SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número1Avaliação de porta-enxertos de videira in vitro em condições de estresse por alumínioEnrelvamento em vinha de encosta não regada: II - efeitos no crescimento vegetativo, produção e qualidade do mosto e vinho, casta "cabernet sauvignon" índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Ciência e Técnica Vitivinícola

versão impressa ISSN 0254-0223

Resumo

MONTEIRO, A. et al. Eenrelvamento em vinha de encosta não regada: I - efeito na composição edinâmica das infestantes. Ciência Téc. Vitiv. [online]. 2008, vol.23, n.1, pp.29-36. ISSN 0254-0223.

No presente trabalho é analisado o efeito do enrelvamento, comparativamente à mobilização do solo, na composição, estrutura e dinâmica das infestantes vitícolas. O estudo de três anos (2002-2004) decorreu numa vinha de encosta, não regada, casta ‘Cabernet Sauvignon’, na região Vitícola da Estremadura, Portugal. Foram comparadas três modalidades: mobilização do solo (testemunha), enrelvamento semeado permanente (Lolium perenne ‘Nui’, L. multiflorum ‘Bartíssimo’, Festuca ovina ‘Ridu’, F. rubra ssp. rubra ‘Echo’, Trifolium incarnatum ‘Red’, T. repens ‘Huie’ e T. subterraneum ‘Claire’), e enrelvamento permanente natural. Não se registaram diferenças significativas na biomassa total da vegetação da entrelinha na primavera entre modalidades mas o valor absoluto variou com o ano. As práticas de gestão aplicadas em cada modalidade, designadamente época e número de mobilizações do solo e corte do enrelvamento foram determinantes na evolução da biomassa. A análise canónica de correspondências revelou efeitos significativos entre modalidades nas espécies inventariadas, com implicações nas comunidades residentes. Três anos após o início do ensaio a composição florística na modalidade mobilizada era dominada por espécies dicotiledóneas anuais, designadamente cinco espécies de Geraniaceae, Medicago polymorpha e Sonchus oleraceus. No enrelvamento natural houve um aumento de espécies perenes como Rumex crispus Veronica anagallis-aquatica e Polypogon monspeliensis e de algumas anuais tal como Melilotus indica e Avena sterilis. O aumento daquelas espécies perenes, consideradas como competitivas com a videira implica uma maior frequência dos cortes no verão. No enrelvamento semeado as espécies L. perenne e T. repens mantiveram a sua capacidade de regeneração e a sua abundância reduziu a dominância ou eliminou a maioria das infestantes anuais e perenes inventariadas no enrelvamento natural.

Palavras-chave : Vitis vinifera L.; vinha; enrelvamento; mobilização do solo; infestantes.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )