Scielo RSS <![CDATA[Psicologia, Saúde & Doenças]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=1645-008620130003&lang=pt vol. 14 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>A criança antissocial e seu pai</b>: <b>um estudo psicodinâmico</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O comportamento antissocial é frequente em crianças que buscam atendimento psicológico. Sua tendência a agravar-se e o seu prognóstico restrito tornam essenciais as intervenções precoces. Tratando-se a personalidade paterna seu fator etiológico mais relevante, este estudo buscou compreender como ela atua no relacionamento com a criança, promovendo o aparecimento desse quadro. Foram realizados três estudos de caso de pais de meninos antissociais, empregando uma entrevista psicológica e o Procedimento de Desenhos de Família com Estórias. Os resultados mostraram que a tendência antissocial independe da estrutura de personalidade paterna e está relacionada à dinâmica afetiva desse genitor, em particular às dificuldades do controle pulsional, ambivalência na aceitação de normas e limites, ambiguidade diante do papel de pai, restrição da capacidade criativa, redução da área das experiências transicionais e insegurança no processo de integração do amor e ódio na relação com o filho. Assim, há necessidade de realizar intervenções incluindo esse genitor no atendimento da criança antissocial.<hr/>Antisocial behavior is a frequent impairment in child population that requests psychological attendance. Its tendency to chronically aggravate and its restricted prognostic make early interventions and preventive approaches essential. Being the father personality its most relevant etiological factor, this study aimed to comprehend how it acts dynamically in the relationship with the child, promoting the upcoming of this condition. It was accomplished three case studies of fathers of antisocial boys, employing a psychological interview and the Procedure of Family Drawing with Stories. The results showed that the antisocial tendency is independent of the father’s personality structure and is related to the affective psychodynamic of this parent, particularly to his difficulty pulsional control, ambivalence acceptance of standards and limits, ambiguity on the father’s function, restriction of creative capacity, reduction in transitional experiences and imperfections in the process of integration of love and hate in the relationship with the son. Thus, there is the need to perform interventions including this parent in the attendance of the antisocial child. <![CDATA[<b>Ansiedade, depressão e enfrentamento em pacientes internados em um hospital geral</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este estudo buscou avaliar a presença de sintomas de ansiedade e depressão em pacientes internados em um hospital geral e investigar os modos de enfrentamento mais comumente utilizados durante o adoecimento, além de averiguar a associação entre estas variáveis. Para a obtenção dos dados foram utilizados um Questionário Socioeconômico (QS), a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HAD) e a Escala de Modos de Enfrentamento de Problemas (EMEP). Foram avaliados 141 pacientes internados em enfermarias das diversas clínicas médicas, 35,46% dos pacientes apresentaram sintomas de ansiedade, 12,1% apresentaram sintomas de depressão. Foi observada associação significativa entre a presença de sintomas ansiosos e depressivos (r=0,43, com p<0,001). Quanto ao estilo de enfrentamento do adoecimento mais adotado o mais prevalente foi religiosidade, seguido de foco no problema e suporte social. O modo de enfrentamento baseado na emoção correlacionou-se positivamente com presença de sintomas ansiosos e depressivos (r=0,41, com p<0,001). Os resultados do estudo demonstram a importância em avaliar a presença e interferência de fatores emocionais durante o internamento hospitalar.<hr/>This study aimed to evaluate the presence of anxiety and depression symptoms in patients admitted in a general hospital and to investigate ways of coping most commonly used during the illness investigate the association between these variables. To obtain data, we used a Socioeconomic Questionnaire (SQ), the Hospital Anxiety and Depression Scale (HAD) and Ways of Coping (EMEP). We interviewed 141 patients hospitalized in different wards of the medical clinics; 35.46% of patients had symptoms of anxiety, 12.1% had symptoms of depression. Significant association was observed between the presence of anxious and depressive symptoms(r=0.43; p<0.001). The style of coping most adopted was religion, most prevalent, followed by focus on the problem and social support. The mode of emotion-based coping was positively correlated with the presence of anxious and depressive symptoms (r=0.41; p<0.001). The study results demonstrate the importance of assessing the presence and interference of emotional factors during hospitalization. <![CDATA[<b><i>Locus</i> de controlo, auto-eficácia e qualidade de vida na diabetes tipo 1</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O objetivo deste estudo foi testar a relação entre o locus de controlo e a auto-eficácia na adesão ao tratamento e na qualidade de vida de crianças e adolescentes com diabetes tipo 1. É um estudo do tipo correlacional e recorreu-se a uma amostra de conveniência de 40 crianças e adolescentes com diabetes tipo 1 da Consulta de Diabetes Pediátrica do Centro Hospitalar do Alto Ave. Os instrumentos utilizados foram: Questionário Sócio-Demográfico e Clínico; Questionário de Locus de Controlo da Saúde para Crianças; Escala de Auto-eficácia Relativa à Diabetes; Questionário de Auto-cuidados na Diabetes e Questionário da Qualidade de Vida e Diabetes. Realizaram-se análises bioquímicas da hemoglobina glicosilada. Os principais resultados indicam que o locus de controlo está relacionado com os auto-cuidados e algumas componentes da qualidade de vida. A auto-eficácia não exerce qualquer influência na adesão terapêutica, mas associa-se a algumas componentes da qualidade de vida. Os resultados apontaram ainda para uma correlação significativa entre algumas componentes da adesão terapêutica e a qualidade de vida.<hr/>This study examined the relationship between locus of control and self-efficacy in a group of children and adolescents with respect to their adherence to treatment against type 1 diabetes and their general quality of life. The study is of correlational nature and uses a convenience sample of 40 children and adolescents with type 1 diabetes who were recruited at the Pediatric Diabetes Consultation of the Alto Ave Hospital Center. The instruments used were: The Socio-demographic and Clinical Questionnaire; Children Health Locus of Control; Self-efficacy Diabetes Scale; Diabetes Self-care Questionnaire and The Quality of Life and Diabetes Questionnaire. We used biochemical analysis of glycosylated hemoglobin. The main results indicate the influence of the locus of control in self-care and in some quality-of-life components. The self-efficacy does not have a statistically significant influence on therapeutic adherence but is connected to some components of quality of life. The results also show a significant correlation between therapeutic adherence and several components of quality of life. <![CDATA[<b>Caracterização da população que recorre a uma consulta de psicoterapia hospitalar</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Foi realizado um levantamento e organização de todas as informações relativas à população que recorreu à Consulta de Psicoterapia do Serviço de Psiquiatria do Hospital de Santa Maria - Centro Hospitalar Lisboa Norte, no período de janeiro de 2009 a fevereiro de 2012, no sentido de descrever as suas características psicológicas e psicopatológicas e a associação destas a variáveis demográficas, sociais, culturais e psicológicas. A amostra, constituída por 994 elementos, é maioritariamente composta por mulheres. Os diagnósticos nosológicos psiquiátricos (DSM IV TR) do Eixo I com maior expressão são as Perturbações do Humor, seguidas das de Ansiedade. No Eixo II destacam-se as Perturbações da Personalidade Borderline seguidas das Perturbações Dependente e Histriónica. Nos fatores identificados pelo próprio como desencadeantes de sofrimento psicológico, salientam-se os conflitos conjugais e afetivos. Antecedentes como problemas da infância e adolescência, a violência e os conflitos familiares são maioritários em todos os grupos etários. São apresentadas propostas de organização de triagem em consulta de psicoterapia e valorizadas a articulação entre os médicos assistentes e os psicólogos clínicos e a sinalização célere de doentes com critérios para acompanhamento psicológico, e enfatizada a necessidade de um investimento nos serviços primários, com integração de uma abordagem psicológica.<hr/>This study aims to realize a survey and organization of all information relating to the population that appealed to the Consultation Psychotherapy of the Psychiatry Service, Hospital de Santa Maria - North Lisbon Hospital Centre in the period january 2009 to february 2012, in order to describe their psychological and psychopathological characteristics and the association of demographic, social, cultural and psychological. The sample, consists of 994 elements, mainly women. The nosological psychiatric diagnoses (DSM IV TR) Axis I with the highest percentage are Depressive disorders, followed by Anxiety. On Axis II the highest percentage are on the Boderline Personality Disorder, followed by the Dependent and Histrionic. Among various factors identified as triggers of psychological distress, we highlight the marital conflict and emotional. Concerning the problems of childhood and adolescence, violence and family disputes get the highest percentages in all age groups. Proposals are made for the organization of screening in outpatient psychotherapy and valued the relationship between physicians and clinical psychologists and patients with rapid signaling criteria for psychological counseling. The study reveals a clear need for an investment in primary care, integrating a psychological approach. <![CDATA[<b>Avaliação do processamento fonológico e da compreensão em crianças com phda</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A vasta comorbilidade associada à Perturbação de Hiperatividade com Défice de Atenção (PHDA) implica a reavaliação da metodologia de avaliação de crianças com este diagnóstico, com inclusão do rastreio de perturbações neuropsicológicas associadas, especialmente no âmbito da linguagem. Esta investigação teve como objetivo avaliar o impacto da PHDA na linguagem. As áreas avaliadas dizem respeito ao processamento fonológico e compreensão. Outro objetivo consistiu na avaliação da utilidade clínica e do poder discriminativo de algumas provas da Bateria de avaliação da linguagem e da afasia em português (PALPA-P), na avaliação de crianças com PHDA. Comparou-se o desempenho de 37 crianças com PHDA com 67 crianças de um grupo controlo, em provas selecionadas da PALPA-P. Os resultados permitiram verificar que crianças com PHDA apresentam défices significativos em tarefas de linguagem, no domínio do processamento fonológico e da compreensão. Este é o primeiro estudo realizado em Portugal que utilizou a bateria PALPA-P para a avaliação de crianças com PHDA. Os resultados evidenciam a utilidade clínica e o poder discriminativo das provas do PALPA-P utilizadas, na avaliação complementar de crianças com este diagnóstico.<hr/>The vast number of comorbid disorders associated with Attention Deficit Hyperactivity Disorder (ADHD) sheds a light over the need to reconsider the assessment protocols of children with this diagnosis, in what comorbid neuropsychological disorders, and language difficulties are concerned. This investigation aimed to assess ADHD’s impact on language, on the phonological processing and comprehension domains, using the portuguese version of the Psycholinguistic Assessments of Language Processing in Aphasia (PALPA-P). Its usefulness in clinical practice and discriminative power were also assessed. Thirty-seven ADHD children were compared to 67 children from a control group, in terms of their performance in selected PALPA-P subtests. The results suggest that ADHD children show greater deficits in language tasks, particularly on phonological processing and comprehension tasks. This is a pioneer study in Portugal, on ADHD children assessment, using the PALPA-P test battery. The results show the test battery’s clinical value, as well as its discriminative power, for the comprehensive assessment of these children. <![CDATA[<b>Kidscreen-52</b>: <b>a perceção dos pais sobre a qualidade de vida dos filhos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The KIDSCREEN 52 is a European cross-cultural and standardized instrument that assesses ten health related quality of life (HRQoL) dimensions in children, adolescents and their parents. It is often claimed that children self reports are not totally accurate, calling for a confirmation from parents or caregivers. The present study focuses only on the Kidscreen-52, parents’ version (a parallel version addressed specifically to parents perceptions of their son’s HRQoL). 2255 parents of children and adolescents with a mean age of 13.2, attending the 5th grade and 7th grade were inquired. The fit indexes indicate good fit to the data. Specifically, the final solution of the RMSEA was lower than .03, the upper limit of 90% confidence interval was lower than .05, and CFI was higher than .95. Results indicate that the current 52 items structure is invariant across gender and age group. The parent’s version of the Kidscreen-52 questionnaire constitutes a valid instrument to estimate parent’s perception of quality of life in their children.<hr/>O Kidscreen-52 é um instrumento europeu inter-cultural e padronizado que avalia 10 dimensões da qualidade de vida relacionada com a saúde (QVRS) em crianças, adolescentes e seus pais. Afirma-se frequentemente que os auto-relatos de crianças não são totalmente precisos, sendo necessária uma confirmação por parte dos pais ou responsáveis. O presente estudo refere-se ao Kidscreen-52, versão para pais (uma versão paralela dirigida especificamente aos pais quanto à perceção de QVRS dos seus filhos). Participaram 2.255 pais de crianças e adolescentes com idade média de 13,2 anos , frequentando o 5º e o 7º anos de escolaridade. Os índices de ajustamento indicam bom ajustamento dos dados. Especificamente, na solução final o RMSEA foi menor do que 0,03, o limite superior do intervalo de confiança de 90% foi inferior a 0,05, e CPI foi maior do que 0,95. Os resultados indicam que a atual estrutura de 52 itens é invariante em relação ao gênero e à idade. A versão para pais do questionário Kidscreen-52 constitui um instrumento válido para estimar a perceção dos pais acerca da qualidade de vida relacionada com a saúde dos seus filhos, crianças e adolescentes. <![CDATA[<b>A intervenção psicológica em cuidados paliativos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os Cuidados Paliativos (CP) correspondem ao cuidado ativo e total do paciente cuja doença não responde mais ao tratamento curativo. Este artigo trata-se de uma revisão da literatura específica no contexto da produção do conhecimento nos últimos 11 anos e tem como objetivo analisar os referenciais teóricos e as técnicas utilizadas por psicólogos no atendimento a adultos em CP, inclusive a pacientes terminais e seus familiares/cuidadores. Investigou-se o conceito, características e contextos que oferecem CP, bem como as intervenções psicológicas realizadas. A análise permitiu observar que o psicólogo realiza intervenções relevantes em CP, considerando a intensidade do sofrimento que os pacientes e familiares/cuidadores apresentam nessa fase da doença, com a proximidade da morte. Contudo, a carência de publicações na área da psicologia serve de alerta para a inclusão dos CP na formação destes profissionais, pois, de um total de 149 referências encontradas, apenas 21 abordaram a intervenção psicológica em CP.<hr/>Palliative Care (PC) are active and total care of patients whose disease no longer responds to curative treatment. This article is a review of the literature on the specific context of knowledge production in the last 11 years and aims to analyze the theoretical references and the techniques used by psychologists in care of adults in the PC including terminally ill patients and their families or caregivers. We investigated the concept, characteristics and contexts that offer PC as well as psychological interventions performed. The analysis allowed us to observe that the psychologist performs relevant interventions in ??PC, considering the intensity of suffering that patients and family/caregivers had at that stage of the disease, with the proximity of death. However, the lack of publications in Psychology serves as a warning to the inclusion of PC in the training of these professionals, for a total of 149 references found, only 21 dealt with the psychological intervention in PC. <![CDATA[<b>Adaptação da escala de ansiedade pré-escolar, de s. Spence</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretendemos, com este estudo, avaliar as propriedades da Escala de Ansiedade Pré-escolar de S. Spence (Spence, Rapee, McDonald & Ingram, 2001) numa amostra de crianças portuguesas. A escala foi respondida por 561 mães de crianças entre os 3 e os 7 anos de idade. Relativamente à estrutura dos sintomas de ansiedade, uma análise fatorial exploratória aponta para uma solução composta por 5 fatores (ansiedade geral, ansiedade social, perturbação obsessivo-compulsiva, medo de dano físico e ansiedade de separação) como sendo a mais adequada. Os índices de consistência interna, de validade externa (através da correlação com a Escala de Internalização do CBCL) e de discriminação com uma amostra de crianças referidas para consulta de psicologia clínica devido a perturbações de ansiedade são satisfatórios. Obteve-se uma correlação positiva entre o incremento da idade e a intensidade e expressão dos sintomas.<hr/>The aim of this study was to evaluate the psychometric properties of the Spence Preschool Anxiety Scale (Spence, Rapee, McDonald & Ingram, 2001) in a sample of Portuguese children of preschool age. The scale was answered by 561 mothers of children between 3 and 7 years old. Concerning the structure of anxiety symptoms, an exploratory factor analysis points to a solution composed of five factors (general anxiety, social anxiety, obsessive compulsive disorder, fear of physical injury and separation anxiety) as more appropriate. Were also found satisfactory internal consistency; external validity (by correlation with the CBCL Internalizing Scale) and discrimination with a sample of children referred for outpatient clinical psychology because of anxiety disorders were also satisfactory. We obtained a positive correlation between increasing age and severity of symptoms expression but no differences due to gender. <![CDATA[<b>Desfiguramento facial adquirido</b>: <b>breve revisão narrativa</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Em 2010, o Instituto Nacional de Estatística de Portugal (INE) indicou que anualmente se realizam cerca de 40 000 médias e grandes cirurgias reconstrutiva e estética. Apesar da sua etiologia, justifica-se uma maior dedicação na investigação de indivíduos que por trauma ou doença perderam a sua “identidade” apresentando um desfiguramento facial. Pretende-se com o presente artigo apresentar uma breve contextualização que descreva o desenvolvimento sobre o desfiguramento facial adquirido causado pela doença (cancro cabeça e pescoço) ou originado pelo trauma (queimados, agressão, outros), recorrendo a literatura publicada em livros e artigos científicos, fazendo também referência a instrumentos validados para a população portuguesa que permitem avaliar o investimento da imagem corporal (ASI-R) e avaliar a autoconsciência da aparência (DAS-24). Referenciar as necessidades e questões psicossociais mais comuns, o tipo de intervenção, a importância do apoio social e quais as estratégias de coping mais frequentes no ajustamento ao desfiguramento facial adquirido.<hr/>In 2010, the Portuguese Institute of Statistics (INE) pointed out that 40,000 medium and large reconstructive and aesthetic surgeries are performed annually. Regardless of its etiology, a stronger focus on investigating individuals that have lost their "identity" due to trauma or disease, thus featuring a facial disfigurement, is justified. The intention of this paper to present a brief context that describes the development of the acquired facial disfigurement caused by the disease (cancer of the head and neck) or originated by trauma (burns) using published literature in books and articles scientific, also making reference to instruments validated for the Portuguese population for assessing investment body image (ASI-R) and to evaluate the self-consciousness of appearance (DAS-24). Identify the need and psychosocial issues most common type of intervention, the importance of social support and coping strategies which frequently in adjustment to acquired facial disfigurement. <![CDATA[<b>Escalas de avaliação da interação mãe-bebé</b>: <b>Versão portuguesa das <i>interaction rating scales</i></b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As Escalas de Avaliação da Interação Mãe-Bebé constituem a versão portuguesa das Interaction Rating Scales, propostas por Field (1980), e têm por objetivo avaliar a interação mãe-bebé, aos 3 meses de idade do bebé. As Escalas de Avaliação da Interação Mãe-Bebé foram administradas a 51 díades mãe-bebé aos 3, 6 e 12 meses pós-parto. A versão portuguesa das escalas mostrou elevados índices de consistência interna - Alfa de Cronbach 0,85 (IRSff bebé), 0,91 (IRSff mãe), 0,87 (IRSal bebé), 0,82 (IRSal mãe), assim como elevada fidelidade e validade concorrente e preditiva. As Escalas de Avaliação da Interação Mãe-Bebé assume-se, assim, como um instrumento robusto na avaliação da interação mãe-bebé, na situação de interação face-a-face e na situação de interação alimentar, podendo ser utilizadas em diferentes amostras e contextos, clínicos e de investigação.<hr/>The Escalas de Avaliação da Interação Mãe-Bebé are a portuguese version of the Interaction Rating Scales proposed by Field (1980); aim to evaluate the mother-infant interaction at infant’s 3 months old. The translated version was administered to 51 mother-infant dyads at 3, 6, and 12 months postpartum. The Portuguese version showed high levels of internal consistency - Cronbach’s Alpha .85 (IRSface-to-face infant), .91 (IRS face-to-face mother), .87 (IRSfeeding infant), .82 (IRSfeeding mother) - concurrent and predictive validity and reliability. The Escalas de Avaliação da Interação Mãe-Bebé are an important instrument on the evaluation of mother-infant interaction and it could be used with different samples and in clinical and research contexts. <![CDATA[<b>Vinculação e modelo interno dinâmico do <i>self</i> em crianças de idade pré-escolar</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862013000300011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A teoria da vinculação sugere que as noções sobre o self e as representações das relações de vinculação são internalizadas ao longo do tempo de forma complementar e mutuamente confirmatória, com as relações precoces a possuir um papel fundamental neste processo. No entanto, poucos estudos olharam para as associações entre o self e a qualidade da vinculação durante o período pré-escolar, como este estudo pretende fazer. A nossa amostra foi constituída por 70 crianças portuguesas, com idades compreendidas entre os 4 e os 5 anos. A qualidade das representações de vinculação foi acedida por meio da Attachment Story Completion Task - ASCT (Bretherton, Ridgeway & Cassidy, 1990). As 5 histórias foram videogravadas e cotadas, por três cotadores independentes, numa escala de 8 pontos, para a Coerência e Segurança. O acordo entre cotadores atingiu, respectivamente, 0,81 e 0,85. Os modelos internos dinâmicos do self foram acedidos através da Puppet Interview (Cassidy, 1988). Os resultados demonstram existir uma relação entre a relação de vinculação estabelecida com a mãe e a organização do modelo interno dinâmico do self. Crianças com um modelo de vinculação seguro demonstraram possuir um modelo interno do self mais positivo. Os nossos resultados suportam a presença de ligações entre as representações de vinculação e as representações globais do self. No futuro também seria importante diversificar a nossa amostra, presentemente uma amostra normativa, de forma a poderem-se explorar diferentes padrões de associação entre ao autoconceito e as representações de vinculação.<hr/>Attachment theory suggests that notions about the self and representations of the attachment relationships become internalized over the time within a matching mode, with early interactions performing a crucial role on this process. Nevertheless, few studies looked at the associations between self-concept and attachment quality during the preschool period, as this study aims to do. Participants were 70 Portuguese children, aged between 4 and 5 years. Quality of attachment representations was assessed through the Attachment Story Completion Task - ASCT (Bretherton et al., 1990). All the 5 stories were videotaped and rated, by three blinded trained coders, on a 8-point scale for Coherence and Security (Bretherton, Ridgeway & Cassidy, 1990). Inter-rater agreement reached, respectively, 0,81 and 0,85. Self representations were assessed using the Puppet Interview (Cassidy, 1986) to evaluate the internal working model of the self. Results show the relation between attachment relationship and the organization of the child self internal working model. Children with a secure attachment model showed a more positive internal model of the self. Our results support the presence of connections between the quality of the attachment representations and the global representation of the self. In the future it would also be important to diversify our sample, presently a non-risk one, so that different patterns of association between self-concept and attachment representations can be explored.