Scielo RSS <![CDATA[Psicologia, Saúde & Doenças]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=1645-008620170003&lang=pt vol. 18 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>O estigma e as doenças crónicas</b>: <b>Como o avaliar</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O estigma nas doenças é reconhecido desde sempre. Com o envelhecimento da população e a evolução da investigação em fisiologia e medicina, tal como das condições de vida da população, aumentaram a expetativa de vida e reduziram a mortalidade por doenças agudas, o que teve como efeito o aumento do numero de pessoas com doenças crónicas, e o aumento do estigma que lhe está associado. O objetivo do presente estudo é construir uma escala de avaliação do estigma em situação de doença ou equivalente, que seja genérica e breve para ser útil no sistema de saúde em geral. A escala foi desenvolvida a partir dos itens de escalas existentes em diversos idiomas, usadas com doenças específicas ou em condições específicas. Participaram no estudo 259 indivíduos, 30,1% do sexo masculino, com idade média de 49,49, anos com diferentes doenças ou condições a seguir tratamento e/ou vigilância continuada. A versão final da escala, após análises com rede nomológica, inclui cinco itens. A exploração das propriedades psicométricas, nomeadamente, consistência interna (α {\displaystyle \alpha }α=0,82), estrutura fatorial (unidimensional), convergência e divergência, sensibilidade, mostra uma escala unidimensional e com propriedades métricas adequadas.<hr/>Stigma is recognized as an important issue in chronic diseases. With the aging population, evolving research in physiology and medicine, and better living conditions have contributed to boosting life expectancy, and reducing death from acute diseases, with a consequent increase of people living with chronic diseases and associated stigma. The objective of the present study is to build a scale to assess stigma in conditions of disease or equivalent, that is generic and short so as to be useful and easy to use within the health system. The scale was developed with items from existing stigma scales in diverse languages, used with specific diseases or conditions. Participants are 259 individuals, 30.1% male, mean age of 49.49 years, with various diseases or conditions, undergoing treatment and/or continued vigilance. The final version, after nomologic network analysis, includes five items. Inspection of psychometric properties, namely, internal consistence (α=0.82), factorial structure (unidimensional), convergence and divergence, sensibility, shows that the final scale reaches the objectives of a short scale with adequate metric properties. <![CDATA[<b>Paradigmas de atenção e estigma da doença mental na reforma psiquiátrica brasileira</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O objetivo deste estudo é problematizar a questão do estigma das pessoas com transtornos mentais em sua relação com a política de saúde mental vigente no Brasil, na perspectiva de sua inclusão social. Método: Artigo teórico baseado na matriz normativa da Política Nacional de Saúde Mental publicada até dezembro de 2013 e nos estudos publicados entre 1986 e 2013, com destaque para as principais posições teóricas e políticas sobre o tema da inclusão social de pessoas portadoras de transtornos mentais, estigma da doença mental e modelos de intervenção em saúde mental, no contexto da reforma da assistência psiquiátrica no Brasil. A mudança do modelo de atenção em saúde mental no Brasil que, por sua vez, questiona o paradigma biomédico como forma de intervenção terapêutica -, atende ao projeto da reforma da assistência psiquiátrica com a finalidade, entre outras, de reinserção social do paciente em seu meio. Os projetos que buscam a inclusão social de doentes mentais, possuem racionalidades operacionais heterogêneas e os seus efeitos estão intimamente condicionados as práticas culturais dos locais aonde eles são executados. Na atenção ao doente mental é fundamental o apoio da família e da comunidade. De um lado, as terapias de suporte à família para a compreensão do fenômeno do adoecimento, desmistificando a doença e as suas formas de tratamento e, de outro, os mecanismos de estimulo as redes de apoio social, como formas de amparo na perspectiva de um novo olhar sobre o cuidado em saúde mental.<hr/>The objective of this study is to discuss the issue of stigma of people with mental disorders in their relationship with current mental health policy in Brazil with a view to their social inclusion. Theoretical Article based on normative matrix of the Mental Health National Policy published by December 2013 and in studies published between 1986-2013, highlighting the main theoretical and political positions on the issue of social inclusion of people with mental disorders, stigma of mental illness and intervention models in mental health, in the context of the psychiatric care reform in Brazil. The change in the mental health care model in Brazil that, in turn, questions the biomedical paradigm as a form of therapeutic intervention - attends the psychiatric care reform project for the purpose, among others, social reintegration of the patient in their midst. Projects that seek social inclusion of mentally ill, have heterogeneous operating rationales and effects are closely conditioned cultural practices of places where they run. In attention to the mentally ill is essential to support the family and the community. On the one hand, the family-support therapies to understanding the phenomenon of illness, demystifying the disease and its forms of treatment and on the other, stimulation mechanisms of social support networks, as forms of support in the perspective of a new look at the mental health care. <![CDATA[<b>Cyberbullies, cybervictims and cyberbullies-victims</b>: <b>Discriminant factors in portuguese adolescents</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Enhancers of new and positive opportunities and learning, new technologies are also promoters of risks to the health and well-being of young people. Cyberbullying is one of those risks. The aim of this study was to analyse the differences between cyberbullies, cybervictims and cyberbully-victims for individual, relational and contextual factors. This is a Cross-sectional study. Results showed that cyberbully-victims reported higher alcohol consumption, as opposed to the increased drug use revealed by cyberbullies. Cybervictims reported more emotional symptoms, such as fear and sadness, and less night outs. Cyberbullies were more often involved in fights, and had an easier access to a larger amount of money and were more easy making friends, when compared to cybervictims. Based on the results, it is crucial to develop a greater awareness and education of parents and youth about the dangers of cyberbullying, together with the monitoring of technological development. A strong argument is also made related to the need of the inclusion of youth participation in the definition of public policies to prevent cyberbullying, as well as the need to focus not only in the prevention of cyber-peer related violence, but also to focus on violence-free, positive peer relationships, both virtual and in presence. <![CDATA[<b>Assédio moral no trabalho</b>: <b>Revendo a evidência</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O assédio moral no trabalho tem vindo a ser associado a uma série de problemas de saúde. Sendo um processo continuado tem um impacto em termos sociais, psicológicos e psicossomáticos não apenas nas vítimas mas também nas suas famílias e até nos colegas de trabalho que dele são testemunhas. Afetando a satisfação e o envolvimento profissional, o assédio moral no trabalho acaba por ter também elevados custos económicos e sociais para as empresas, relacionados nomeadamente com as ausências por doença e as reformas antecipadas. Fez-se uma pesquisa na literatura biomédica, das revisões sistemáticas publicada nos últimos dez anos, sobre assédio moral no trabalho também designado por bullying ou mobbing no sentido de esclarecer as particularidades deste fenómeno do mundo do trabalho, entender o seu desenvolvimento, perceber a sua génese no interior das organizações empresariais e analisar os impactos negativos na saúde a que devem estar atentos os profissionais e os serviços no sentido de actuarem em termos da prevenção primária, secundária e terciária.<hr/>The workplace bullying has been associated with a great number of health problems. Being a continuing process has an impact in social, psychological and psychosomatic terms not only on the victims but also on their families and even on their fellow workers who are witnesses. Affecting job satisfaction and involvement, workplace bullying also has high economic and social costs for businesses, including sick leave and early retirement. We have done a research in the biomedical literature, of the systematic reviews published in the last ten years, on workplace bullying or mobbing in order to clarify the peculiarities of this phenomenon of the world of work, to understand its development, to perceive who affects the business organizations and to analyze the negative health impacts that professionals and services should be aware of in order to act in terms of primary, secondary and tertiary prevention. <![CDATA[<b>Aspectos sociocognitivos da obesidade</b>: <b>Estereótipos do excesso de peso</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Além das consequências diretas para a saúde física, a obesidade também reflete as condições psicológicas e sociais dos indivíduos. A presente revisão teve como principal objetivo explorar a temática dos estereótipos e sua relação com a obesidade e sobrepeso. A pesquisa foi conduzida nas bases de dados BVS e PubMed e a estratégia de busca restringiu-se aos artigos em inglês e português, publicados entre 2005-2015. Os descritores utilizados foram “estereótipos”, “obesidade”, “sobrepeso” e seus respectivos termos em inglês. Foram excluídos os estudos em que a população não fosse adulta, revisões bibliográficas, literatura cinzenta, resumos de congresso, editoriais e livros. Ao final do processo de seleção, 27 artigos compuseram esta revisão. Embora bastante tratado em nível internacional, o assunto é pouco estudado no Brasil. Os resultados demonstram que os profissionais de saúde estão entre as fontes de preconceito e que os estereótipos influenciam de maneira negativa o tratamento da obesidade. Os estereótipos mais frequentemente atribuídos aos obesos foram “preguiçosos”, “sem força de vontade” e “pouco atraentes”. Conclui-se que há a necessidade de reduzir os estereótipos a partir de estratégias educativas que enfatizem a complexa etiologia da obesidade, integrando os currículos e os programas de treinamento clínico.<hr/>In addition to the direct consequences for physical health, obesity also reflects the psychological and social conditions of individuals. This review aimed to explore the theme of stereotypes and their relation to obesity and overweight. The research was conducted on the BVS and PubMed databases, and the search strategy was restricted to articles in English and Portuguese, published between2005-2015. The keywords used were "stereotypes", "obesity", "overweight" and their terms in Portuguese. Studies in which the population was not adult, literature reviews, grey literature, conference abstracts, editorials and books were excluded. At the end of the selection process, 27 articles were included in this review. Although fairly treated at international level, the topic is poorly studied in Brazil. The results showed that health practitioners are among the sources of bias, and stereotypes influence negatively the treatment of obesity. The stereotypes most frequently attributed to obese were "lazy", "lack of willpower" and "unattractive". It is concluded that there is a need of reducing stereotypes starting from educational strategies that emphasize the complex etiology of obesity, integrating curricula and clinical training programs. <![CDATA[<b>Ingestão compulsiva na obesidade</b>: <b>Portugal continental e São Miguel, Açores</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This study aimed to investigate if binge eating-BE in individuals with obesity is influenced by their eating behaviour, social support satisfaction, healthcare, lifestyle and sociodemographical variables. It also aimed to compare BE and body mass index-BMI between individuals from mainland Portugal (n=117) and São Miguel, Azores (n=70) - cluster of islands with the largest national obesity incidence. Participants completed the Binge Eating Scale, the Dutch Eating Behaviour Questionnaire and the Social Support Satisfaction Scale. It was used as a modelling of structural equations to construct the structural model, having BE as dependent variable. Emotional eating (β=.26;p<.001), external eating (β=.2;p<.001) and satisfaction with support from friends (β=-.14;p=.004) predict the severity of BE. Also the level of educational level was associated to BE (β=-.11;p<.001). There was no association between BE and BMI (β=.003;p=.68) or between individuals from mainland Portugal and São Miguel (t(115,897)=-1.38;p=.17), contrary to the BMI (t(184,538)=3.57;p=.001). Interventions that promote adaptive strategies for management of emotional and external eating are suggested and also the development of friends network support in combination with health activities to attenuate the severity of BE. The absence of differences between the samples from mainland Portugal and the islands in relation to BE raises the hypothesis of other variables being able to explain the differences between the prevalence of obese individuals, other than the ones studied.<hr/>Este estudo objetivou explorar se a ingestão compulsiva-IC em pessoas com obesidade é influenciada pelo comportamento alimentar, satisfação com o suporte social, variáveis sociodemográficas, de saúde e estilo de vida. E comparou a prática de IC e Índice Massa Corporal-IMC entre indivíduos de Portugal continental (n=117) e de São Miguel, Açores (n=70) - arquipélago com maior incidência nacional de obesidade. Os participantes preencheram a Escala de Ingestão Compulsiva, o Questionário Holandês do Comportamento Alimentar e a Escala de Satisfação com o Suporte Social. Utilizou-se a modelação de equações estruturais para construir o modelo estrutural, com variável dependente a IC. A ingestão emocional (β=.26;p<.001), a ingestão externa (β=.2;p<.001) e a satisfação com os amigos (β=-.14;p=.004) predizem a gravidade de IC. Também o nível de habilitações académicas se associou à IC (β=-.11;p<.001). Não se verificou associação entre a IC e o IMC (β=.003;p=.68). Nem diferenças entre os participantes insulares e os de Portugal continental relativamente à IC (t(115,897)=-1.38;p=.17), contrariamente ao IMC (t(184,538)=3.57; p=.001). Sugerem-se intervenções promotoras de estratégias para a gestão da ingestão emocional e externa e o desenvolvimento de redes de apoio de amigos, conjugadas com atividades promotoras de saúde para a atenuação da gravidade da IC. A ausência de diferenças entre a amostra insular e continental relativamente à IC levanta a hipótese de outras variáveis explicarem as diferenças na prevalência de obesidade, que não as estudadas nesta investigação. <![CDATA[<b>Aspectos psicossociais da obesidade na infância e adolescência</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Investigar os aspectos psicossociais relacionados com a obesidade em crianças e adolescentes. trata-se de revisão integrativa de literatura realizada nas bases de dados MEDLINE, LILACS e SCIELO utilizando-se os termos “child obesity” e “psychology”. As informações foram organizadas de acordo com as características dos estudos e foi realizada análise descritiva e qualitativa. Foram incluídos e analisados 12 artigos referentes às pesquisas com crianças e adolescentes obesos e/ou pais ou responsáveis, no período de janeiro de 2011 a junho de 2016. Estes foram divididos em três categorias temáticas pelos juízes: (a) Saúde mental e o impacto do bullying para crianças e adolescentes obesos; (b) Sedentarismo como comportamento recorrente na infância e adolescência; e (c) Apoio familiar no enfrentamento psicossocial da obesidade infanto-juvenil. A análise dos dados contribuiu para verificar as consequências multicausais da obesidade no desenvolvimento humano, além de apontar a importância de avanços científicos sobre o tema. Em virtude da evidência de dificuldades psicológicas e sociais, bem como o índice crescente de obesidade infanto-juvenil no Brasil, entende-se a relevância de fomento das políticas públicas e atenção multiprofissional de saúde, com o intuito de prevenir e/ou tratar os aspectos psicossociais abordados.<hr/>To investigate the psychosocial aspects related to obesity in children and adolescents. it is an integrative review of literature carried out in the MEDLINE, LILACS and SCIELO databases, using the terms "child obesity" and "psychology". The information was organized according to the characteristics of the studies and a descriptive and qualitative analysis was performed. We included and analyzed 12 articles referring to researches with obese children and adolescents and/or parents or guardians, from January 2011 to June 2016. These were divided into three thematic categories by the judges: (a) Mental health and the impact of bullying for obese children and adolescents; (b) Sedentary lifestyle as recurrent behavior in childhood and adolescence; and (c) Family support in the psychosocial coping of the childhood and juvelie obesity. Data analysis contributed to verify the multicausals consequences of obesity in human development, besides pointing out the importance of scientific advances about this subject. Due to the evidence of psychological and social difficulties, as well as the increasing rate of childhood and juvenile obesity in Brazil, it is understood the relevance of promoting public policies and multi-professional health care, in order to prevent and / or treat the the psychosocial aspects addressed. <![CDATA[<b>Fatores contribuintes para a resiliência de adolescentes com câncer</b>: <b>um estudo piloto</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O câncer na adolescência demanda o uso de estratégias adaptativas para lidar com diversas alterações em sua rotina. O objetivo deste estudo foi analisar a presença de resiliência em adolescentes com câncer e os fatores que contribuem para este comportamento. Foram avaliados 30 adolescentes com câncer e 30 adolescentes sem histórico desta doença, com um questionário sócio demográfico/ médico, o Inventário de Estratégias de Coping, a Escala de Apoio Social e a Escala de avaliação da coesão e adaptação familiar. Os resultados mostraram que o grupo clínico apresentou mais estratégias de enfrentamento adaptativas, e similar resiliência ao grupo controle. Além disto, verificaram-se relações importantes entre a religiosidade e a busca de suporte social com a resiliência. Conclui-se sobre a importância de um enfoque centrado na resiliência no contexto da Oncologia Pediátrica e sobre o delineamento de intervenções psicológicas específicas dirigidas a esta população.<hr/>Cancer in adolescence demands some adaptive strategies to deal with several routine changes. The aim of this study was to analyze the presence of resilience in adolescents with cancer and the factors that contribute to this behavior. We evaluated 30 teenagers with cancer and 30 adolescents with no history of this disease, with a social-demographic/ medical questionnaire, the Inventory of Coping Strategies, the Social Support Scale and the Scale of Cohesion and Family Adaptation. Our results show that the clinic group presented more adaptive coping strategies and similar resilience as the control group. In addition, we observed some important relations between religiosity, social support and resilience. Our conclusions highlight the importance of a resilience approach in Pediatric Oncology and the design of specific psychological interventions to these patients. <![CDATA[<b>Queixas subjetivas de memória</b>: <b>Sintomas depressivos, ansiógenos ou défices mnésicos objetivos?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As queixas subjetivas de memória (QSM) na população idosa despertam, na comunidade científica, vários desafios. Em particular a diferenciação entre as QSM com a sintomatologia depressiva e ansiógena e o prejuízo mnésico objetivo. Este estudo transversal foi realizado com 620 participantes com mais de 54 anos (74.04 ± 10.41 anos; 72.4% do sexo feminino). Os instrumentos utilizados foram o Mini Mental State Examination (MMSE), o Montreal Cognitive Assessment (MoCA), a Escala de Queixas de Memória (EQM), a Escala de Depressão Geriátrica (EDG) e o Inventário de Ansiedade Geriátrica (IAG). As QSM estavam presentes em 78.9% (n = 489), os sintomas depressivos em 46.3% (n = 287) e os ansiógenos em 51.1% (n = 317). Os participantes com QSM obtiveram pontuações inferiores no MMSE (24,57 ± 5,65 vs 25,88 ± 5,36, p < 0,01), bem como, no MoCA (17,63 ± 7,86 vs 20,34 ± 7,84, p< 0,01). A escolaridade [β = 0,14, 95% intervalos de confiança (IC) = -0,823-0,475], o MMSE (β = -0,11, 95% IC = 0,034-0,241) e a EDG (β = 0,40, 95% IC = -0,112-0,59) revelaram-se preditores significativos das QSM. A depressão e a ansiedade parecem ter um efeito potenciador das QSM e associam-se a um pior desempenho cognitivo, sugerindo que as intervenções direcionadas para esses fatores se assumam como uma questão estratégica na promoção do envelhecimento saudável.<hr/>The Subjective Memory Complaints (QSM) in the old adult creates in the scientific community many challenges. Particularly the differentiation between the QSM and depressive and anxiety symptoms and cognitive impairment. This survey was conducted with 620 participants over 54 years old (74.04 ± 10:41 years; 72.4% female). The instruments used were the Mini Mental State Examination (MMSE), the Montreal Cognitive Assessment (MoCA), the Memory Complaint Scale (EQM) the Geriatric Depression Scale (EDG) and the Anxiety Inventory Geriatrics (IAG). The SMC were present in 78.9% (n = 489), the depressed mood in 46.3% (n = 287) and anxiety in 51.1% (n = 317). The SMC participants had lower scores on the MMSE (24,57 ± 5,65 vs 25,88 ± 5,36, p < 0,01) and in the MoCA (17,63 ± 7,86 vs 20,34 ± 7,84, p < 0,01). The education [β = 0,14, 95% confidence interval (CI) = -0,823-0,475], the MMSE (β = -0,11, 95% CI = 0,034-0,241) and EDG (β = 0.40, 95% CI = -0,112-0,59) were significant predictors of SMC. The depression and anxiety were predictors of SMC and were associated with worse cognitive performance, suggesting that interventions targeted for these factors are assumed as an important strategy for the promotion of healthy aging. <![CDATA[<b>Viver com diabetes é “<i>carregar uma cruz</i>”</b>: <b>Metáforas de idosos diabéticos tipo2</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A diabetes mellittus é uma doença crónica cuja forma mais comum é a tipo 2. Em Portugal afeta mais de um quarto da população idosa. O tratamento está definido e é eficaz, dependendo da autogestão dos pacientes. Contudo, os dados mostram a frágil autogestão. As metáforas são modelos mentais que revelam a experiência vivida, permitindo aos profissionais adequar a intervenção. O objetivo deste estudo é analisar as metáforas de diabéticos tipo 2 idosos (≥ 65 anos), sobre “viver com diabetes” (reação ao diagnóstico, gestão das recomendações terapêuticas, principais desafios). Este estudo qualitativo e exploratório recorre à teoria cognitiva da metáfora explorando metáforas através de entrevistas semiestruturadas. A amostra compreende 17 participantes que relataram 114 metáforas. As entrevistas foram submetidas a análise de conteúdo pelo procedimento de análise sistemática de metáforas. Os principais resultados indicam: reação ao diagnóstico “mexeu comigo”; gestão das recomendações terapêuticas envolvem “pecar” e “habituar-se”; principais desafios incluem “acompanhar a cruz que Deus nos deu” e “ter cuidado”. Estas metáforas sugerem que os idosos diabéticos tipo 2 vivem numa “espiral”, que gira em torno da doença, sentindo vontade de se libertar e infringindo recomendações.<hr/>Diabetes mellitus is a chronic disease, being type 2 the more frequent form. In Portugal, it affects more than a quarter of the older population. The treatment is defined, but depends on patients' self-management. However, data shows that excellent self-management is low. Metaphors are mental models that reveal the lived experience, contributing to support the professionals adjusting intervention. This study aims to analyse metaphors of type 2 older (≥ 65 years) diabetics, about “living with diabetes” (reaction to diagnosis; management of therapeutic recommendations; main challenges). This qualitative and exploratory study uses the cognitive metaphor theory to uncover participants' metaphors through semi-structured interviews. The sample comprises 17 participants that reported 114 metaphors. The interviews were submitted to content analysis, based on the procedure of metaphors systematic analysis. Main findings show that: reaction to diagnosis involves “it distressed me”; management of therapeutic recommendations comprise “commit sins” and “to habituate”; main challenges include “carrying the cross God gave us” and “be cautious”. These metaphors suggest that the older type 2 diabetics live in a “spiral”, where all goes around the illness, feeling the need to free themselves by trespassing recommendations. <![CDATA[<b>Representações sociais do vitiligo elaboradas por Brasileiros marcados pelo branco</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetiva-se com o presente estudo apreender as Representações Sociais (RS) do Vitiligo elaboradas por pessoas que possuem tal afecção. Trata-se de um estudo misto, quantitativo e qualitativo, do tipo descritivo e exploratório, ancorado no aporte teórico da Teoria das Representações Sociais. Participaram da pesquisa 196 brasileiros com idades de 18 a 70 anos (M=38,85; DP=12,53), prevalentemente do sexo feminino (70,02%), membros de grupos do Facebook relacionados à temática do Vitiligo. Utilizou-se como instrumento de coleta de dados um questionário online com a pergunta: “Para você, o que é Vitiligo?”. Além desta, obteve-se informações referentes aos dados sóciodemográficos dos participantes que foram processados pelo software Statistical Package for Social Science for Windows - IBM SPSS; enquanto que, para a análise dos dados coletados por meio da referida pergunta, utilizou-se o software IRAMUTEQ, a fim de alcançar o(s) esquema(s) figurativo(s) das RS das pessoas com Vitiligo acerca da sua afecção, por meio da Classificação Hierárquica Descendente (CHD) e Análise de Similitude. A CHD considerou 74,49% do total das Unidades de Contexto Elementares do corpus denominado “Dimensões de compreensão do Vitiligo”. Deste, deu-se origem a dois subcorpora, os quais aglutinaram-se as Classes 1, 2 e 3, denominadas respectivamente de Aspectos biomédicos do Vitiligo, Aspectos psicodermatológicos do Vitiligo e Aspectos biológicos do Vitiligo. Em linhas gerais, percebe-se que os dados apresentam enfoques multifacetados de compreensão do Vitiligo, em que o conteúdo emergido por meio da fala dos atores sociais ancora o entendimento da afecção a um saber de ordem ora apenas dermatológico/biomédico, ora psicodermatológico.<hr/>This study aimed to understand the Social Representations (SR) of Vitiligo elaborated by people who have such affection. It is a quantitative and qualitative study, with the descriptive and exploratory type, anchored in the Theory of Social Representations. A total of 196 Brazilians aged 18 to 70 years (M = 38.85; SD = 12.53), with a prevalence of 70.02% female, members of Facebook groups related to the Vitiligo theme, participated in this study. An online questionnaire with the question: "For you, what is Vitiligo?", was used as an instrument of data collection. In addition to this, it was obtained information regarding the sociodemographic data on the participants that were processed by the software Statistical Package for Social Science for Windows - IBM SPSS; while the IRAMUTEQ software was used to analyze the data collected by the question aforementioned, in order to reach the SR of people with Vitiligo about their condition, using the Descending Hierarchical Classification (DHC) and Similitude Analysis. The DHC considered 74.49% of the total of the Elementary Context Units of the corpus called "Understanding Dimensions of Vitiligo". From this, two subcorpora were originated, and Classes 1, 2 and 3, named respectively Biomedical Aspects of Vitiligo, Psychodermatological Aspects of Vitiligo and Biological Aspects of Vitiligo, were combined. In general, it is noticed that the data present multifaceted approaches to understanding Vitiligo, in which the content emerged through the speech of the social actors anchors the understanding of the affection to a knowledge sometimes only dermatological/biomedical, sometimes psychodermatological. <![CDATA[<b>Cortisol capilar como medida de análise do estresse crônico</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Estudos recentes tem buscado investigar a concentração crônica de cortisol a partir de amostras de cabelo. Este método possui diversas vantagens como a facilidade na coleta, fácil armazenagem, não dependência da aderência da amostra para realização da pesquisa, entre outros. Entretanto ainda existem lacunas sobre quais protocolos para coleta, extração e avaliação do cortisol a partir do cabelo seriam considerados padrão para esta análise em humanos. Diante disto, o objetivo do presente estudo de revisão foi analisar os protocolos de coleta e análise do cortisol capilar como indicador do estresse crônico em indivíduos saudáveis. Considerando os 22 artigos selecionados para análise verificou-se que a maioria das pesquisas utilizaram em suas amostras indivíduos de ambos os sexos, com as amostras de cabelo cortados na região do vértice posterior da cabeça, o mais próximo possível da raiz. O comprimento e a quantidade de fios coletados variaram de acordo com os objetivos propostos de cada estudo, onde a maioria priorizou o uso de fios de 3 cm de comprimento. Conclui-se que existe uma ausência de um protocolo único quanto ao método de lavagem, tratamento dos fios e quanto ao método utilizado para extração e análise do cortisol, onde a maioria dos estudos utilizaram o composto isopropanol para lavagem de suas amostras, seguidos da pulverização dos fios realizando a análise da concentração de cortisol com três métodos principais, o CLIA, o ELISA e o LC-MS/MS.<hr/>Recent studies have sought to investigate the chronic cortisol levels from hair samples. This method has advantages such as ease of sample collection, easy storage, no dependence of the sample adherence to carry out the research, among others. However there are still gaps on which protocols for collection, extraction and evaluation of cortisol from the hair would be considered standard for this analysis in humans. Given this, the objective of this systematic review study was to analyze the protocols for the collection and analysis of hair cortisol as an indicator of chronic stress in healthy individuals. Considering the 22 articles selected for analysis it was found that most of the research samples used individuals of both sexes, with hair samples cut in the region of the vertex of the head, closest to the root. The length and number of hair varied according to the goals of each study, where most used was 3 cm of hair length. It follows that there is an absence of a single protocol on the washing method, the treatment of hair and on the method used for extraction and analysis of cortisol, where most studies have used isopropanol compound to wash their samples, followed by pulverization of the sample, conducting the analysis of cortisol concentration by three main methods, the CLIA, ELISA and LC-MS / MS. <![CDATA[<b>Avaliação do estresse e ansiedade em pacientes quimioterápicos submetidos a relaxamento</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pacientes em quimioterapia apresentam níveis elevados de ansiedade e estresse. Técnicas de relaxamento podem contribuir na minimização desses efeitos. O presente estudo é um ensaio clínico, quasi-experimental e quantitativo, com seguimento, avaliando eficácia da técnica de relaxamento por indução de imagens em pacientes quimioterápicos na redução dos níveis de ansiedade com a utilização do Inventário de Ansiedade Beck (BAI) e o estresse através do Termômetro de Distress (TD). A amostra foi constituída de 113 participantes sendo 57 no Grupo Experimental (GE) e 56 no Grupo Controle (GC), ambos em tratamento quimioterápico em um hospital universitário de Porto Alegre, Brasil. Os dados foram analisados através do teste t-Student pareado, antes e depois do acompanhamento. Não houve diferença nos níveis de ansiedade e estresse na avaliação inicial. Após 14 semanas de intervenção, houve redução nos níveis de ansiedade no GE (-2,19±4,12, p=0,0003) e de estresse (-0,68+1,52, p=0,0043). O GC apresentou aumento não significativo nos níveis de ansiedade e estresse. Os resultados sugerem que intervenções através de sessões de relaxamento em pacientes submetidos a tratamento quimioterápico oferecem efeitos positivos na redução de ansiedade e estresse.<hr/>Patients undergoing chemotherapy have high levels of anxiety and stress. Relaxation techniques can help to minimize these effects. This study is a clinical trial, quasi-experimental and quantitative tracking, evaluating the efficacy of relaxation techniques for images induction in chemotherapy patients in reducing anxiety levels with the use of the Beck Anxiety Inventory (BAI) and stress through Distress Thermometer (TD). The sample consisted of 113 participants, 57 in the experimental group (EG) and 56 in the control group (CG), both undergoing chemotherapy at a university hospital in Porto Alegre, Brazil. Data were analyzed using the t-Student test before and after the follow-up. There was no difference in the levels of anxiety and stress in the initial evaluation. After 14 weeks of intervention, there was a reduction in anxiety levels in EG (-2.19 ± 4.12, p = 0.0003) and stress (-0.68 + 1.52, p = 0.0043). The CG showed no significant increase in the levels of anxiety and stress. The results suggest that interventions through relaxation sessions in patients undergoing chemotherapy offer positive effects in reducing anxiety and stress. <![CDATA[<b>Prevalência de ansiedade e depressão em idosos de baixa escolaridade em Maceió/Al</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente artigo tem como objetivo analisar a prevalência de Ansiedade e Depressão em idosos de baixa escolaridade da comunidade Santo Onofre em Maceió - AL. Trata-se de um estudo transversal não probabilístico realizado com 86 idosos do programa Estratégia Saúde da Família (ESF), com idades compreendidas entre os 60 e os 90 anos (X̅ = 68,05; DP = 6,7). Utilizou-se como método de pesquisa a Escala de Depressão Geriátrica (GDS - 15) e o Inventário de Ansiedade Geriátrica (GAI) para análise de possível sintomatologia de Depressão e Ansiedade além do questionário desenvolvido pelos pesquisadores com intuito de identificar idade, cor, nível socioeconômico e outros. Verificou-se que os longevos do sexo feminino apresentam estatisticamente maior GDS-15 e GAI que os longevos do sexo masculino. O teste χ² apresentou relação estatisticamente significativa entre o sexo dos indivíduos e a ocorrência da Ansiedade (χ² = 4,85; gl = 1, p < 0,05). Contudo, sugere-se a realização de novos estudos direcionado a esta população visto o crescente aumento destes, assim como, incluir o fator escolaridade dentro de ações que possibilite melhoria no dia-a-dia dos sujeitos.<hr/>This article aims to analyze the prevalence of anxiety and depression in the elderly with low educational level of the community Santo Onofre in Maceió - AL. It is a non-probabilistic cross-sectional study conducted with 86 elderlies, aged between 60 and 90 years (X̅= 68.05; SD = 6,784), from Health of the Family Strategy Program (HFS). It adopted as a research method the Geriatric Depression Scale (GDS-15) and the Geriatric Anxiety Inventory (GAI) for analyzing possible symptoms of depression and anxiety and a closed questions survey, developed by the researchers, to identify age, color, socioeconomic level and others. It was found that oldest women have statistically higher GDS-15 and GAI than oldest men. The χ2 test identified a statistically significant link between sex of individuals and the occurrence of Anxiety (χ2 = 4.85, df = 1, p <0.05). However, it is suggested to produce new studies for this population due to two factors: a) the increase in the number of elderly people in Brazil and b) to include the variable "education" as part of the actions that improves the routine of individuals. <![CDATA[<b>Depressão, ansiedade e suporte familiar para mães na primeira hospitalização dos filhos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente estudo teve por objetivo compreender os aspectos emocionais e relacionais envolvidos nas mães diante da primeira hospitalização de um filho. Foi realizado um estudo de caso coletivo. A amostra foi composta por 4 mães de crianças que estavam em sua primeira hospitalização. Os instrumentos utilizados foram uma ficha com dados sócio demográficos, inventários para avaliar depressão, ansiedade e percepção de suporte familiar e uma entrevista semi estruturada. A análise dos dados foi realizada a partir da análise de conteúdo qualitativa da entrevista, que foram triangulados com os resultados dos inventários quantitativos. Os resultados apontaram que as mães lidam de maneira diferente com a hospitalização de seus filhos, apesar de sempre ser considerada uma situação com sofrimento envolvido e com alterações na dinâmica familiar.<hr/>This study aimed to understand the emotional and relational aspects involved in mothers facing the illness and first hospitalization of a child. One collective case study was conducted. The sample consisted of four mothers of children who were in their first hospitalization. The instruments used were a form with sociodemographic data, Inventory to assess depression, anxiety and perception of family support and a semi-structured interview. Data analysis was performed from the qualitative content analysis of the interview, which were triangulated with the results of quantitative inventories. The results showed that mothers deal differently with the hospitalization of their children, although always be considered a situation with suffering involved and changes in family dynamics <![CDATA[<b>Depressão pós-parto</b>: <b>uma revisão sobre fatores de risco e de proteção</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O objetivo deste estudo foi investigar os fatores de risco e de proteção para depressão pós-parto (DPP). Foi realizada uma revisão nas bases Pubmed, Scielo e Lilacs. Descritores: postpartum depression, risk factors, protection factors. Critérios de inclusão: artigos publicados no período de 2010-2015, nas línguas inglesa, portuguesa e espanhola, cujos conteúdos abordassem explicitamente fatores de risco e/ou de proteção para a DPP. Foram selecionados 60 artigos e encontrados 53 fatores de risco e 11 fatores de proteção. Os fatores de risco mais frequentemente citados, pertenciam à categoria de fatores psicossociais (n= 43 ou 71% da amostra). Os resultados evidenciam uma grande variedade de métodos e instrumentos utilizados, o interesse mundial pelo tema da DPP e um elevado número de fatores considerados de risco para DPP (n = 53) em detrimento do baixo número de fatores de proteção (n = 11) investigados na literatura que abrange o período de 2010 a 2015. Esta revisão da literatura mostrou que, ter tido depressão na vida, a presença de estresse e ansiedade e depressão durante a gestação, baixo suporte social e familiar, falta de apoio do parceiro e falta de apoio social no puerpério, são fatores que aumentam o risco de ter DPP. Em contrapartida, ter participado de algum programa de pré-natal com base numa abordagem psicológica, ter uma relação saudável com suas próprias mães, ter suporte social na gestação e no puerpério e manter relações sociais positivas podem proteger a gestante contra a DPP e minimizar o impacto dos fatores de risco causariam no puerpério.<hr/>The aim of this study was to investigate risk and protective factors associated to postpartum depression (PPD). A review of the literature was conducted on the databases Pubmed, Scielo and Lilacs. Keywords: risk, protection, depression and postpartum. Inclusion criteria: articles published in the 2010-2015 period, the English, Portuguese and Spanish languages, the contents explicitly treat risk factors and / or protection for the PPD. We selected 60 articles and found 53 risk factors and 11 protective factors for PPD. Risk factors cited most often belong to the category of psychosocial factors (n = 43 or 71% of the sample). The results show a wide variety of methods and tools used, the worldwide interest in the DPP theme and a large number of the risk factors for PPD (n = 53) over the low number of protective factors (n = 11) investigated in the literature covering the period 2010 to 2015. This review of the literature showed that, having had depression life, the presence of stress and anxiety and depression during pregnancy, low social and family support, lack of partner support and lack of social support in the postpartum period are factors that increase the risk of having DPP. In contrast, have participated in some prenatal program based on a psychological approach, have a healthy relationship with their mothers, have social support during pregnancy and postpartum period and maintaining positive social relationships may protect the mother against the DPP and minimize the impact of risk factors cause the puerperium. <![CDATA[<b>Agência e expressividade em homens e mulheres Portugueses na meia-idade e avaçada</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Bem's model of gender roles (Bem, 1974, 1981a) proposed that psychological masculinity and femininity are two separate and orthogonal dimensions, and further supported the advantages of a shared masculine and feminine personality in comparison to a gendered personality. The aim of this study was to evaluate the psychometric properties of the Bem Sex-Role Inventory (BSRI) in Portugal, specific to two essential dimensions of gender roles - Agency/Instrumentality and Expressiveness. This study was part of a larger study about perceived health in both middle and older aged men and women. The sample consisted of 630 Portuguese adults (53.3% women), aged between 40 and 86 (M = 51.52, SD = 8.4). To assess construct validity, an Exploratory Factor Analysis was performed, confirming the two-dimensional model of Agency/Instrumentality (9 items) and Expressiveness (9 items), and with a high internal consistency. Afterwards, Confirmatory Factor Analyses were performed, and confirmed the two-dimensional first-order model with 18 items among men and women separately, and in the total sample. Lastly, a Multi-group Confirmatory Factor Analysis was performed, and the invariance between gender groups was confirmed. The current study provided evidence of good psychometric and factorial validity of the 18-item version of BSRI for a middle and older aged Portuguese sample.<hr/>O modelo de Bem de papeis de género (Bem, 1974, 1981a) propõe que a masculinidade e a feminilidade são duas dimensões separadas e ortogonais, defendendo as vantagens de uma personalidade com características masculinas e femininas em detrimento de uma personalidade tipificada. Este estudo teve como objetivo avaliar as qualidades psicométricas do Bem Sex-Role Inventory (BSRI) em Portugal, especificamente duas dimensões essenciais de papeis de género - Agência/Instrumentalidade e Expressividade. Este estudo faz parte de um estudo alargado sobre saúde percebida em homens e mulheres de meia idade e de idade avançada. A amostra consistiu em 630 adultos (53.3% mulheres), com idades compreendidas entre os 40 e os 80 anos (M = 51.52; DP = 8.4). A validade de constructo foi avaliada através de Análise Fatorial Exploratória, que confirmou o modelo bidimensional de Agência/Instrumentalidade (9 itens) e Expressividade (9 itens), apresentando uma elevada consistência interna. Posteriormente, foi realizada uma Análise Fatorial Confirmatória, que confirmou o modelo de primeira ordem bidimensional com 18 itens em homens e mulheres separadamente, e na amostra total. Por fim, foi feita uma Análise Fatorial Confirmatória Multigrupos que confirmou a invariância entre géneros. O presente estudo fornece evidências de boa validade psicométrica e fatorial da versão de 18 itens do BSRI numa amostra de Portugueses de meia-idade e idade avançada. <![CDATA[<b>Auto conceito masculino e auto cuidado em saúde</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Diversos estudos vêm discutindo a questão da saúde do homem, buscando compreender as diferentes motivações para os altos perfis de morbimortalidade masculina. Dessa forma o conceito que os indivíduos elaboram deles próprios atua nessa interpretação e auxilia no porque certas emoções surgem em determinados contextos ou porque se inibe ou desenvolve determinado comportamento, permitindo compreender a continuidade e a coerência do comportamento do homem ao longo do tempo. O objetivo desse estudo foi identificar o auto conceito masculino, buscando avaliar as implicações no auto cuidado em saúde. A amostra foi composta de 400 homens na faixa etária de 24 a 59 anos, residentes em João Pessoa-PB. Os instrumentos utilizados foram um questionário sócio-demográfico e o Inventario de Papéis Sexuais de Bem (BSRI). Os dados sócio-demográficos forma avaliados por estatística descritiva e o BSRI analisado tendo por base a categorização de sujeitos em papéis sexuais (andróginos, tipificados e indiferenciados). No tocante à escolaridade, verificou-se que 50 % possui ensino médio completo, renda mensal entre 1 e 3 salários mínimos(48,8%). De acordo com as resposta obtidas no BSRI, 115 participantes ajustaram-se a categoria andrógino. Verificamos assim, que o modelo tradicional de masculinidade vem sendo questionado e repensado como pilar da identidade masculina hegemônica.<hr/>Several studies have been discussing the issue of human health, seeking to understand the different motivations for the high profile of male morbidity and mortality. In this way, the concept that individuals elaborate of themselves acts on this interpretation and helps in why certain emotions arise in certain contexts or because they inhibit or develop certain behavior, allowing to understand the continuity and coherence of man's behavior over time. The aim of this study was to identify the male self-concept, seeking to assess the implications on auto care in health. The sample was made up of 400 men ranging in age from 24 to 59 years, residents in João Pessoa-PB. The instruments used were a socio-demographic questionnaire and the Sexual Roles of inventory (BSRI). The socio-demographic data form evaluated by descriptive statistics and the BSRI parsed based on the categorization of subjects in sexual roles (androgynous, typed and undifferentiated). With regard to education, it was found that 50 has full secondary education, monthly income between 1 and 3 minimum wages (48.8). According to the answers obtained in the BSRI, 115 participants set the androgynous category. We note that the traditional model of masculinity has been questioned and rethought as a pillar of the hegemonic male identity. <![CDATA[<b>Wilson's sex fantasy questionnaire</b>: <b>validação Portuguesa e diferenças de género</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The main purpose of this study was to validate a Portuguese version of the Wilson's Sex Fantasy Questionnaire. Afterwards, we assess the fantasies' frequency based on gender differences. A community sample of 1220 Portuguese men and women completed the questionnaire with 40 items. Factor exploratory and confirmatory analysis, as well as comparative statistics for independent samples, were applied with the IBM SPSS Statistics and AMOS software (both v. 22.0, SPSS Inc., Chicago, Il., USA). The final structure with 24 items distributed amongst four factors showed overall good psychometric properties (in terms of factorial validity, reliability and sensitivity) and questionable convergent and discriminant validity. The independent samples t-test showed gender differences regarding sexual fantasies frequency. This research provides a validated version of the Portuguese Wilson's Sex Fantasy Questionnaire. It also shows some common and disparate gender differences compared to other research. Further studies are need in order to confirm this structure amongst other samples (e.g., clinical and forensic).<hr/>O principal objetivo deste estudo foi a validação da versão Portuguesa do Questionário de Fantasias Sexuais de Wilson. Posteriormente, analisamos a frequência das fantasias em função do género. Uma amostra comunitária de 1220 homens e mulheres Portugueses completou o questionário com 40 itens. Realizou-se uma análise fatorial exploratória e confirmatória, bem como estatística comparativa para amostras independentes, através do software IBM SPSS Statistics e AMOS (ambos v. 22.0, SPSS Inc., Chicago, Il., USA). A estrutura final com 24 itens repartidos por quatro fatores demonstrou, no geral, boas propriedades psicométricas (em termos de validade fatorial, consistência interna e sensibilidade) e validade convergente e discriminante questionável. O teste-t para amostras independentes identificou diferenças de género relativamente à frequência de fantasias sexuais. Esta investigação proporciona uma versão validada do Questionário de Fantasias Sexuais de Wilson, em Português. No que concerne às diferenças de género nas fantasias, apresenta também resultados consistentes e outros distintos comparativamente à literatura existente. São necessários mais estudos para se confirmar esta estrutura noutras amostras (e.g., clínicas e forenses). <![CDATA[<b>Formulário de avaliação da relação adaptação e validação do RRF DE K.E. Davis para a população Portuguesa</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000300020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo apresenta a adaptação e validação para a população portuguesa da Relathionship Rating Form (RRF) de K. E. Davis (1996), criada para medir a amizade, as relações românticas e o amor. A noção de amor aqui usada deriva de um corpo empírico e conceptual radicado na Psicologia Descritiva. Entende-se o amor como um conceito prototípico na sua natureza. A construção do instrumento sustenta-se num caso paradigmático ou ideal que foi desenvolvido incorporando todos os aspectos relevantes que um caso real de amor deve ter. Participaram no estudo 444 sujeitos, 222 casais heterossexuais. Para a nossa amostra, a sensibilidade dos itens demonstrou ter características discriminativas. A validade de construto foi estudada através de análise fatorial confirmatória de componentes principais com rotação oblíqua. No que respeita à fidelidade, recorreu-se ao Alpha de Cronbach. A análise fatorial para a nossa população não confirmou a estrutura original. Chegámos a uma estrutura final também de sete fatores, mas não coincidente com a encontrada por Davis em 1996. Designámos os fatores encontrados por: 1-Sucesso e Satisfação Geral; 2-Desilusão Amorosa; 3- Cuidado Mútuo; 4-Compromisso; 5-Fascinação; 6-Conhecimento; 7- Coerção. No fator 1 incluímos as seguintes sub-escalas: Respeito/Auto-Estima; Comunicação Honesta e Íntima; Erotismo/Desejo; Satisfação; Manutenção; Aceitação. No fator 2 considerámos as sub-escalas de Desconfiança/Desapontamento; Desrespeito/Deslealdade; Tensão/Ambivalência. No fator 3 tivemos em conta as sub-escalas de: Auxilio; Defesa; Dar o Máximo. O fator 4 integra as sub-escalas de Prazer; Confiança; Exclusividade e Projecção no futuro.<hr/>This article consists on the validation of the Relationship Rating Form -RRF (Davis, 1996) - an instrument that measures friendship, romantic relationships and love - for the Portuguese population. The concept of love used on this research is developed from the empirical and conceptual body of descriptive psychology. The construction of the scale is based on a prototypical or ideal case, which includes the relevant features that a real case of love should reveal. The results of the factor analysis by the KMO method, using oblimin rotation, produced a meaningful solution of seven factors (but not quite coincident to those that Davis and his colleagues obtained in the US in the middle 90's): 1-Success/Global Satisfaction; 2- Love disillusion; 3-Care for Partner's Well-being; 4-Commitment; 5- Fascination 6-Knowledge; 7-Coercion. Factor 1 includes the following sub-scales: Respect/Esteem; Mutual Confiding/Intimacy; Sexual Desire; Satisfaction; Maintenance; Acceptance. Factor 2 includes the subscales of Distrust/Disappointment; Disrespect/Disloyalty; Tension/Ambivalence. Factor 3 includes Assistance, Championing and Give the Utmost sub-scales. In factor 4 we contemplate the Enjoyment; Trust/Confiding; Exclusiveness and Projecting in the Future sub-scales. The reliability of the factors was tested through the use of Cronbach Alpha.