SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.5 número2Auto-Mutilação em Meio Prisional: Avaliação das Perturbações da Personalidade índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Em processo de indexaçãoCitado por Google
  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO
  • Em processo de indexaçãoSimilares em Google

Compartilhar


Psicologia, Saúde & Doenças

versão impressa ISSN 1645-0086

Psic., Saúde & Doenças v.5 n.2 Lisboa nov. 2004

 

Contribuição para o Estudo da Adaptação Portuguesa das Escalas de Ansiedade,

Depressão e Stress (EADS) de 21 itens de Lovibond e Lovibond

José L. Pais-Ribeiro*1 , Ana Honrado2 , Isabel Leal3

1 Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto, Portugal

2 Universidade Lusíada, Lisboa, Portugal

3 Instituto Superior de Psicologia Aplicada, Lisboa, Portugal

 

RESUMO: A ansiedade e depressão são claramente distintas do ponto de vista fenomenológico mas empiricamente tem sido difícil separar os dois construtos. O modelo tripartido foi desenvolvido para clarificar a relação entre ansiedade e depressão. A escala aqui estudada propõe-se avaliar empiricamente a ansiedade depressão e stress segundo o modelo tripartido: mais especificamente o objectivo do presente estudo é adaptar as escalas de depressão ansiedade e stress de 21 itens numa perspectiva conservadora, ou seja, privilegiou-se um modelo de construção com base na teoria tal como os autores sugerem, tentando encontrar uma solução em língua Portuguesa semelhante à original. A Depression Anxiety Stress Scales (DASS) que aqui designaremos de Escalas de Ansiedade Depressão e Stress (EADS-21) em que o número designa o número de itens, constituem uma escala de 21 itens distribuídos em número igual pelas três dimensões: Depressão, Ansiedade e Stress. Os sujeitos respondem em que medida experimentaram cada sintoma na última emana assinalando numa escala de frequência de quatro pontos. Participaram 200 sujeitos, idade M=19,79, DP=1,11, variando entre os 18 e os 23 anos, que construíram uma amostra de conveniência. Os resultados apontam para uma estrutura semelhante à Australiana apontando para a possibilidade de ser utilizada em Português. A variância comum às duas variáveis-ansiedade e depressão é de cerca de 27% o que constitui uma aproximação satisfatória ao objectivo da utilização destas escalas que é de reduzir a variância comum.

Palavras chave: Ansiedade, Depressão, Estudo de a daptação, Stress.

 

 

Contribution to the Adaptation study of the Portuguese

Adaptation of the Lovibond and Lovibond Depression Anxiety Stress Scales (EADS) with 21 items

ABSTRACT: Anxiety and depression are clearly distinct from a phenomenological point of view. Nevertheless it has proven to be difficult to distinguish these constructs empirically. The scale in the present study intends to evaluate these constructs under the perspective of the tripartite model. The aims of the present study is the adaptation to Portuguese of the Depression Anxiety Stress Scales that in Portuguese become Escalas de Ansiedade Depressão e Stress (EADS-21) with the number 21 designating the number of items distributed in equal numbers by three scales, Depression, Anxiety and Stress. The subjects rate the extent to which they have experienced each symptom over the past week, on a 4-point severity/frequency scale. The EADS items were developed following a theoretical methodology confirmed by an empirical study of the theoretical model. Participants were a convenience sample of 200 Ss, between 18 and 23 years of age (M=19.79, SD=1.11). Results show a structure identical to the original Australian version, with the same items in the same scale. Common variance shared by anxiety and depression is around 27%, suggesting that the solution found in the Portuguese version reduces the traditional overlap found between the depression and anxiety.

Key words: Adaptation study, Anxiety, Depression, Stress.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

REFERÊNCIAS

Brown, T., Chorpita, B., & Barlow, D. (1998). Structural relationships among dimensions of the DSM-IV anxiety and mood disorders and dimensions of negative affect, positive affect, and autonomic arousal. Journal of Abnormal Psychology, 107(2), 179-192.         [ Links ]

Clark, L., & Watson, D. (1991). Tripartide model of anxiety and depression: Psychometric evidence and taxonomic implications. Journal of Abnormal Psychology, 100(3), 316-336.

Daza, P., Novy, D., Stanley, M., & Averill, P. (2002). The Depression Anxiety Stress Scale-21: Spanish Translation and Validation with a Hispanic Sample. Journal of Psychopathology and Behavioral Assessment, 24(3), 195-205.

Gelder, M., Gath, D., Mayou, R. & Cowen, P. (1996). Oxford texbook of psychiatry (3rd ed.). Oxford: Oxford University Press.

Lovibond, P., & Lovibond, S. (1995). The structure of negative emotional states: Comparison of the depression anxiety stress scales (DASS) with the Beck Depression and Anxiety Inventories. Behaviour Research and Therapy, 33(3), 335-343.

Pais-Ribeiro, J., Honrado, A., & Leal, I. (2004). Contribuição para o estudo da adaptação portuguesa das escalas de Depressão Ansiedade Stress de Lovibond e Lovibond. Psychologica, 36, 235-246.

Watson, D., Clark, L., Weber, K., Assenheimer, J., Staruss, M., & McCormick, R. (1995a). Testing a tripartide model: II. Exploring the symptom structure of anxiety and depression in student, adult, and patient samples. Journal of Abnormal Psychology, 104(1), 15-25.

Watson, D., Weber, K., Assenheimer, J., Clark, L., Staruss, M., & McCormick, R. (1995b). Testing a tripartide model: I. Evaluating the convergenct and discriminant validity of anxiety and depression symptom scales. Journal of Abnormal Psychology, 104(1), 3-14.

 

* Contactar para E-mail: jlpr@fpce.up.pt