SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 issue4Parceria família-creche na transição do bebé para a crecheEmoções em contexto académico: Relações com clima de sala de aula, autoconceito e resultados escolares author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Análise Psicológica

Print version ISSN 0870-8231

Abstract

COSTA, Eleonora C. V.; PAIVA, Carla A.; FERREIRA, Domingos  and  SANTOS, Sofia. Psychosocial and psychopathological predictors of HIV-risk injecting behavior among drug users in Portugal. Aná. Psicológica [online]. 2015, vol.33, n.4, pp.391-406. ISSN 0870-8231.  http://dx.doi.org/10.14417/ap.962.

Apesar da introdução de programas de troca de agulhas e seringas (PTS), a partilha de seringas e de outros materiais permanece comum entre os utilizadores de drogas injetáveis (UDIs) em todo o mundo. Por esta razão, os UDIs estão em elevado risco de transmissão do VIH. Este artigo estuda os determinantes psicossociais e psicopatológicos da partilha entre os UDIs. Compreender a relação entre morbilidade psicológica, conhecimentos sobre o VIH, percepção de risco face ao VIH e comportamentos de partilha é importante para desenvolver campanhas de contenção de partilha entre os UDIs. Foram recrutados 120 homens (76.7%) e mulheres (23.3%) UDIs num serviço de tratamento ambulatório público no norte de Portugal, cuja média de idade foi de 34 (dp=7.56). Os participantes foram caracterizados ao nível das variáveis sócio-demográficas, clínicas e comportamentais, bem como ao nível dos conhecimentos sobre a transmissão e prevenção do VIH, percepção de risco face ao VIH e sintomas psicopatológicos. Quase todos os pacientes (95.8%) foram testados para VIH e 31.7% testaram positivo. Metade tinha uma doença crónica (50.8%) e declarou envolver-se em comportamentos de partilha (51.7%). A maioria possuía conhecimentos corretos sobre a transmissão e prevenção do VIH. A grande maioria considera que o risco face ao VIH é elevado nas suas comunidades (80.8%), mas considera o seu risco pessoal como nulo ou baixo (72.5%). A análise estatística mostrou que as variáveis sócio-demográficas (sexo feminino, baixo nível de escolaridade, viver sozinho) e os sintomas psicopatológicos (obsessão-compulsão e somatização) predizem a partilha. Concluímos que o desenvolvimento e a implementação de campanhas para reduzir a partilha entre os UDIs deve-se concentrar mais nas mulheres, nos UDIs que vivem sós, bem como na avaliação e intervenção precoces nos distúrbios psicopatológicos.

Keywords : Comportamento de risco injectável face ao VIH; Conhecimentos face ao VIH; Percepção de risco face ao VIH; Psicopatologia; Utilizadores de drogas injetáveis (UDIs); Portugal.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License