença e do tratamento, com repercussões mais favoráveis ao nível emocional e da funcionalidade.

Palavras-chave : Cancro da mama; Ajustamento psicossocial; Tipo de cirurgia; Mastectomia; Cirurgia conservadora.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons