Scielo RSS <![CDATA[Revista Nutrícias]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=2182-723020150001&lang=en vol. num. 24 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-72302015000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Gluten- and Casein-Free Diet as an Intervention for Autism Spectrum Disorders</b>: <b>a Review</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-72302015000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en The hypothesis that the symptoms of autism spectrum disorders can be affected by excluding foods containing gluten and casein has generated considerable interest among researchers. A review of the literature describing the results of gluten- and casein-free diet as a therapeutic intervention was performed. Based on an analysis of PubMed® citations using the search terms ["casein" OR "gluten" AND "autism"], 64 articles were listed, 7 of which met our inclusion criteria. All, but one, of the papers supported a positive effect for a gluten- and casein-free diet for cases of autism, where symptoms were duly mitigated. Only a few studies have experimentally assessed the potential effectiveness of a gluten- and casein-free diet for cases of autism and the existing studies are based on small sample sizes and on short term treatment duration. Further controlled studies are required to clarify the role of a gluten- and casein-free diet for cases of autism spectrum disorders.<hr/>A hipótese de que as doenças do espectro autista podem ser afectadas pela exclusão de alimentos que contenham glúten e caseína tem gerado considerável interesse entre os pesquisadores. Neste sentido foi realizada uma revisão da literatura que descreve os resultados da utilização de uma dieta isenta em glúten e caseína como terapêutica. Com base nos resultados da pesquisa na PubMed®, utilizando os termos de busca ["caseína" OU "glúten" E "autismo"], 64 artigos foram identificados, dos quais 7 preencheram os critérios de inclusão. Todos, excepto um dos estudos, suportaram o efeito positivo da utilização desta intervenção na atenuação dos sintomas associados ao autismo. Apenas alguns estudos constataram experimentalmente a eficácia da dieta isenta de glúten e caseína e mesmo esses estudos baseiam-se em amostras de pequenas dimensões, bem como em curtos períodos de intervenção. Assim, a realização de mais estudos é necessária para esclarecer o papel da dieta isenta de glúten e caseína como terapêutica para casos de doenças do espectro autista. <![CDATA[<strong>The Etymological and Cultural Evolution of the Word Diet</strong>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-72302015000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en O sentido originário do termo “dieta”, do grego diaita, difere grandemente da significação que assumiu nos nossos dias. O retorno à sua etimologia e ao seu valor cultural inicial possibilitam uma maior compreensão do que significa, realmente, “fazer dieta”, uma expressão que viu o seu significado ficar empobrecido, ao ser utilizado comummente com o sentido de “perder peso”. O retorno à sua origem possibilita, em simultâneo, a compreensão da riqueza simbólica do termo e, a partir dela, a redefinição dos moldes em que pode ser entendida e dada a conhecer pelos profissionais de saúde.<hr/>The original meaning of the term "diet", which has its origin in the Greek term diaita, differs greatly from that assumed today. The return to its etymology and its initial cultural value enable greater understanding of what means, really, "being on a diet", a phrase which saw its meaning become impoverished, to be used commonly to mean "lose weight." The return to their origin enables simultaneously the understanding of the symbolic richness of the term and, from it, redefining the way in which can be understood and made known by health professionals. <![CDATA[<strong>Role of Thiamine in the Leguminous Vegetables for the Prevention and Progression of Alzheimer’s Disease</strong>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-72302015000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en A doença de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa com maior prevalência em idosos. Esta doença induz défices cognitivos graduais e demência amnésica progressiva. Tal é causado pela presença de uma massa anormal de β-amilóide e agregados neurofibrilares constituídos por proteínas TAU. A doença de Alzheimer implica também alterações funcionais dos neurotransmissores, como é o caso da acetilcolina, um neurotransmissor que se encontra relacionado com a memória, que está afectado nesta patologia. Este sintoma da doença - a perda de memória - pode ser prevenido através de uma alimentação rica em nutrientes modulares. Neste caso, a tiamina, como precursor da acetilcolina, torna-se um nutriente fundamental para o correcto funcionamento do sistema nervoso e melhoria da memória. Esta vitamina encontra-se presente nas leguminosas, grupo de alimentos ao qual se reconhece um rol de benefícios para a saúde devido ao teor apreciável de proteínas de origem vegetal, hidratos de carbono complexos, fibra, potássio, ferro e vitaminas do complexo B, particularmente a tiamina. Atendendo a esta conexão entre a acetilcolina/tiamina e a influência de um padrão alimentar saudável sobre o estado de saúde, o baixo consumo de leguminosas na população, especialmente pelas pessoas idosas, surge como uma preocupação de saúde pública. Deste modo, é necessário uma intervenção que vise incrementar o consumo de leguminosas na comunidade, de forma a poderem usufruir das suas vantagens para a saúde, nomeadamente na prevenção e melhoria das doenças neurodegenerativas como a doença de Alzheimer.<hr/>Alzheimer’s is a neurodegenerative disease that mainly affects the elderly. This disease induces gradual cognitive deficits and progressive amnesic dementia, which is caused by the presence of an abnormal mass of beta-amyloid and neurofibrillary tangles composed by TAU proteins. Alzheimer’s disease also implies functional changes of the neurotransmitters like acetylcholine, a neurotransmitter that is related to memory, affected in this disease. This disease symptom - memory loss - can be prevented through nutrient-rich food. In this case, thiamine, as a precursor of acetylcholine, becomes an essential nutrient for the proper functioning of the nervous system and memory improvement. This vitamin is found in the leguminous vegetables, a food group which is known to have a list of health benefits due to a considerable protein content of vegetal origin, complex carbohydrates, fiber, potassium, iron and vitamin B complex, particularly thiamine. Given this connection between acetylcholine and thiamine, and the influence of a healthy food pattern on health status, the low consumption of leguminous vegetables in the population, especially in the elderly, has become a public health concern. Therefore, an intervention is needed aiming the increase of leguminous consumption in the community, to be possible to experience the health benefits, in particular to prevent and improve neurodegenerative diseases like Alzheimer’s disease.