SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número2Some curious cases against cognitive human enhancementO caráter híbrido do conceito de referência em Ricœur índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Diacrítica

versão impressa ISSN 0807-8967

Resumo

EBERT, Rainer. Good to die. Diacrítica [online]. 2013, vol.27, n.2, pp.139-156. ISSN 0807-8967.

Entre aqueles que rejeitam a defesa de Epicuro de que a morte não é nociva para quem morre, é popularmente considerado que a morte é nociva para quem morre, quando nociva para aquele que morre, porque o priva das coisas boas que poderiam ocorrer na sua vida. Esta via é conhecida como a apreciação de privação do valor da morte, da qual Fred Feldman é um dos defensores mais proeminentes. Neste artigo explico porque creio que o argumento de Feldman para a maldade ocasional da morte falha. No seio dum enquadramento epicurista, proponho uma alternativa que responde de forma adequada a um conjunto significativo de intuições amplamente difundidas sobre o valor prudencial. A minha apreciação implica que a morte é quase sempre boa para aquele que morre, mas muitas vezes menos boa do que não morrer. Por último, discuto alguns enigmas que permanecem na minha análise e possíveis formas de resolvê-los.

Palavras-chave : Hedonismo; Epicuro; morte; teoria do valor; Feldman.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )