SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 número3Cherilyn sarkisian - ‘cher' ou o prometeu pós-moderno: dando voz ao ‘marginal'“A terra está ficando toda de sangue”: poesia e guerra em moçambique índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Diacrítica

versão impressa ISSN 0807-8967

Resumo

BISCAIA, Maria Sofia Pimentel. Ainda abanando o barco após todos estes anos: adamastor escreve de volta. Diacrítica [online]. 2015, vol.29, n.3, pp.182-203. ISSN 0807-8967.

Este artigo investiga a construção discursiva do mítico Adamastor em The First Life of Adamastor de André Brink (1993) face ao apresentado no seu hipertexto, Os Lusíadas, de Luíz Vaz de Camões (1572). Esta última obra celebra a iniciativa colonialista portuguesa e, portanto, tem sido primordial na construção da identidade nacional lusa. A identidade construída num passado distante ainda prevalece hoje, estreitamente interligada a noções de nostalgia imperialista. No seu romance, Brink reescreve/recria a figura do gigante como um nativo Sul-africano, proporcionando assim a visão do ‘outro', ao mesmo tempo que o binário é problematicamente revertido já que desta vez é o colonizado que é o sujeito. Esta reversão produz um complexo ‘escrever de volta' que é bastante significativo em termos de género e, em particular, na construção controversa do papel feminino no processo já que poderá argumentar-se que o texto reinscreve paradigmas de misoginia.

Palavras-chave : Adamastor; The First Life of Adamastor; nacionalismo; etnicidade; género.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons