Scielo RSS <![CDATA[Revista Lusófona de Educação]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=1645-725020050001&lang=pt vol. num. 5 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Conhecimento especializado, apoios externos e reforma educativa na época do neoliberalismo</b>: <b>um enfoque no Banco Mundial e na questão das responsabilidades morais na reforma educacional no Terceiro Mundo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este ensaio discute as implicações do conhecimento especializado nas reformas educacionais de países do Terceiro Mundo. Centrando-se nas orientações adoptadas pelo Banco Mundial, que submete a uma impiedosa análise crítica, o autor debruça-se sobre as possibilidades de construir um outro quadro de cooperação e de assistência técnica que não se sujeite às regras do positivismo ideológico e da racionalidade instrumental, hegemónicas nas organizações internacionais de natureza intergovernamental.<hr/>This article discusses the implications of expert knowledge in the educational reforms of the Third World Countries. It focuses on the orientations adopted by the World Bank, which the author analyses critically and mercilessly. Torres analyses the possibilities of building a new pattern of cooperation and technical assistance which wouldn’t be subject to the rules of ideological positivism and of the instrumental rationality, due to the fact that the hegemony in international organizations of intergovernmental nature still persists. <![CDATA[<b>Reconfigurações do Estado e da Educação</b>: <b>Novas Instituições e Processos Educativos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt No terreno da educação (e das políticas sociais em geral) algumas mudanças das últimas décadas traduzem-se quer por uma redefinição dos serviços educativos (e de bem-estar) e do papel do Estado na sua governação, quer pela emergência de novas configurações da participação da educação na regulação social. Um estudo de caso, incidente sobre o subsistema de Escolas Profissionais criado em 1989 em Portugal, permite sinalizar algumas daquelas alterações recentes e propor interpretações acerca do seu signi?cado. A análise do lançamento daquela modalidade de escolarização de nível secundário, de algumas das suas evoluções e de orientações e práticas desenvolvidas em duas Escolas Profissionais sugere que aquela inovação testemunha o ensaio de novas instituições e processos educativos envolvidos com a gestação de um outro modo de regulação - distinto daquele que foi definido como fordista e em que teve lugar o desenvolvimento do(s) modelo(s) de Estado de Bem-estar.<hr/>In the area of education (and social policies), some changes of last decades translate either into a redefinition of educational (and welfare) services and the role of the State in their governance or into the emergence of new configurations of education participation in social regulation. A case study about the Vocational Schools subsystem, created in 1989 in Portugal, allows us to identify some of those recent alterations and to propose some interpretations about their meanings. The analysis of the development of that schooling modality and of some of the guidelines and practices developed in two Vocational Schools suggests that that innovation evidences the experimentation of new educational institutions and processes related to the formation of another regulation mode - distinct from the one that has been defined as fordist and in which the development of Welfare State model(s) has taken place. <![CDATA[<b>Contributos para o debate teórico sobre o desenvolvimento local</b>: <b>Um ensaio baseado em experiências investigativas</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste artigo temos a intenção principal de apresentar uma discussão acerca de oito pontos distintos sobre o desenvolvimento local. Estes pontos não abordam aquelas que são as características básicas do desenvolvimento local, ou outros que poderíamos considerar numa discussão substantiva do campo. A intenção é basear-nos na nossa experiência de investigação e realçar as questões que achamos mais importantes, desenvolver uma argumentação sobre algumas linhas de orientação exploratórias e, ainda, apontar algumas direcções para futuras linhas de investigação.<hr/>In this paper we intend to present a debate on eight different issues concerning local development. These do not refer to the basic characteristics of local development, or other themes that we would integrate in a substantive discussion of the field. On he contrary, we intend to depart from our research experience and stress the issues that we feel as more important, develop arguments on some exploratory guidelines and, finally, to point out some directions towards future researches to be done. <![CDATA[<b>A narratividade educativa na 1ª fase da governação de Oliveira Salazar. </b> <b>A voz das mulheres na Assembleia Nacional portuguesa (1935-1945)</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Com a ascensão de Oliveira Salazar ao governo, no seguimento do golpe militar de 1926 que pôs fim ao período de vida republicana democrática instaurada em 1910, começa a desenhar-se um processo conducente à instauração de um regime autoritário. A Constituição aprovada em 1933 define o novo regime que ficou conhecido por Estado Novo, sustentado ideologicamente por um pensamento antiliberal, de cariz católico, e que vai manter Portugal, em larga medida, alheio às profundas transformações com que se deparam as sociedades europeias. Não obstante, é este regime político que vai conceder às mulheres portuguesas não só o direito de voto, nunca alcançado durante a 1.ª República, apesar das reivindicações feministas, como lhes vai dar assento na Assembleia Nacional. A política educativa de Oliveira Salazar, entre 1935 e 1947, corresponde à formação e consolidação duma escola nacionalista, tendo por fim preparar os novos homens e as novas mulheres que irão servir a sociedade portuguesa, sustentada em três pilares - Deus, Pátria e Família. Com esta comunicação pretende-se divulgar o trabalho desenvolvido no âmbito do projecto Mulheres, educação, poder(es), cujo objectivo principal é trabalhar fontes primárias, como contributo para a escrita da História da Educação das Mulheres no Portugal contemporâneo. Tendo em atenção as intervenções das mulheres deputadas durante três legislaturas (1935-1945), propomo-nos enquadrar a participação feminina no espaço político, estudando os seus discursos, em função da categoria de género.<hr/>With Oliveira Salazar’s accession to the government, following the military coup of 1926 which put an end to the period of democratic republican life established in 1910, a process leading to the establishment of an authoritarian regime took shape. The Portuguese Constitution approved in 1933 defines the new regime which came to be known as Estado Novo [New State] ideologically sustained by an anti-liberal concept of Catholic outlook and which will strongly keep Portugal away from the deep changes with which European societies were faced. Nonetheless, it is this political regime that will grant Portuguese women not only the right to vote, never obtained during the 1st Republic, despite feminist claims, but it will also ensure them a seat in the Assembleia Nacional [National Assembly]. Oliveira Salazar’s educational policies between 1935 and 1947 (first phase of the regime) runs alongside the formation and consolidation of a nationalist school, whose purpose is to prepare the new men and the new women who will serve a Portuguese society supported on three pillars - God, Nation and Family. This paper aims at divulging the work developed within the scope of the project Mulheres, educação, poder(es) [Women, education, power(s)] whose main objective is to work upon primary sources as a contribution towards writing the History of Women’s Education in contemporary Portugal. Bearing in mind the interventions of female MPs throughout three legislatures (1935-1945), we propose to draw a framework of feminine participation in the political sphere by examining their speeches with regard to gender categories. <![CDATA[<b>Os missionários da educação e o Instituto Ponte Nova da Bahia</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Durante cem anos - 1871 a 1971 - os missionários da Missão Central do Brasil, vinculados à Igreja Presbiteriana do Norte dos Estados Unidos (PCUSA), partindo da Bahia, organizaram igrejas, escolas e hospitais em sua área de jurisdição - Sergipe, Mato Grosso, Goiás e norte de Minas Gerais. Verificando a realidade do hinterland brasileiro, William Alfred Waddell propôs um novo tipo de instituição educacional, distinta do modelo do Mackenzie College, de São Paulo: uma escola secundária rural, que ofereceria os cursos normal, preparatório de pastores, auxiliar de enfermagem e técnico agrícola. O IPN, como ficou conhecido o Instituto Ponte Nova, foi fundado pela Missão em 1906, a qual organizou e subsidiou até 1971, além da escola, uma igreja e uma escola de auxiliar de enfermagem, a primeira escola do gênero na Bahia, ao lado do Grace Memorial Hospital. O sucesso daquele complexo institucional, integrando religião, educação e saúde, levou a Missão a o rganizar um projeto denominado “Escolas Ponte Nova”. Em 1926, a Missão já tinha aberto no território de sua jurisdição, sete escolas naquele modelo proposto e quatro hospitais.<hr/>Over one hundred years 1871 to 1971 - the missionaries of Brazil’s Central Mission, who belonged to the Presbyterian Church of the North of the United States (PCUSA), left Bahia and organised churches, schools and hospitals in their area of influence - Segipe, Mato Grosso, Goiás and north Minas Gerais. Having analysed the reality of the Brazilian hinterland, William Alfred Waddell proposed a new kind of educational institution, different from the São Paulo Mackenzie College: a rural secondary school offering courses for primary school teachers, for pastors, for assistant nurses and agrarian technicians. IPN, as the Instituto Ponte Nova came to be known, was established by the Mission in 1906, which organised and sponsored, apart from the school, a church and a school for assistant nurses, the first of its kind in Bahia, beside the Grace Memorial Hospital. The success of that institutional complex, integrating religion, education and health, led the Mission to organise a project named “Escolas Ponte Nova” [Ponte Nova Schools]. In 1926 the Mission had already opened seven schools following the proposed model and four hospitals in the area under their jurisdiction. In 1926, there existed agricultural schools in Buriti and Cáceres - Mato Grosso; Jataí and Planaltina - Goiás. In this city, a hospital was built. In Rio Verde, Goiás, a school of nursing and a hospital had been organized. In Araguaia, Mato Grosso, a hospital hospital was built and in Anápolis, Goiás, apart from the school, a hospital was built. <![CDATA[<b>Compreender, Agir, Mudar, Incluir. Da investigação-acção è educação inclusiva</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo pretende fazer uma pequena reflexão sobre um paradigma de investigação, considerado por alguns “menos nobre”, e a sua oportuna e necessária aplicação no processo de construção de uma educação inclusiva. Parte-se de uma breve fundamentação teórica sobre a investigação-acção como estratégia de actuação que pode desencadear profissionais mais reflexivos, mais intervenientes nos contextos em que se inserem e desencadeadores de práticas pertinentes, oportunas e adaptadas às situações com as quais trabalham, para chegar à explicitação de um modelo de actuação que usa a investigação-acção em práticas de educação inclusiva.<hr/>This paper aims at proposing a brief reflection on an investigation paradigm, deemed “less noble” by some, and its timely and necessary application in the process of building an inclusive education. The starting point consists of a brief theoretical basis on investigation-action as an acting strategy that can generate more reflective professionals, more likely to participate in the contexts they belong to and able to become facilitators of appropriate, suitable practices adapted to the situations they work with, to arrive at the creation of an acting model using investigation-action in practices of inclusive education. <![CDATA[<b>Profissionais da educação e sua formação para atuação na educação infantil e séries iniciais do ensino fundamental</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Profissionais da educação de vários setores da sociedade vêm discutindo a concepção de educação, a função da escola, a relação entre conhecimento escolar e a vida social e cultural e o trabalho profissional do professor. Ao mesmo tempo em que propõem uma nova educação escolar, um novo papel para o professor, preconizam, a partir de novas práticas pedagógicas inovadoras, a atuação diferenciada da categoria às novas demandas sociais.<hr/>Education professionals and other sections of society have been discussing the concept of education, the function of the school, the relationship between school knowledge and the social and cultural life, and the teacher’s professional life. At the same time that a new school education and a new role for the teacher are being proposed, a specialized professional performance towards new social requirements is being defended, with innovative educational practices. <![CDATA[<b>Entre a continuidade e a inovação. O ensino superior de Enfermagem e as práticas pedagógicas dos professores de Enfermagem</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo tem como objectivo identificar e caracterizar que mudanças a integração do ensino de enfermagem no ensino superior politécnico desencadeou nas práticas pedagógicas dos docentes de enfermagem. As finalidades do ensino superior de estimular o desenvolvimento do espírito científico, do pensamento reflexivo e da criação cultural, consequentemente relacionado com uma aprendizagem emancipatória, emergiu como um dos objectivo a alcançar na reforma curricular de enfermagem. Nesse âmbito, preconizou-se o estudante como um dos actores na formação e que esta atendesse às suas necessidades de aprendizagem. E o professor, como elemento coadjuvante da formação, tendo sempre em conta a globalidade da pessoa do estudante e a sua relação com o mundo. Para poder compreender o efeito que a integração do ensino de enfermagem no sistema educativo nacional, ao nível do ensino superior politécnico, provocou nas práticas pedagógicas dos professores de enfermagem, analisou-se a forma como estes vivenciaram a reforma educativa e a interligação entre as suas concepções do perfil do enfermeiro bacharel e as estratégias desenvolvidas na formação dos mesmos. Os resultados do estudo evidenciaram um discurso dicotómico polarizado à volta de duas ideias essenciais: o papel do estudante e a concepção de enfermagem subjacente à formação. Uma das posições defendia a inovação, com o estudante como actor da sua formação e com uma concepção de enfermagem centrada na pessoa; enquanto outra, defendia a continuidade no papel passivo do estudante e na concepção de enfermagem centrada na doença. Esta bipolaridade de pareceres sugere algumas situações dilemáticas que emergem na prática pedagógica dos docentes como uma escolha difícil entre o que querem e o que fazem.<hr/>This paper aims at identifying and characterising the changes in the pedagogical practices brought about by the nursing teaching staff as a result of the integration of the nursing course in the Polytechnic Higher Education. Since the goal of the higher education (college education) is to stimulate the development of a scientific spirit, reflective thought and cultural creativity, consequently related to emancipating learning, this has become the goal to achieve as the nursing curriculum reform was done. The major goal would be to promote the student as the major actor of the teaching process, considering his learning needs central to the educational reform. In the teaching process the teacher would be a cooperator with a global view of the student and his relationship with the outside world. The results of this research study showed a dual discourse around two essential ideas: the student’s role in the learning process, and the nursing concept underlying it. While some teachers understood the need for innovation, allowing the student to be the main intervenient of the learning process, and understanding nursing as a profession in which the client is central to the process of nursing care, other teachers took to maintaining the student as having a passive role and the disease central to the nursing concept. This bipolarity suggests some difficult situations among the nursing educators and their practices as they choose between what they want to do and what they do. <![CDATA[<b>Emancipação, ruptura e inovação</b>: <b>o “focus group” como instrumento de investigação</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Declaração de Fortaleza </b> <b>Declaração dos Ministros responsáveis pelo Ensino Superior da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Espaço Lusófono de Ensino Superior (ELES)</b>: <b>ir além da “Declaração de Luanda” e da “Declaração de Fortaleza”?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>(In)disciplina na aula </b> <b>Uma revisão bibliográfica de autores portugueses </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Pedagogia do Oprimido </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Motivação e formação de professores </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>As “Crianças de Rua” em Angola. Um Estudo das Necessidades e dos Potenciais para a Introdução do Ensino Básico Informal </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Externato António Sérgio. Génese e desenvolvimento de uma instituição escolar no Alentejo (1960-1990)</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Espaço geográfico. Estratégias de aprendizagem dos conceitos geográficos e a construção deste saber pelo estudante</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Os manuais escolares (</b><b>CTV</b><b>/Port. B) de 10.º ano, a construção de saberes e a autonomia do aluno. Auscultação aos sujeitos (alunos e professores) mediada por um estudo de caso instrumental</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Escola, professores e cidadania. Concepções e práticas</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Educação virtual</b>: <b>a “rede” eliminando distâncias </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Prostituição</b>: <b>percursos (com) sentidos. Leitura integrativa das trajectórias familiar e escolar no percurso prostitutivo </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100022&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Do saber ser ao saber fazer</b>: <b>missão sócio-educativa e prática docente no ensino superior. Um estudo sobre as representações </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100023&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>A formação inicial do professor para os anos iniciais da Educação Básica no Brasil e em Portugal. Uma análise contextual sobre as reformas educativas da década de 90 </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100024&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>A avaliação da aprendizagem em escolas públicas de ensino médio</b>: <b>um estudo sobre a cultura avaliativa dos professores </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100025&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>As percepções sobre conceitos e práticas de interdisciplinaridade de professores do ensino médio na área das Ciências da Natureza, matemática e suas tecnologias </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100026&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>As mulheres e o atendimento médico. Salvador- Bahia (1850-1888) </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100027&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>As faces de Janus. As políticas educativas em matéria de cidadania nos anos 90 em Portugal </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100028&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Do mundo da leitura para uma releitura do mundo (dialogando com os alunos do projeto de regularização do fluxo escolar - 5.a a 8.a séries) </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100029&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Encontros e desencontros no Ensino Clínico em Enfermagem. Uma abordagem qualitativa centrada na orientação clínica dos enfermeiros num contexto de parcerias </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100030&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Liderança pedagógica e Projeto Educativo. Um estudo de caso </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100031&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Escola - Relações de prazer e desconforto. Função pedagógica do afeto nas relações educativas </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100032&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Professores e encarregados de Educação. O que pensam uns dos outros sobre as funções que têm a desempenhar na vida escolar </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100033&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>O véu e a máscara</b>: <b>um contributo à compreensão dos processos e significados das avaliações de instituições de educação superior </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100034&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena. <![CDATA[<b>Construção de uma trilha como perspectiva de novas oportunidades no contexto social</b>: <b>análise de Projeto de Regularização de Fluxo Escolar implantado no Estado da Bahia </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-72502005000100035&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, neste artigo, clarificar e reflectir sobre a génese e a natureza do “focus group” e sobre sua aplicabilidade no campo investigativo das ciências sociais e, em particular, da Sociologia. Assim optamos por uma descrição do focus group, ou seja, pelos aspectos históricos da sua concepção e da sua aplicabilidade inicial. A seguir, uma re?exão sobre a sua inserção no quadro das metodologias investigativas considerando as relações que se estabelecem entre investigador e investigados. Neste sentido, cabe identificar se essa alternativa pode ser considerada uma técnica ao serviço da investigação ou se, por outro lado, ultrapassa esse limite e pode ser classificada como um método de investigação. Finalmente, apresentamos uma re?exão acerca de sua operacionalização no quadro das ciências Sociais, tendo em vista a opção por uma abordagem qualitativa dos fenómenos sociais.<hr/>In this paper we aim at clarifying and reflecting on the origin and nature of the “focus group” and its applicability to research in Social Sciences, particularly in Sociology. Thus we have opted for a description of the “focus group”, that is, the historic aspects of its creation and its initial applicability. Then a reflection follows on its introduction within the framework of research methodologies by considering the relationships established between the researcher and the researched. In this context the need arises to clarify whether that alternative can be considered a technique serving the investigation or whether, alternatively, it goes beyond that limit and may be considered a research method. Finally we will present a reflection on its implementation within Social Sciences with a view to opting for a qualitative approach to social phenomena.