Scielo RSS <![CDATA[Psicologia, Saúde & Doenças]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=1645-008620180001&lang=pt vol. 19 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Promover e inovar em psicologia da saúde</b>: <b>Número da Revista dedicado ao 12º Congresso Nacional de Psicologia da Saúde</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Que fatores psicossociais se associam à realização do teste ao VIH?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O diagnóstico precoce da infeção VIH tem sido uma prioridade da Direção-Geral da Saúde. Este estudo avaliou os fatores psicossociais associados à realização do teste ao VIH em adultos, em Portugal. A amostra foi composta por 582 participantes da população geral (144 homens e 438 mulheres), com uma idade média de 30,66 anos. Os participantes preencheram questionários relativos a informação demográfica e atividade sexual, risco percebido de infeção VIH, conhecimentos sobre VIH/Sida, estigma e discriminação, vinculação e tolerância à angústia. Os resultados revelaram que 58% dos participantes já realizou alguma vez o teste ao VIH. Uma maior probabilidade de realização do teste mostrou-se associada a maior perceção de risco de infeção VIH (OR = 1,07, 95% CI 1,03/1,12) e mais conhecimento sobre VIH/Sida (OR = 1,33, 95% CI 1,18/1,50), bem como a menor ansiedade relacionada com a vinculação (OR = 0,86, 95% CI 0,75/0,98) e maior tolerância à angústia (OR = 1,37, 95% CI 1,04/1,81). O estigma e discriminação em relação ao VIH não se revelaram significativos. Os resultados sugerem que os indivíduos com mais conhecimento e maior perceção de risco de infeção, maior capacidade percebida para suportar estados emocionais/ físicos aversivos, e níveis mais baixos de vinculação ansiosa têm maior probabilidade de realizar o teste ao VIH. O conhecimento destes fatores pode ter impacto na investigação futura, bem como nas práticas e políticas de saúde pública.<hr/>The early diagnosis of HIV infection has been a priority of the Directorate-General of Health. This study assessed the psychosocial factors associated with HIV testing in adults, in Portugal. The sample comprised 582 participants of the general population (144 men and 438 women), with a mean age of 30.66 years. Participants completed self-reported questionnaires on demographic information and sexual activity, perceived risk of HIV infection, knowledge about HIV/AIDS, stigma and discrimination, attachment and distress tolerance. The results revealed that 58% of participants had already taken an HIV test. Higher odds of taking the HIV test was associated with higher perception risk of HIV infection (OR = 1.07, 95% CI 1.03/1.12), more knowledge about HIV/AIDS (OR = 1.33, 95% CI 1.18/1.50), lower attachment-related anxiety (OR = 0.86, 95% CI 0.75/0.98) and higher distress tolerance (OR = 1.37, 95% CI 1.04/1.81). Stigma and discrimination related to HIV were not significant. The results suggest that individuals with more knowledge and higher perception of HIV risk, higher perceived capacity to withstand aversive emotional/physical states, and lower levels of anxious attachment have higher probability of HIV testing. The knowledge of these factors may have impact in future research as well as in practices and policies of public health. <![CDATA[<b>Habilidades sociais na promoção de saúde</b>: <b>preditoras da saúde mental e sexual</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A saúde, definida como um estado dinâmico que integra aspetos físicos, mentais e sociais, implica a relação entre estes, assumindo-se a sua promoção como uma estratégia relevante, com impacto significativo em estudantes do ensino superior. Os objectivos do presente estudo são: explorar a relação entre habilidades sociais, traços de personalidade e satisfação sexual e verificar se as habilidades sociais predizem as restantes variáveis, em estudantes do ensino superior. Neste estudo transversal, descritivo correlacional, o IHS - Inventário de Habilidades Sociais (Del Prette & Del Prette, 2001, adaptado para a população Portuguesa por Santos, Peixoto, & Meneses, 2017), o NEO-FFI (Lima & Simões, 2000) e a NSSS - Nova Escala de Satisfação Sexual (Santos Pechorro et al., 2015) foram administrados a 200 estudantes, com idade média de 23 anos, de três instituições do ensino superior do Norte de Portugal. As habilidades sociais correlacionaram-se e predisseram os traços de personalidade (explicando entre 5,7% e 33,7% da sua variância) e a satisfação sexual (explicando entre 4,6% e 7,9% da sua variância) da amostra. As habilidades sociais, ao revelarem potencial na promoção da saúde mental e sexual, sugerem a pertinência do seu treino junto de estudantes do ensino superior.<hr/>Health, defined as a dynamic state that integrates physical, mental and social aspects, implies the relationship between them. It is assumed that its promotion is a relevant strategy, with a significant impact on higher education students. The aims of the present study are: to explore the relationship between social skills, personality traits and sexual satisfaction and to verify if social skills predict the remaining variables in higher education students. In this cross-sectional, correlational study, the IHS - Social Skills Inventory (Del Prette & Del Prette, 2001, adapted for the Portuguese population by Santos, Peixoto & Meneses, 2017), the NEO-FFI (Lima & Simões, 2000) and the NSSS - New Sexual Satisfaction Scale (Santos Pechorro et al., 2015) were administered to 200 students, with a mean, age of 23 years, from three higher education institutions of the North of Portugal. Social skills correlated with and predicted the sample's personality traits (explaining between 5.7% and 33.7% of their variance) and sexual satisfaction (explaining between 4.6% and 7.9% of the its variance). Social skills' potential in the promotion of mental and sexual health suggest the pertinence of their training among higher education students. <![CDATA[<b>Sexo casual</b>: <b>autoestima e busca de sensações sexuais em universitárias</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A prática do sexo casual tem sido relacionada à busca de sensações e à autoestima. O objetivo do estudo foi examinar a autoestima, a busca de sensações sexuais e a percepção da satisfação sexual em universitárias com (CEX) e sem experiência (SEX) de sexo casual. Com um desenho transversal comparativo, 1.133 universitárias entre 18 e 25 anos responderam a um questionário on-line com a Escala de Autoestima de Rosenberg e a Escala de Busca de Sensações Sexuais. A autoestima das universitárias dos grupos CEX e SEX foram semelhantes. Contudo, o grupo CEX apresentou maior busca de sensações sexuais geral (t = 10,73; p < 0,001), que esteve correlacionada neste grupo com autoestima (r = 0,13; p < 0,001), número de parceiros sexuais (r = 0,23; p < 0,001), número de experiências sexuais (r = 0,20; p < 0,001) e satisfação com o sexo casual (r = 0,27; p < 0,001). No grupo SEX, a busca de sensações sexuais geral esteve correlacionada negativamente à percepção de prejuízo social (r = -0,16; p < 0,01) e psicológico (r = -0,32; p < 0,001). Os resultados demonstram diferenças na busca de sensações sexuais e percepção da satisfação do sexo casual entre os grupos. Quanto maior é a busca de sensações sexuais, maior é a percepção da satisfação e menor é a percepção dos riscos, prejuízos psicológicos e sociais do sexo casual. No CEX a busca de sensações esteve correlacionada positivamente ao número de parceiros e experiências de sexo casual. Não houve diferença na autoestima entre os grupos.<hr/>The practice of casual sex has been related to the sensation seeking and self-esteem. The objective of the study was to examine the self-esteem, the sexual sensation seeking and the perception of sexual satisfaction in women college students with (CEX) and without experience (SEX) of casual sex. With a comparative cross-sectional design, 1.133 women college students between the ages of 18 and 25 responded to an online questionnaire with the Rosenberg Self-Esteem Scale and the Sexual Sensation Seeking Scale. The self-esteem of the women college students of the CEX and SEX groups was similar. However, the CEX group had a greater search for general sexual sensation seeking (r = 11.46, p <0.001), which was correlated in this group with self-esteem (r = 0.13, p <0.001), number of sexual partners (r = 0.23; p < 0.001), number of sexual experiences (r = 0.20, p <0.001) and satisfaction with casual sex (r = 0.27, p <0.001). In the SEX group, the general sexual sensation seeking was negatively correlated with the perception of social prejudice (r = -0.16, p <0.01) and psychological prejudice (r = -0.32, p <0.001). The results demonstrate differences in the sexual sensation seeking and perception of satisfaction of casual sex between the groups. The greater the sexual sensation seeking, the greater the perception of satisfaction and the lower the perception of the risks, the psychological and social losses of casual sex. In CEX the sexual sensation seeking was positively correlated to the number of partners and experiences of casual sex. There was no difference in self-esteem between groups. <![CDATA[<b>Dor referida</b>: <b>uma breve discussão sobre a percepção da dor</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Verificar a influência do período de referência no relato da Intensidade e Interferência da dor na vida de indivíduos adultos. Participaram 832 indivíduos com dor nas últimas 24 horas. Como instrumentos de medida utilizou-se o Inventário Breve de dor (BPI), o Questionário de Auto eficácia em relação à Dor (PSEQ) e a Escala de Castastrofização da Dor (PCS). O BPI foi aplicado utilizando dois períodos de referência: última experiência dolorosa e últimas 24 horas. Os escores de Intensidade da dor, Interferência da dor nas atividades, Interferência da dor na afetividade e de Interferência da Dor foram comparados entre grupos com diferentes condições dolorosas (G1: dor há menos de 3 meses, G2: dor há mais de 3 meses recorrente, G3: dor há mais de 3 meses contínua). Os indivíduos foram reclassificados considerando os escores finais em GA-relato da última experiência dolorosa&gt;dor nas últimas 24hs, GB-última experiência dolorosa<24hs e GC-última experiência dolorosa=24hs. Os escores médios de Intensidade e de Interferência da dor foram maiores para última experiência dolorosa para todos os grupos. Os indivíduos do G3 apresentaram maiores escores para última experiência dolorosa e interferência da dor nas atividades. Os indivíduos do GB apresentaram maiores escores de catastrofização e menores de auto eficácia. Verificou-se influência do período de referência nos escores de intensidade e interferência da dor na vida dos indivíduos.<hr/>To verify the influence of the reference period on the Intensity and Interference of pain in the life of adult individuals. 832 subjects with pain in the last 24 hours participated. The Brief Pain Inventory (BPI), the Self-Efficacy Questionnaire for Pain(PSEQ) and the Pain Catastrophization Scale (PCS) were used as measuring instruments. BPI was applied using two reference periods: last pain experience and last 24 hours. Pain Intensity, Pain Interference on daily activities, Pain Interference on affectivity were compared between groups with different pain conditions (G1: pain for less than 3 months, G2: recurrent pain for more than 3 months, G3: continuous pain for more than 3 months). The individuals were reclassified, considering the final scores from both BPI and PCS, into GA - report of the last painful experience&gt; pain in the last 24hs, GB - last painful experience <24hs and GC - last painful experience = 24hs. Mean Intensity and Pain Interference scores were higher for last pain experience for all groups. G3 subjects presented higher scores for the last pain experience and pain interference in the activities. GB individuals had higher catastrophic scores and lower self-efficacy scores. There was an influence of the reference period on the pain intensity and interference scores in individuals' lives. <![CDATA[<b>Regulação interpessoal das emoções na alexitimia e a importância do mindfulness disposicional</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A alexitimia, é caracterizada por uma dificuldade em identificar e descrever emoções e um deficit na modulação cognitiva das emoções. O presente estudo investiga a relação entre alexitimia, regulação emocional (intra e interpessoal) e mindfulness disposicional, numa amostra de pacientes com depressão e/ou ansiedade, em terapia cognitivo-comportamental. Trata-se de um estudo transversal, com 241 pacientes, recrutados numa clínica de saúde mental. Foi utilizada a Escala de Alexitimia de Toronto (TAS-20), a Escala de Regulação Emocional dos Outros e do Eu (EROS). Escala de Mindfulness de Filadélfia (PHLMS) para avaliar o mindfulness disposicional. Verificou-se que os pacientes com tendências alexitímicas mais elevadas relataram pioria do afeto (intrínseco), bem como uma diminuição da capacidade de melhorar o afeto (intrínseco e extrínseco), e uma menor consciência mindful. Em termos de género, as mulheres apresentaram uma maior capacidade para melhorar o afeto de maneira extrínseca, e os homens mais dificuldades na descrição das emoções. A avaliação clínica de pacientes com problemas de saúde mental deve considerar as suas dificuldades em nomear e discutir estados afetivos, e que isso não deve ser isolado de uma avaliação dos seus problemas afetivos interpessoais. O mindfulness disposicional, e as terapias baseadas no mindfulness, podem ser recomendadas com este tipo de pacientes.<hr/>Alexithymia is characterized by a difficulty in identifying and describing emotions and a deficit in the cognitive modulation of emotions. The present study investigates the relationship between alexithymia, emotional regulation (intra- and interpersonal), and dispositional mindfulness in a sample of patients with depression and / or anxiety undergoing cognitive-behavioral therapy. This is a cross-sectional study with 241 patients enrolled in a mental health clinic. The Toronto Alexithymia Scale (TAS-20), the Emotional Regulation of Others and Self (EROS) scale, and the Philadelphia Mindfulness Scale (PHLMS) were used. It was found that patients with higher alexithymic tendencies reported worsening of affect (intrinsic), as well as a decreased ability to improve affect (intrinsic and extrinsic), and lower mindful awareness. In terms of gender, women showed a greater ability to improve affect in an extrinsic way, and men significantly greater difficulties in describing their emotions. The clinical evaluation of patients with mental health problems should consider their difficulties in naming and discussing affective states, and this should not be isolated from an evaluation of their interpersonal affective problems. Dispositional mindfulness, and therapies based on mindfulness, may be recommended for this type of patients. <![CDATA[<b>A relação entre cronótipo e horários de desempenho cognitivo da criança Portuguesa</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O aprofundamento do conhecimento sobre as consequências das rotinas de sono no quotidiano das crianças, principalmente a nível escolar, terá outputs não apenas quanto à estruturação das aprendizagens ao longo do dia (com efeito positivo nos resultados académicos e, consequentemente, na autoestima e no sentido de competência das crianças), mas também a nível da promoção da saúde. O presente estudo visa analisar o comportamento de rotina do sono/vigília de crianças em idade escolar com o objetivo de examinar a relação entre o cronótipo e a flutuação da atenção nas mesmas tarefas administradas em diferentes períodos do dia. Neste estudo transversal encontra-se em aplicação um conjunto de provas específicas de atenção a crianças portuguesas do 1.º Ciclo e com idades compreendidas entre os sete e os dez anos. Após aplicação do Questionário do Cronótipo, a amostra foi dividida de acordo com duas categorias de cronótipo - matutino e vespertino - para avaliar o efeito de sincronia (interação entre o cronótipo e a hora do dia em que se observa o desempenho). São esperados resultados que confirmem o efeito de sincronia, ou seja, a relação positiva entre o tipo matutino e o desempenho otimizado em tarefas administradas no período da manhã por contraste com o período da tarde. Por um lado, os dados permitirão auxiliar as famílias e crianças a desenvolver e manter hábitos mais saudáveis no que diz respeito ao sono. Por outro lado, orientar profissionais da Educação no que respeita à adequação de horários escolares para específicas tarefas e desenvolvimento de competências.<hr/>The deepening of knowledge about the consequences of sleep routines in children's daily life, especially at school level, will have outputs not only in structuring learning throughout the day (with a positive effect on academic results and consequently on self-esteem and sense children's competence), but also in terms of health promotion. The present study aims to analyze the routine sleep/wake behavior of school-age children, with the objective of examining the relationship between chronotype and attention fluctuation in the same tasks administered at different times of the day. In this cross-sectional study, a set of specific tests of care for Portuguese children of the 1st Cycle and between the ages of seven and ten are in use. After the Chronotype Questionnaire was applied, the sample was divided according to two categories of chronotype - morning and evening - to evaluate the effect of synchrony (interaction between the chronotype and the time of day in which performance is observed). Results are expected to confirm the synchrony effect, ie, the positive relationship between the morning type and the optimized performance in tasks administered in the morning in contrast to the afternoon period. On the one hand, the data will help families and children develop and maintain healthier sleep habits. On the other hand, to guide education professionals regarding the adequacy of school schedules for specific tasks and skills development. <![CDATA[<b>Avaliação da imagem corporal na cirurgia bariátrica</b>: <b>o contributo português</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Para os graus de obesidade mais elevados, a cirurgia bariátrica é atualmente o tratamento mais eficaz, recomendando-se a avaliação e intervenção psicológica. Este é um estudo exploratório, observacional, e transversal, com amostra não probabilística de 293 sujeitos (amostra clínica de 165 sujeitos de dois hospitais portugueses e amostra não clínica de 128 alunos do Ensino Superior). Para avaliar a insatisfação com a imagem corporal (IIC), utilizou-se a Escala de Silhuetas para Cirurgia da Obesidade (ESCO). Toda a amostra clínica apresentou IIC (preferia corpo de menor volume). Cerca de 41% da amostra não clínica estava satisfeita com a imagem corporal e 58,6% apresentava IIC (47,7% preferia corpo de menor volume e 10,9% corpo de maior volume). Os doentes bariátricos apresentaram IIC mais elevada (5,15 ± 1,75), do que os sujeitos normoponderais ou com pré-obesidade (0,54 ± 0,84), t(274) = 29,06, p = 0,001. A diferença entre participantes com diferentes classes de índice de massa corporal (IMC), em relação à imagem corporal atual (ICA) é estatisticamente significativa, χ2 (7) = 105,94, p = 0,001, sendo que os sujeitos da amostra clínica escolheram figuras de ICA correspondentes a IMC bastante mais acima do seu IMC atual, comparativamente aos sujeitos da amostra não clínica. Este estudo sugere que a ESCO, único instrumento desenhado para avaliar a IIC dos doentes bariátricos portugueses, contribui para os clínicos desenharem intervenções psicológicas individualizas, e potenciar os resultados cirúrgicos.<hr/>Currently bariatric surgery is the most effective treatment for the most severe forms of obesity, to which psychological assessment and intervention are recommended. This study is exploratory, observational, and transversal, with a non-probabilistic sample of 293 subjects (clinical sample of 165 subjects from two Portuguese hospitals and non-clinical sample of 128 college students). In order to assess body image dissatisfaction (BID), we used the Scale of Silhouettes for Obesity Surgery [Escala de Silhuetas para Cirurgia da Obesidade (ESCO)]. The entire clinical sample presented BID (preferred a body with less volume). Approximately 41% of the non-clinical sample was satisfied with the body image and 58.6% presented BID (47.7% preferred a body with less volume and 10.9% a body with higher volume). Bariatric patients presented higher BID (5.15 ± 1.75), than normal-weigh subjects or with pre-obesity (0.54 ± 0.84), t(274) = 29.06, p = 0.001. The difference between participants with different body mass index (BMI) classes, in relation to current body image (CBI) is statistically significative, χ2 (7) = 105.94, p = 0.001, once the subjects from the clinical sample chose images of CBI corresponding to a much higher BMI than their current BMI, in comparison to the subjects from the non-clinical sample. This study suggests that the ESCO, the only instrument designed to assess BID of the Portuguese bariatric patients, contributes to the task of the clinics to design individualized psychological interventions, and to enhance the surgical results. <![CDATA[<b>Meditação mindfulness e esclerose lateral amiotrófica (ela)</b>: <b>uma revisão de literatura</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O diagnóstico de uma doença crónica como a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) tem impacto em doentes e cuidadores. Na literatura, verifica-se um escasso investimento na investigação sobre a influência da prática de mindfulness neste contexto. Deste modo, realizou-se uma revisão da literatura com o objetivo de contribuir para um maior conhecimento sobre o estado da arte nesta temática. A revisão incluiu uma pesquisa de qualquer tipo de publicação, sem restrição temporal, com doentes e/ou cuidadores ELA e uma intervenção do tipo mindfulness. Foram eliminados os duplicados e aplicados os critérios de inclusão e exclusão. No total, 4 estudos avaliaram o impacto do mindfulness em doentes e/ou cuidadores ELA, sendo os benefícios mais frequentes a melhoria da qualidade de vida e a diminuição da ansiedade e da depressão. A influência na progressão da doença não foi unânime entre estudos. A investigação em torno da prática de mindfulness por parte de doentes e/ou cuidadores ELA é escassa e, até agora, a decorrer apenas em Itália. Existe a necessidade de investigações que possam replicar, corroborar/rejeitar e expandir as hipóteses colocadas pelos estudos atuais, bem como introduzir o mindfulness como potencial ferramenta para melhorar a qualidade de vida de doentes e cuidadores ELA, uma vez que apresenta benefícios, sem efeitos adversos conhecidos.<hr/>He diagnosis of a chronic disease as Amyotrophic Lateral Sclerosis (ALS) has impact on patients and their caregivers. In the literature, there is a scarce investment in research related to the influence of mindfulness meditation practice in this context. This way, we carried out a literature review in order to contribute to a wider knowledge of the state of the art in this field. The review included a search for any type of publication, without any temporal constraints, with ALS patients and/or their caregivers and with a mindfulness intervention. The duplicated files were removed and the inclusion and exclusion criteria applied. In total, 4 studies evaluated the impact of mindfulness on ALS patients and/or their caregivers. The most frequent benefits were the improvement of quality of life and the decreasing levels of anxiety and depression. The influence on the disease progression was not unanimous between studies. The research related to the practice of mindfulness by ALS patients and/or their careviers is scarce and, until now, only in Italy. There is the need of more investigations that replicate, support/refute and expand the hypotheses made on these studies, as well as introduce the mindfulness as a potential tool to improve the quality of life of ALS patients and caregivers, as it presents benefits, without known adverse effects. <![CDATA[<b>Práticas e crenças de saúde na comunidade Hindu em Portugal</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O conhecimento do conceito de saúde individual e das crenças e práticas relacionadas, é fundamental para uma convergência de saberes e para um entendimento comum que visa melhorar a saúde do indivíduo e consequentemente, potenciar a saúde e bem-estar da comunidade. Este estudo tem como objetivos identificar crenças e práticas de saúde desenvolvidas na Comunidade Hindu residente em Portugal e analisar como essas crenças e práticas são transmitidas aos elementos mais jovens. Foi utilizada uma metodologia qualitativa, realizando 60 entrevistas semiestruturadas e observação fílmica e fotográfica das práticas realizadas nos templos e nas casas de pais e avós hindus pertencentes a esta comunidade e que falam português. Os dados recolhidos nas entrevistas foram sujeitos a análise do discurso e nas imagens obtidas foram analisadas as práticas e gestos relacionados com a saúde. Os resultados revelam que em Portugal, os hindus recorrem inicialmente às práticas de saúde herdadas dos antepassados e fundamentadas na medicina ayurvédica, as quais são complementadas com as recomendações dadas pela medicina ocidental. Existe uma preocupação em transmitir aos elementos mais novos estas práticas, através da repetição de gestos e da participação nas cerimónias e rituais, para que as mesmas não desapareçam e continuem a fazer parte da sua identidade cultural e familiar.<hr/>The knowledge of the concept of individual health and related beliefs and practices is fundamental for a convergence of knowledge and for a common understanding aimed at improving the health of the individual and consequently enhancing the health and well-being of the community. This study aims to identify beliefs and health practices developed in the Hindu community living in Portugal and to analyze how these beliefs and practices are transmitted to the younger members. A qualitative methodology was used, performing 60 semi-structured interviews and photographic and photographic observation of the practices performed in the temples and houses of Hindu parents and grandparents belonging to this Portuguese-speaking community. The data collected in the interviews were subjected to discourse analysis and the images obtained were analyzed the practices and gestures related to health. The results reveal that in Portugal, Hindus initially resort to health practices inherited from their ancestors and based on ayurvedic medicine, which are complemented by the recommendations given by Western medicine. There is a concern to transmit these practices to the younger members through the repetition of gestures and participation in ceremonies and rituals, so that they do not disappear and continue to be part of their cultural and family identity. <![CDATA[<b>A relação de supervisão em psicoterapeutas</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A supervisão tem vindo a ser estudada com acrescida intensidade ao longo dos últimos vinte anos, no entanto, a relação de supervisão nomeadamente as suas dimensões têm sido pouco estudadas em psicoterapeutas. Pretende-se estudar as dimensões relacionais Abertura, Desafio, Estrutura, Base Segura, Educação Reflexiva e Suporte da relação. Utilizou-se um questionário em internet ao qual responderam 229 sujeitos portugueses e brasileiros com formação em psicoterapia. Foi efectuada a análise descritiva de alguns dos dados obtidos, análise da validade interna confirmatória e validade convergente referente às dimensões das escalas. Após a aplicação da validade interna confirmatória obtém-se que, de um modo geral, existe concordância entre o modelo obtido e o modelo original, contudo com a exclusão do item 4 da escala S-SRQ. Ambas as escalas demonstraram avaliar aspectos diferentes sobre a relação, contudo, suficientemente capazes de se relacionarem entre si.<hr/>The supervision has come to be studied with increased intensity throughout the last twenty years, however, the relation in supervision between supervisor and supervisee, namely its dimensions, have been little studied in psychotherapists. It is intended to study the relational dimensions Opening, Challenge, Structure, Safe Base, Reflexive Education and Support of the relation. An online questionnaire was answered by 229 Portuguese and Brazilian citizens with formation in psychotherapy. The descriptive analysis of some of the data (regarding the relational dimensions) has been done, confirmatory internal validity, with referring convergent validity to the dimensions of the scales. With the confirmatory internal validity it has been discover that there is no big differences between the original model and the present model, with the exception of the exclusion of the item 4 from S-SRQ scale. In other side, it has been found that the two scales converge by the application of them in the context of different aspects of the relation of the supervisor and the supervisee. <![CDATA[<b>Silver rainbow</b>: <b>estigma em homens gays idosos, uma perspetiva de stress minoritário</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt É expectável que até 2050 a população com idade superior a 60 anos, atualmente representada por 841 milhões, passe a dois bilhões. As investigações atuais demonstram um aumento significativo da população LGBT nesta faixa etária, ao passo que a literatura tem-se manifestado desatualizada e insuficiente e parece não acompanhar as necessidades destes indivíduos. Prevê-se que em Portugal, até o ano 2080, a população idosa passe de 2,1 a 2,8 milhões, a par de um decréscimo significativo da população jovem. Esta população, constituindo-se como minoria sexual e idosa, está particularmente sujeita a um duplo estigma. O estigma (internalizado, institucional, ou preconceito) tem repercussões relevantes na saúde geral. Em específico, a saúde relacional pode ser drasticamente afetada, atingindo variáveis essenciais como a satisfação relacional e sexual. Além de haver um efeito negativo da idade sobre a satisfação sexual, o estigma aumenta a probabilidade de ocorrência de algumas perturbações sexuais, bem como problemas relacionais conjugais, familiares e sociais. Ainda, sabe-se que a população LGBT idosa possui uma maior prevalência de perturbações mentais do que a população heterossexual. Pretende-se, então, efetuar uma revisão da literatura sobre o impacto do duplo estigma nas relações sociais, amorosas e sexuais, destacando a população de homens gays idosos.<hr/>It is expected that by 2050 the population over the age of 60, currently represented by 841 million, will reach the number two hundred million. Current research demonstrates a significant increase of the LGBT population in this age group although literature is currently outdated and insufficient, and does not seem to address the needs of these individuals. It is expected that in Portugal, by the year 2080, the elderly population will go from 2,1 to 2,8 million, along with a significant decrease of the young population. This population, as a sexual and elderly minority, is particularly subjected to a double stigma. Stigma (internalized, institutional, or prejudice) has relevant repercussions on general health. Specifically, relational health can be drastically affected, namely relational and sexual satisfaction. In addition to the negative effect of age on sexual satisfaction, stigma increases the likelihood of occurrence of sexual disturbances as well as marital, family and social problems. Moreover, it is known that the elderly LGBT population has a higher prevalence of mental disorders than the heterosexual population. Therefore, it is our aim to review the literature on the impact of double stigma on dyadic and sexual relationships among elderly gay men. <![CDATA[<b>Representações e consequências percebidas da menopausa e andropausa</b>: <b>resultados preliminares do evisa</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A menopausa e andropausa são processos caracterizados por várias mudanças. Porém, a investigação na área tem focado as questões médicas, descorando as variáveis psicossociais, bem como a sua influência na vivência desta etapa. Assim, o objetivo deste estudo (parte do estudo EVISA) é avaliar as representações que mulheres portuguesas têm sobre estes processos e respetivas consequências percebidas. Foram realizadas 10 entrevistas semiestruturadas a mulheres portuguesas (43 a 86 anos). Subsequentemente, a análise de conteúdo e temática das entrevistas foi feita por dois avaliadores de forma dependente, com recurso ao MAXQDA, seguida por uma análise de frequências. A cessação de menstruação e os sintomas vasomotores foram as representações da menopausa mais frequentes (50%), sendo a primeira a consequência positiva mais mencionada (50%) e a segunda a negativa (40%). Quanto às representações de andropausa, as respostas mais dadas foram associadas ao envelhecimento, variações na líbido, perda de capacidades e a visão da andropausa como um processo equivalente à menopausa (30%). A maioria das participantes considera não existirem consequências positivas (60%), e a depressão foi identificada como a consequência negativa mais referida (30%). Estes resultados preliminares fornecem informações importantes quer para a investigação, como para a prática clínica, dado que as representações das mulheres (especialmente sobre a menopausa) poderão influenciar a vivência desta fase do ciclo da vida.<hr/>Menopause and andropause are processes characterized by several changes. However, research on this field has focused on medical issues, disregarding psychosocial variables and their impact on this stage of the life cycle. Therefore, the aim of this study (integrated in the EVISA study) is to evaluate Portuguese women's representations about these processes and their perceived consequences. Ten semi-structured interviews were conducted with Portuguese women (43 to 86 years). Afterwards, content and thematic analyses were conducted to the interviews by two dependent evaluators, using MAXQDA software, followed by a frequency analysis. Menses cessation and vasomotor symptoms were the most frequent representations of menopause (50%), with the first being the most mentioned positive consequence (50%) and the latter the negative (40%). As to the andropause representations, the most frequent responses were related to the aging process, libido variations, loss of capacities and the vision of andropause as an equivalent process to menopause (30%). Most participants believe there are no positive consequences (60%), and depression was identified as the most mentioned negative consequence (30%). These preliminary results give important information for both research and clinical practice, given that women's representations (namely, about menopause) can influence the way this stage of the life cycle is experienced. <![CDATA[<b>Transição para a parentalidade, trabalho familiar e saúde das mulheres</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Na transição para a parentalidade, os casais heterossexuais adotam papéis de género tradicionais. As mulheres assumem mais responsabilidades no trabalho familiar (Katz-Wise, Priess, & Hyde, 2010). As dificuldades para conciliar trabalho remunerado e família podem influenciar a saúde das mulheres (Rantanen, 2008). Este trabalho tem por objetivo revelar os discursos (Billig, 1987) que mantêm as disparidades de género no trabalho familiar durante a transição para a parentalidade. Vinte casais durante o terceiro trimestre de gravidez responderam a uma entrevista em profundidade sobre as expetativas quanto à divisão do trabalho familiar e à conciliação com o trabalho remunerado. Os dados foram analisados de acordo com os princípios da Análise do Discurso (Potter & Wetherell, 1987), com o objetivo de identificar os repertórios interpretativos que sustentam a maior responsabilidade das mulheres na família. A análise revela uma interpretação essencialista dos géneros (Connell, 2009), que considera a mãe preparada por natureza para cuidar das crianças. A atribuição exclusiva dos cuidados à mãe está associada com as preocupações das mulheres para a conciliação com o trabalho retribuído. Os resultados evidenciam a necessidade de intervenções para desconstruir os discursos que mantêm a distribuição desigual das responsabilidades, com o objetivo de prevenir os riscos para a saúde das mães trabalhadoras.<hr/>During the transition to parenthood, heterosexual couples adopt traditional gender roles. Women undertake more responsibilities in family work (Katz-Wise, Priess, & Hyde, 2010). Difficulties in balancing paid work and family can influence women's health (Rantanen, 2008). This paper aims to disclose discourses (Billig, 1987) that maintain the gender gap in family work during the transition to parenthood. Twenty couples during the third trimester of pregnancy responded to an in-depth interview on expectations about the division of family work and work-family balance. Data were analysed according to the principles of Discourse Analysis (Potter & Wetherell, 1987), with the aim of identifying the interpretive repertoires that support the greater responsibility of women in family work. Results revealed that couples referred to an essentialist view of gender (Connell, 2009), which considered women as essentially predisposed to mothering. Exclusive maternal responsibility for child-care is associated with women's concerns for work-family balance. Findings evidenced the need for interventions aimed at deconstructing discourses that maintain the unequal distribution of responsibilities, in order to prevent health risks for working mothers. <![CDATA[<b>Crenças e atitudes dos cuidadores formais quanto à sexualidade dos idosos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A forma como os cuidadores experienciam a sexualidade dos idosos tem implicações na sua identidade e nas suas manifestações sexuais. Existem poucos estudos que se focam no significado do cuidar dos idosos, tendo em conta a sua sexualidade. Este estudo tem como objetivo explorar as experiências dos cuidadores formais (FC) em relação à sexualidade nos idosos e obter uma descrição das suas experiências. Foram disponibilizados dados completos de seis cuidadores que trabalham num lar de idosos opara este estudo qualitativo. Utilizámos um questionário sociodemográfico e um guião de entrevista. Os dados foram submetidos à análise de conteúdos. A resposta mais prevalente dos participantes entrevistados para "crenças acerca do interesse pela sexualidade" foi "limitações de saúde apesar do desejo", para "comportamentos observados de expressão sexual" foi "masturbação", e para "reacções/comportamentos face à expressão sexual” foi "uso do humor". Os futuros programas educacionais e de intervenção na instituição devem ter em consideração os nossos resultados de forma a melhorar a sua eficácia na discussão dessas questões e, em última instância, promover o bem-estar sexual.<hr/>The way caregivers experience the sexuality of older adults has implications to their identity and sexual manifestations. There are few studies that focus on the meaning of caring of older adults, taking into account their sexuality. This study aims to explore the experiences of formal caregivers (FC) towards sexuality among older adults, and to obtain a description of their experiences. Complete data were available from six caregivers working in a nursing home. We used a sociodemographic questionnaire and topic interview guide. The data was subjected to content analysis. The most prevalent response of the interviewed participants for “beliefs about the interest in sexuality” was “health limitations despite the desire”, for “observed behaviours related to sexual expression” was “masturbation”, and for “reactions/behaviours due to the demonstration of sexual expression” was “using humour”. Future educational and intervention programs in the institution should take into account our findings to improve their efficacy on discussing these issues and to ultimately promote sexual wellbeing. <![CDATA[<b>Estudos psicométricos da versão portuguesa do transition</b>: <b>Readiness assessment questionnaire (traq)</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt No contexto da transição dos cuidados de saúde pediátricos para a medicina do adulto, é fundamental avaliar as capacidades de autocuidado e tomada de decisão dos adolescentes/adultos emergentes com condições crónicas de saúde. Assim, este estudo pretendeu validar a versão portuguesa do Questionário de Avaliação da Preparação para a Transição para a Autonomia nos Cuidados de Saúde (TRACS), considerando a estrutura fatorial, fidedignidade e validade discriminante entre sexos, grupos etários e grupos clínicos. Neste estudo transversal, foi recolhida uma amostra de conveniência de 269 adolescentes/adultos emergentes portugueses entre os 16 e 26 anos, saudáveis e com condições crónicas de saúde. O protocolo de avaliação englobou o TRACS e uma ficha de dados sociodemográficos e clínicos. Após eliminação de três itens por especificidades culturais, a análise fatorial exploratória revelou uma estrutura unifatorial, em oposição à estrutura original de cinco fatores. A escala total apresentou boa fidedignidade (alfa de Cronbach = 0,85) e validade discriminante entre sexos (t = 4,96; p < 0,001) entre jovens com menos de 18 anos e jovens com mais de 18 anos (t = -4,22; p < 0,001) e entre grupos clínicos (t = 2,01; p = 0,04). Estes resultados sugerem que a versão portuguesa do TRACS tem propriedades psicométricas adequadas a nível de fidedignidade e validade, permitindo a sua aplicação em contextos clínicos e de investigação.<hr/>In the context of the transition from pediatric to adult healthcare, it is critical to assess the self-care and decision-making skills of adolescents and emerging adults with chronic health conditions. Thus, the present study was aimed at examining the psychometric properties of the Portuguese version of the Transition Readiness Assessment Questionnaire (TRAQ), including its factorial structure, reliability, and discriminant validity between sexes, age-groups, and health conditions. The convenience sample for this cross-sectional study comprised 269 portuguese adolescents/emerging adults aged 16 to 26 years, either healthy or with chronic health conditions. The assessment protocol included the TRAQ translated into Portuguese and a clinical and sociodemographic datasheet. After deleting three items because of cultural specificities, the exploratory factor analysis revealed a one-factor structure, instead of the originally proposed five-factor structure. The total scale presented good reliability (Cronbach's alpha = 0.85) and discriminant validity between males and females (t = 4.96; p < 0.001), between adolescents under 18 and emerging adults over 18 years (t = -4.22; p < 0.001), and between healthy and clinical groups (t = 2.01; p = 0.04). These results suggest that the Portuguese version of the TRAQ has adequate psychometric properties regarding reliability and validity, thus representing a valuable tool for use in clinical and research contexts. <![CDATA[<b>Diagnóstico de doença e literacia em saúde</b>: <b>que associações?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A literatura revela que indivíduos que sofrem de alguma doença apresentam valores mais baixos de literacia em saúde, comparativamente àqueles sem um diagnóstico médico. Seria expectável que, quando acompanhados a longo prazo pelo sistema de cuidados de saúde, beneficiassem de um eventual efeito promotor da literacia em saúde resultante desse envolvimento. O presente estudo transversal visa comparar pessoas com e sem diagnóstico médico de doença quanto à literacia em saúde. Foram estudados dois grupos: Grupo 1 - “sem doença”, constituído por 258 participantes, com idades entre os 18 e os 71 anos (M=33,36; DP=13,08), tendo a maioria o Ensino Superior (64,7%). Grupo 2 - “com doença”, composto por 57 participantes, com idades entre os 18 e os 78 anos (M=42,70; DP=17,55), tendo a maioria o Ensino Superior (61,5%). Administrou-se um questionário sociodemográfico e clínico e a Escala de Literacia em Saúde (ELS). Não existem diferenças estatisticamente significativas entre os dois grupos ao nível da literacia em saúde, que se revela frágil, em particular no domínio crítico. No grupo 2, quando controlada a idade e a escolaridade, não existe uma correlação estatisticamente significativa entre a duração da doença e o nível de literacia em saúde total. Os resultados parecem reforçar a ideia de que não existe, ao nível da literacia em saúde, um efeito protetor do contacto com os serviços de saúde.<hr/>The literature reveals that individuals suffering from some disease have lower values ​​of health literacy, compared to those without a medical diagnosis. It would be expected that, when accompanied in the long term by the health care system, they would benefit from a possible health promoting effect resulting from this involvement. This cross-sectional study aims to compare people with and without medical diagnosis of disease regarding health literacy. Two groups were studied: Group 1 - "without disease", composed of 258 participants, aged between 18 and 71 years (M = 33.36, SD = 13.08). 64.7%). Group 2 - "with illness", composed of 57 participants, aged between 18 and 78 years (M = 42.70, SD = 17.55), most of them with Higher Education (61.5%). A sociodemographic and clinical questionnaire and the Health Literacy Scale (ELS) were administered. There are no statistically significant differences between the two groups in terms of health literacy, which is fragile, particularly in the critical domain. In group 2, when age and schooling were controlled, there was no statistically significant correlation between the duration of illness and the level of literacy in total health. The results seem to reinforce the idea that there is no protective effect of health literacy on contact with health services. <![CDATA[<b>FOODLIT-PRO</b>: <b>Desenvolvimento de literacia alimentar</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt At the National Action Plan for Food and Nutrition 2015-2020, the WHO highlights that poor dietary habits are responsible for many non-communicable diseases (e.g., diabetes, cardiovascular diseases, some cancers). Given the urgency to improve food intake, the lack of consensus over the concept of food literacy and the need of research in this domain, compromises the improvement of eating habits. To identify theoretical gaps, two conceptual models of food literacy (FL) are confronted and goals to develop FL are presented (construct, measure and intervention development) in the ambit of the project FOODLIT-PRO. The first model defines FL as intertwined food-related knowledge, competencies and behaviours that promote physical and psychological wellbeing, having as domains Planning, Selecting, Preparing, and Eating. The second model characterises FL as a combined set of food-related skills and knowledge that support a daily healthy diet, building resilience and incorporating the domains of Preparation, Organisations, Psycho-social Factors, and Knowledge. The lack of psycho-social variables in the first FL model, which is achieved on the second one, highlights the relevance on research concerning psychological dimensions of FL. Aiming the development of this field, this work presents the protocol for the first stage of FOODLIT-PRO.<hr/>No Plano de Acção Alimentar e Nutricional 2015-2020, a OMS realça que maus hábitos alimentares são responsáveis por doenças não transmissíveis (e.g., diabetes, doenças cardiovasculares, alguns cancros). Dada a urgência na melhoria da ingestão alimentar, a falta de consenso sobre “literacia alimentar” e a carência de investigação-acção neste domínio comprometem a melhoria de comportamentos alimentares. Para identificar lacunas teóricas, confrontam-se os dois modelos conceptuais de literacia alimentar (LA) e propõem-se objectivos de desenvolvimento (constructo, instrumento, e intervenção) no âmbito do projecto FOODLIT-PRO. O primeiro modelo define LA como a interligação de conhecimentos, competências e comportamentos relacionados com a alimentação que promovem bem-estar físico e psicológico e compreende os domínios Planear, Seleccionar, Preparar, e Comer. O segundo modelo define LA como um conjunto de conhecimentos e habilidades que suportam uma dieta saudável diariamente, construindo resiliência, e incorporando os domínios Preparar, Organizar, Factores Psico-Sociais, e Conhecimento. A ausência de variáveis psico-sociais no primeiro modelo, colmatada pelo seu sucessor, realçam a importância de investigar dimensões psicológicas da LA. Visando o aprofundamento deste campo, este trabalho apresenta o protocolo para a primeira fase do FOODLIT-PRO. <![CDATA[<b>A qualidade das vivências parentais em três famílias homoparentais Portuguesas</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Estudos internacionais sustentam que são os processos e as dinâmicas familiares determinantes para o ajustamento psicossocial das crianças e não a orientação/identidade sexual dos pais/mães. Quanto às famílias homoparentais por adoção, não foram encontradas diferenças significativas nos níveis de stress parental ou de envolvimento afetivo quando comparadas com famílias heteroparentais por adoção. Contudo, em Portugal a investigação sobre famílias constituídas por mães/pais lésbicas/gays é ainda escassa. A presente investigação teve como objetivo avaliar as dinâmicas familiares e o enquadramento social de famílias de pais gays/mães lésbicas, recorrendo à metodologia qualitativa através da Análise Temática. Foram conduzidas entrevistas semi-estruturadas a três famílias de mães lésbicas/pais gays por adoção. Identificaram-se três principais temas: Motivação para a parentalidade e experiências durante o processo de adoção; Não reconhecimento legal de uma das figuras parentais; e Experiências de Parentalidade. Nas três famílias verificou-se uma forte motivação para a concretização do projeto parental. Por outro lado, o estigma institucional a que foram sujeitas durante o processo de adoção parecem ter influenciado negativamente o seu bem-estar. A qualidade relacional e o elevado envolvimento parental minimizaram os efeitos das dificuldades encontradas em favor do elevado desejo de constituir uma família com filhos.<hr/>International studies sustain that are the family processes and dynamics that determine child's psychosocial adjustment and not parents' sexual orientation/identity. According to the literature, no significant differences were found between adoptive same-gender and different-gender parented families on levels on parental stress levels or emotional closeness. In Portugal, research about lesbian/gay parented families is still scarce. The present study aimed at evaluating the family dynamics and social climate of lesbian mothers/gay fathers using a qualitative methodology through Thematic Analysis. Three adoptive same-gender parented families were interviewed using a semi-structured script. Three main themes were identified: Parental motivations and experiences during the adoption process; Non-recognition of one of the parental figures; and Parental experiences. The three families presented a strong motivation to accomplish a parental project. Nevertheless, the institutional stigma that these parents faced may have negatively influenced influence their well-being. The relationship quality and a strong parental involvement minimized the effects of the difficulties faced in favor of a strong desire to create a family with children. <![CDATA[<b>Relação entre estilos educativos parentais, confiança interpessoal e vinculação na adolescência</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O estudo teve como objetivo principal estudar a relação entre os Estilos Educativos Parentais, a Confiança Interpessoal e a Vinculação aos Pais, Pares e Par Amoroso. Analisou-se também o efeito preditor daqueles estilos na Vinculação aos Pares e ao Par Amoroso e na Confiança Interpessoal. A amostra foi constituída por 170 adolescentes, com idades entre os 12 e os 17 anos. Na recolha de dados foram utilizados: um questionário sociobiográfico; a escala de Crenças Generalizadas de Confiança - Adolescência; a Escala de Estilos Educativos Parentais; o Inventário de Vinculação na Adolescência; e o Questionário de Vinculação Amorosa. Relativamente aos resultados, constatou-se a existência de associações positivas significativas entre os Estilos Parentais e a Vinculação aos Pais, Pares, Par Amoroso e Confiança Interpessoal, o que vai ao encontro da literatura. São de destacar as correlações fortes encontradas entre os fatores da educação parental, Autonomia e Amor, e a Vinculação total materna e paterna, assim como com a Confiança e Comunicação relativas ao pai e à mãe. O Amor e Autonomia apresentam ainda uma associação positiva, moderada e significativa com o fator Confiança da Vinculação aos Pares e ao Par Amoroso. Finalmente, o efeito preditor dos Estilos Parentais nas variáveis em análise, ainda que alguns dos valores sejam modestos, corrobora a influência da educação parental em diversas relações que os adolescentes estabelecem.<hr/>This investigation seeks to study the relationship between Parental Educational Styles, Interpersonal Trust, and the Attachment to Parents, Peers and to the Loving Couple in the period of Adolescence. It was also analysed the predictive effect of these styles on Attachment to Peers and to the Loving Couple and on Interpersonal Trust. The sample consists of 170 adolescents, aged between 12 and 17 years. Data collection was made using the following instruments: Sociobiographic Questionnaire; The Parental Educational Styles Scale; the Generalized Trust Beliefs scale-Late Adolescents; the Inventory of Parent and Peer Attachment; and the Romantic Attachment Questionnaire. The results show significant positive associations between Parental Styles and Attachment to Parents and Peers, Romantic Attachment, and Interpersonal Trust, which is in agreement with the literature. The strong correlations found between the factors of parental education, Autonomy and Love, and the total maternal and paternal Attachment, as well as with the Trust and Communication concerning the father and the mother, should be mentioned. Love and Autonomy also present a positive, moderate and significant association with the factor Trust of the Attachment to Peers and Loving Couple. Finally, the predictive effect of the Parental Styles in the variables under analysis, although some of the values are modest, corroborates the influence of parental education in several relationships that adolescents establish. <![CDATA[<b>Questionário holandês do comportamento alimentar</b>: <b>validação e exploração em adultos com obesidade</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretende-se validar o Questionário Holandês do Comportamento Alimentar (QHCA) numa amostra de adultos com obesidade, e analisar as diferenças entre participantes de São Miguel, Açores, e de Portugal continental, e entre homens e mulheres relativamente à ingestão emocional e externa, e restrição alimentar. No total, 187 adultos com obesidade (70 de São Miguel; 117 de Portugal continental), com uma idade média de 42 anos (DP = 14,36) e um IMC médio de 36 kg/m2 (DP = 4,98), completaram o QHCA e a Escala de Ingestão Compulsiva (EIC). Avaliou-se a validade de constructo (factorial, convergente e discriminante), de critério, a fiabilidade e a sensibilidade do QHCA. Nos resultados, obteve-se um bom ajustamento (X²/df=1,83; CFI = 0,922; TLI = 0,916; RMSEA = 0,067 C.I. 90% ]0,060; 0,074[, p = 0,001), com adequados valores de pesos factoriais (à excepção dos items 21 e 29), de sensibilidade e fiabilidade (α ≥ 0,88). A variância média extraída é adequada (VME ≥ .55), excepto na subescala de restrição alimentar (0,42); as subescalas ingestão emocional e externa não possuem validade discriminante. A correlação entre a EIC e as subescalas do QHCA são positivas e significativas (r = ]0,53; 0,61[, p < 0,001), à excepção da subescala da restrição alimentar (r = 0,03; p < 0,668).A disponibilidade de instrumentos validados é importante para a prática clínica e investigação. O QHCA, um instrumento amplamente utilizado na área, apresenta propriedades psicométricas adequadas nesta amostra portuguesa.<hr/>Aimed the validation of the Dutch Eating Behaviour Questionnaire (DEBQ) in a sample of adults with obesity, and analyse the differences between participants from São Miguel, Açores, and mainland Portugal, and between men and women regarding emotional and external eating, and restrained eating. A total of 187 adults with obesity (70 from São Miguel; 117 from mainland Portugal), with a mean age of 42 years old (SD = 14,36) and a mean BMI of 36 kg/m² (SD = 4,98) completed the DEBQ and the Binge Eating Scale (BES). The construct validity (factorial, convergent and discriminant), criterion, reliability and sensitivity of the DEBQ were evaluated. The results showed a good fit (X²/df = 1,83; CFI = 0,922; TLI = 0,916; RMSEA = 0,067 C.I. 90% ]0,060; 0,074[, p = 0,001), with appropriate values of factorial weights (except items 21 and 29), sensitivity and reliability (α ≥ 0,88). The average variance extracted is adequate (AVE ≥ 0,55), except for the subscale of restrained eating (0,42); the subscales of emotional and external eating have no discriminant validity. The correlation between BES and the subscales of DEBQ is positive and significant (r = ]0,53; 0,61[, p < 0,001), with an exception of restrained eating (r = 0,03; p < 0,668). The QHCA, an instrument widely used, presents adequate psychometric properties in this Portuguese sample. <![CDATA[<b>Percepção de tempo <i>online</i></b>: <b>revisão de literatura</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000100022&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Com o actual avanço tecnológico evidencia-se um conjunto de fenómenos emergentes que necessitam destaque de investigação. Muitas têm sido as consequências a nível da saúde pública e individual no âmbito da utilização das tecnologias de informação e comunicação (físicas, psicológicas e relacionais). A Utilização Problemática da Internet (UPI) ainda carece de consenso tanto no que respeita à sua conceptualização como aos seus critérios de diagnóstico. O objectivo da presente investigação incide sobre uma revisão de literatura referente à UPI e à percepção de tempo individual decorrente dessa sua utilização. Foi realizada uma revisão com critérios sistemáticos previamente estabelecidos, com uma restrição temporal de pesquisa entre 2012 e 2017. São descritos dados referentes às diferentes conceptualizações existentes bem como os critérios fixados para a avaliação do fenómeno online, no qual se inclui a percepção temporal. Conclui-se da necessidade da consolidação dos critérios já existentes para a avaliação e análise da UPI. Esta revisão permitirá o desenvolvimento futuro de um instrumento de um instrumento de medida que mensure a percepção do tempo online. Pretende-se contribuir para o conhecimento científico, através da clarificação da percepção do tempo como um dos critérios prevalentes aquando o momento do diagnóstico da UPI. Esta consolidação poderá permitir que os profissionais de saúde direccionem os seus cuidados às necessidades específicas da população.<hr/>The current state of technological development has brought to light a set of emerging phenomena which represent prime topics for research. The use (and misuse) of information and communication technologies has led to a variety of public and private health issues (physical, psychological and relational). Problematic Internet Use (PIU) still lacks consensus both in regard to its conceptual framework and its diagnostic criteria. The purpose of the current research is to review current literature on PIU and study how an individual's perception of time is impacted by such use. A review was performed using established systemic criteria, encompassing research and papers published between 2012 and 2017. Data is presented for the different conceptual frameworks proposed, as well as the established criteria for the evaluation of the internet use phenomenon, including perception of the passage of time. We conclude that a consolidation of existing criteria regarding PIU is required to promote further evaluation and analysis. The present research is intended to contribute to the development of an instrument for measuring the perception of time spent online, helping clarify this as one of the criteria to be applied to PIU diagnosis. The aforementioned consolidation would also assist health care professional in targeting the specific needs of the population.