Scielo RSS <![CDATA[Psicologia, Saúde & Doenças]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=1645-008620090001&lang=pt vol. 10 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Bullying nas Escolas</b>: <b>Comportamentos e Percepções</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O propósito do presente estudo foi o de investigar os comportamentos de bullying entre estudantes de escolas públicas em Portugal. A nível específico procurou-se analisar a associação entre uma série de diferentes tipos de comportamentos de bullying (enquanto provocado e provocador) e algumas variáveis préditoras, variáveis comportamentais (consumo de álcool, drogas e porte de armas) e cognitivas/percepções (percepção de satisfação com a vida e percepção de segurança na escola). Foram utilizados os dados provenientes da Base de Dados Portuguesa da HBSC, Health Behaviour in School Aged Children de 2002. A amostra (representativa) é constituída por 6131 adolescentes do 6.º, 8.º e 10.º ano (M = 14 anos, DP = 1.85) que responderam a um questionário relativo a uma série de comportamentos, crenças e atitudes no âmbito da saúde. Os alunos sentem-se provocados e dizem provocar de diferentes formas. É de salientar que quantos mais os alunos percepcionam a escola como sendo insegura, quanto mais insatisfeitos estão com a vida mais relatam serem vítimas de bullying e agressores; o mesmo padrão é verificado com o porte de armas e para os consumos de álcool e droga. É importante realçar que os diferentes tipos de bullying partilham alguns dos mesmos pré-ditores, contudo, há especificidades e singularidades que devem ser tidas em consideração nos programas de intervenção. O bullying é um problema grave nas escolas por todo o mundo e é um assunto com o qual nos devemos preocupar. Espera-se que os resultados deste estudo alertem estudantes, professores e encarregados de educação para este problema. Espera-se com este trabalho que o fenómeno bullying passe a ser encarado numa complexa dinâmica de causalidades que urge abordar de modo integrado.<hr/>The present study was intended to investigate bullying behaviours among public school students in Portugal. It specifically aimed to analyse the connection between different types of bullying behaviour (as simultaneously provoked and provoking) and some behavioural predictor variables (alcohol/drug use and weapon carrying) and cognitive/perception variables (perceived life satisfaction and perception of school security). The data was collected from the Portuguese HBSC (Health Behaviour in School Aged Children) Database as regards 2002. The (representative) sample is composed of 6131 adolescents in primary and secondary education, namely in 6th, 8th and 10th grades (M = 14 years, SD = 1.85). Each had to answer a questionnaire on a series of behaviours, beliefs and attitudes as far as health is concerned. The pupils feel themselves provoked and say that they provoke others by different forms. The results point out that the more pupils perceive school to be unsafe and the more unsatisfied they are with their lives, the more they claim to be victims of bullying and aggressors. The same pattern holds true for weapon carrying and alcohol and drug use. It is important to underline that different types of bullying share the same predictors; however, their specificity and singularity should be carefully considered for intervention purposes. Bullying in school is a worldwide problem; therefore, it is a serious issue one must be concerned about. The findings of this study are expected to raise the awareness of students, school teachers, parents and carers about this problem. Moreover, with this work we expect the bullying phenomenon to start being considered within a complex dynamics of causality that urges to be addressed in an integrated way. <![CDATA[<b>Vinculação pré-natal e ansiedade em mães e pais</b>: <b>impacto da ecografia do 1º trimestre de gestação</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Com o objectivo de avaliar o impacto da ecografia do 1º trimestre de gravidez na ansiedade e vinculação pré-natal, 22 mães e 22 pais foram recrutados numa Unidade de Medicina Fetal e Diagnóstico Pré-natal. Foram administrados a Bonding Scale (Taylor, Atkins, Kumar, Adams, & Glover, 2005; versão portuguesa de Figueiredo, Marques, Costa, Pacheco, & Pais, 2005b) e o State Trait Anxiety Inventory (Spielberger, Gorsuch, Lushene, Vagg, & Jacobs, 1983; versão portuguesa de Silva, 2003), antes e depois da ecografia, a ambos os membros do casal. Os resultados revelaram que a vinculação pré-natal aumenta significativamente enquanto a sintomatologia ansiosa diminui, depois da realização da ecografia. Conclui-se que a ecografia pode ter um papel tranquilizador e potenciador da ligação dos pais ao seu bebé por nascer.<hr/>In order to analyse the first trimester ultrasound impact on anxiety and prenatal bonding, 22 mothers and 22 fathers were recruited from a Fetal Medicine and Prenatal Diagnosis Unit. The mothers and fathers filled out Portuguese versions of the Bonding Scale (Taylor, Atkins, Kumar, Adams, & Glover, 2005; Figueiredo, Marques, Costa, Pacheco, & Pais, 2005) and the State Trait Anxiety Inventory (Spielberger, Gorsuch, Lushene, Vagg, & Jacobs, 1983; Portuguese version by Silva, 2003), before and after the ultrasound attendance. The results show that prenatal bonding improves significantly from before to after the ultrasound attendance, while the anxiety levels diminished. We can conclude that the ultrasound scanning seems to have a positive impact on the mother and father prenatal bonding and reassurance. <![CDATA[<b>O impacto da interrupção da gravidez por mal formação congénita</b>: <b>a perspectiva do pai</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os avanços das técnicas de diagnóstico pré-natal, tornaram possível a identificação de alguns problemas de saúde do feto in-útero, e a determinação do risco da sua ocorrência, deixando aos pais a liberdade e responsabilidade de decidir acerca da saúde do feto, muito antes do seu nascimento. A complexidade de tais decisões coloca os casais numa encruzilhada, em que qualquer dos caminhos escolhidos marcará as suas vidas. As vivências do progenitor masculino têm sido quase ignoradas pelos investigadores, pelo que a experiência do pai continua a ser muito pouco conhecida. O presente estudo pretende conhecer e compreender os significados atribuídos pelo Pai à experiência de interrupção da gravidez, por anomalia fetal. Para isso recorremos a uma metodologia qualitativa (Grounded Theory). A amostra é constituída por 12 homens cujas esposas interromperam a gravidez no serviço de obstetrícia do Hospital S. Marcos em Braga. Os resultados apontam a interrupção de gravidez por malformação congénita, como uma experiência emocionalmente intensa, com um intenso envolvimento dos pais ao longo do processo. A tomada de decisão representou a confrontação de dúvidas e incertezas, de sentimentos ambivalentes e de dilemas morais, como consequência do investimento na gravidez e da relação afectiva que já existia com o feto. Os pais tendem a desvalorizar os seus sentimentos e as suas necessidades de apoio, centrando as suas preocupações na companheira. Os profissionais de saúde, na opinião dos pais, não só demonstram pouca sensibilidade face aos seus sentimentos e necessidades como constituem um obstáculo ao envolvimento do pai ao longo do processo. A partilha desta experiência com a esposa e o apoio mútuo entre o casal fortaleceu a relação. Os projectos de nova gravidez evidenciam a busca de um novo sentido de vida para estes pais. Estes resultados enfatizam a necessidade de um olhar mais atento sobre o impacto que este acontecimento tem na vida do pai e da importância dos profissionais de saúde neste processo.<hr/>The development of prenatal diagnosis techniques have made possible the identification of some health problems in the inborn baby and the determination of the risk of such occurrence, leaving parents with the choice and responsibility of deciding about the fetus’ health long before the birth. The complexity of such decisions places the couple in a crossroad and any of the chosen roads will impact their lives forever. The father´ s experience has been neglected by researchers and, as a result, their experience is not well known. This study aims to understand the meanings fathers give to the pregnancy interruption, due to congenital malformation, of their baby. A qualitative analysis was used (grounded theory). The sample includes 12 men whose wives terminated their pregnancy in the obstetric service of S. Marcos Hospital in Braga. Results show that pregnancy interruption due to congenital malformation is a very intense emotional experience, with a great involvement of fathers during the entire process. The decision making process required a confrontation of doubts and uncertainties, ambivalent feelings and moral dilemmas, as a consequence of the investment on the pregnancy and the emotional relationship that was already established with the baby. Fathers tend not to value their need for support, and centred all their worries on their mates. Health professionals, in their opinion, show low sensibility towards their feelings and needs and are seen as barriers to their involvement through the process. Sharing their experience with their mates and mutual support between the couple strengthen the marital relationship. The project of a new pregnancy revealed the search for a new meaning in these fathers’ lives. These results show the need to look in depth into the impact of this life event on the father´ s life and the role of health professionals in the process. <![CDATA[<b>O luto no transplantado cardíaco</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os autores reenquadram o procedimento de Transplante Cardíaco (T.C.) enquanto processo desafiante do ponto de vista biopsicossocial e não meramente como um acontecimento disruptivo. Neste sentido, são realçadas as sucessivas perdas e ajustamentos emocionais que vão emergindo. Desde o confronto com o diagnóstico da cardiopatia terminal, ao sofrimento incapacitante e iminência de morte devido à insuficiência cardíaca severa, passando pela perspectiva “salvadora” mas ambivalente do T.C. e subsequente exigência bio-psicológica das fases pós-operatória e pós-alta hospitalar, o paciente depara-se com um balanço precário entre a esperança e a perda. Destacam-se ainda a particularidade e exigência do processo de Luto na pessoa transplantada cardíaca devido à forte representação cognitiva e simbólica do coração e dado tratar-se de um transplante de dador cadáver. Por último, realça-se a possível e desejada elaboração do processo de Luto como um todo, culminando esta travessia existencial num significado realizador para a Pessoa.<hr/>The authors seek to analyse the Heart Transplant procedure (H.T.) as a challenging process from the biopsychosocial point of view, and not merely as a disruptive life event. In this analysis, the emerging emotional adjustments and ensuing losses of the patient will be considered. An uneven balance between hope and loss takes over the patient’s life; the diagnosis of a terminal cardiomyopathy, with the incapacitating suffering and feeling of imminent death which derive from severe heart failure, the ambivalent perspective of the transplantation procedure and the highly demanding biological and psychological post H.T. and post hospital discharge periods. The demanding and unique nature of the grieving process experienced by the transplant recipient will also be covered, given the strong cognitive and symbolic role of the heart, and the fact that the graft is provided by a cadaver donor. Finally, attention will be given to the grieving process as a whole experience, culminating in a fulfilling existential journey for the Person. <![CDATA[<b>A relação entre a depressão em contexto laboral e o <i>burnout</i></b>: <b>um estudo empírico com enfermeiros</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Com este estudo pretendemos investigar a relação existente entre a depressão e o sindroma de burnout, nas suas três dimensões - a exaustão emocional, a despersonalização e a realização pessoal. Esta investigação foi realizada com uma amostra de conveniência, constituída por 499 enfermeiros, que trabalham nas Unidades Hospitalares de maior dimensão do Algarve, e os instrumentos utilizados foram a subescala da depressão da EADS - 21, de Lovibond e Lovibond (1995, na adaptação portuguesa de Pais Ribeiro, Honrado, & Leal, 2004), e a MBI de Maslach e Jackson (1981, na adaptação portuguesa para enfermeiros de Parreira & Sousa, 2000). Os resultados encontrados levam-nos a sugerir que, embora no contexto laboral os quadros depressivos possam ocorrer como uma manifestação do burnout, o inverso parece não ser evidente, pelo que não podemos dizer que o burnout seja uma manifestação da depressão. Concluímos, então, que estas duas entidades são constructos diferentes, apesar de apresentarem aspectos comuns.<hr/>With this study we want to investigate the relationship between depression and burnout syndrome, in its three dimensions emotional exhaustion, depersonalization and personal realization. This research was conducted with a convenience sample of 499 nurses who work in the Algarve larger Hospitals, and the instruments used were the depression subscale of EADS 21 of Lovibond and Lovibond (1995, in the Portuguese adaptation by Pais Ribeiro, Honrado, & Leal, 2004), and MBI of Maslach and Jackson (1981, in the Portuguese adaptation for nurses by Parreira & Sousa, 2000). This result, lead us to suggest that although the depression disorder in the workplace can occur as a manifestation of burnout, however, the reverse seems to be not clear. So, we cannot say that burnout is a manifestation of depression. We conclude that these two entities are different constructs, although they may have common features. <![CDATA[<b>O impacto da malformação fetal</b>: <b>indicadores afetivos e estratégias de enfrentamento das gestantes</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O objetivo deste estudo foi avaliar o grau de apego materno-fetal, ansiedade, depressão e modos de enfrentamento de gestantes com diagnóstico de fetos malformados. Participaram 22 gestantes atendidas nos Serviços de Ginecologia e Obstetrícia de cidades do estado de São Paulo/Br. Para tal, foram utilizados os seguintes instrumentos: 1) Escala de Apego Materno Fetal (Cranley, 1981); 2) Inventário de Ansiedade (BAI) e Depressão (BDI) (Beck, 1961) e 4) Escala de Modos de Enfrentamento de Problemas - EMEP (Vitaliano et al., 1985). Os resultados apontam que 21 (95,4%) gestantes participantes deste estudo apresentam o vínculo materno-fetal máximo, três (13,6%) apresentam indicadores clínicos para depressão e ansiedade e 12 (54,5%) delas utilizam como estratégias de enfrentamento a Busca de Práticas Religiosas, isto é, estratégias que englobam sentimentos de esperança e fé, diante do diagnóstico de malformação fetal. Conclui-se que, mesmo frente ao diagnóstico, as gestantes tendem a manter o apego materno-fetal e utilizam diversas estratégias de enfretamento, sendo a principal delas a busca pelas práticas religiosas.<hr/>The objective of this study was to know how to establish the maternalfetal attachment, anxiety, depression and the manners of pregnant women coping with diagnosis of malformed fetuses. We studied 22 pregnant women assisted in the gynecology and obstetric services of two cities in São Paulo state, Brazil. They were applied: 1) Scale of Maternal-fetal Attachment (Cranley, 1981); Inventory of Anxiety (BAI) and Depression (BDI) Beck (1961) and 4 the Scale of Manners of Coping of the Problem EMEP (Vitaliano et al., 1985). The results point that 21 (95,4%) participant pregnant women of this study show the maximum maternal-fetal bond, three of them (13,6%) show clinical indicators for depression and anxiety and 12 (54,5%) of them use as coping strategies the search of Religious Practices. That means, strategies that include hope and faith feelings, in front the diagnosis of fetal malformation. We can conclude that even in front to the diagnosis, the pregnant women tend to maintain the fetal maternal attachment and they use of several coping strategies, being the main of them looking for it for religious practices. <![CDATA[<b>Optimismo, suporte social e morbilidade psicológica em filhos adultos de doentes oncológicos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este trabalho teve como objectivo avaliar a relação entre optimismo, morbilidade psicológica e satisfação com o suporte social numa amostra de filhos adultos de doentes oncológicos. Para este efeito, foi utilizada uma amostra de 46 sujeitos, cujos pais se encontravam em tratamento no Serviço de Oncologia do Hospital de São Marcos, em Braga. Foram utilizados os seguintes instrumentos de avaliação: Questionário Sócio Demográfico (Pereira & Amorim, 2008); Escala de Optimismo LOT-R (Scheier, Carver, & Bridges, 1994); Escala de Stress, Ansiedade e Depressão - 21 (Pais-Ribeiro, Honrado, & Leal, 2004a) e Escala de Satisfação com o Suporte Social (Santos, Pais-Ribeiro, & Lopes, 2003). Os resultados obtidos mostram a existência de uma associação entre optimismo e morbilidade psicológica, no sentido de filhos adultos optimistas apresentarem menores níveis de morbilidade psicológica, comparativamente com filhos adultos não optimistas. Foi ainda possível observar uma associação entre o estado civil e a morbilidade psicológica, sendo que filhos adultos casados apresentam menores níveis de morbilidade psicológica. Verificou-se, também, que filhos adultos cuidadores de pais com doença oncológica apresentam níveis de stress mais elevados, comparativamente com filhos adultos não cuidadores. Estes resultados apresentam importantes implicações pois podem fornecer pistas relevantes para a intervenção ao nível da adaptação dos filhos à doença parental, particularmente ao nível da morbilidade psicológica, suporte social e optimismo.<hr/>This study aimed to evaluate the relationship between optimism, psychological morbidity and satisfaction with social support in a sample of adult offspring of cancer patients. For this purpose, a sample of 46 participants, whose parents had been diagnosed with malignant cancer participated in the study. Cancer patients were receiving treatment at the Oncologic Service of São Marcos Hospital in Braga. Subjects filled the following questionnaires: Socio Demographic Questionnaire (Pereira & Amorim, 2008); Life Orientation Test R (Scheier, Carver, & Bridges, 1994); Stress, Depression and Anxiety Scales - 21 (Pais-Ribeiro, Honrado, & Leal, 2004) and the Social Support Satisfaction Scale (Santos, Pais-Ribeiro, & Lopes, 2003).The results showed an association between optimism and psychological morbidity, i.e. optimistic offspring had lower levels of psychological morbidity, when compared to non-optimistic. We also found an association between marital status and psychological morbidity that adult offspring who were married presented lower rates of psychological morbidity when compared to non-married ones. Results also indicate that those adults who were their parents’ caregivers had higher levels of stress than those who were not. The obtained data have important implications to future interventions since it can provide important guidelines to promote a better adaptation to parental cancer, particularly in terms of psychological morbidity, social support and optimism. <![CDATA[<b>Comportamentos sexuais de risco em estudantes do ensino superior público da cidade de Bragança</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os objectivos deste estudo envolvem a caracterização e identificação dos comportamentos de risco nos alunos que frequentam o ensino superior público do Concelho de Bragança. Para atingir estes objectivos, fez-se um estudo descritivo e transversal com base num questionário que viria a ser aplicado, directamente, a uma amostra aleatória retirada de um universo de 4168 alunos. A amostra é constituída por 367 indivíduos com idades compreendidas entre os 17 e os 45 anos. Destes, 113 são do género masculino e 254 são do género feminino. Os resultados mostraram que, do total de respondentes, 76% já tiveram relações sexuais. Para estes indivíduos, a vida sexual teve início, em média, aos 17,5 anos. Destes, 40,8% tiveram relações sexuais sob o efeito de álcool, 8,1% tiveram relações sexuais sob o efeito de drogas e 3,6% nunca usaram preservativo. Apesar disso, os jovens estudantes demonstraram saber que o preservativo é o único meio de protecção das DSTs.<hr/>To characterize and to identify of risk sexual behaviours of the public higher education students' in Braganza city are the main objectives of this work. It was conducted a descriptive and cross-section study based in a survey that was administrated, directly, to a random sample hat was carried out from a 4168 students universe. The sample is constituted by 367 individuals with ages between the 17 and the 45 years old. Of these, 113 are of the masculine gender and 254 are of the feminine gender. The results show that, 76% of the respondents had, already, sexual relationships. For these individuals, the active life sexual had beginning about 17,5 years, 40,8% had sexual relationships under the effect of alcohol, 8,1% had sexual relationships under the effect of drugs and 3,6% never used preservative. However, the respondents know that the preservative is the only way of protection against STD’s. <![CDATA[<b>Robustez psicológica, apoio social e sintomas físicos no processo de stress</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este estudo procurou examinar o papel da robustez psicológica (hardiness) e do apoio social percebido no processo do stress resultante da percepção de sintomas físicos. Estas variáveis foram medidas através de questionários de auto-relato numa amostra de 102 estudantes universitários. Verificou-se que o número de sintomas físicos estava significativamente associado ao stress percebido. A robustez psicológica ligada especificamente às alterações do estado de saúde, na sua dimensão de Compromisso/Desafio e, sobretudo, de ausência de Alienação, tem um efeito amortecedor em relação ao impacto dos sintomas físicos e das doenças na percepção de stress. Estes resultados vêm em apoio não só da validade da escala utilizada para medir a robustez psicológica ligada às alterações do estado de saúde, como da importância do conceito para a psicologia da saúde.<hr/>This study examined the role of hardiness and perceived social support in the relationship between physical symptoms and perceived stress, measuring these variables with the help of self-report questionnaires in a sample of 102 college students. We found that the number of symptoms was significantly related to perceived stress. Health-related hardiness, in its aspect of Commitment/Challenge and, to an even greater extent, absence of Alienation, showed a protective effect against the impact of physical symptoms and illnesses upon perceived stress. These results support not only the validity of the scale employed to measure health-related hardiness, but also the importance of the concept for health psychology. <![CDATA[<b>O papel da intimidade conjugal na qualidade de vida da mulher com cancro da mama</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Não obstante a multiplicidade de estudos realizados no âmbito da conjugalidade da mulher com cancro da mama, a investigação sobre a intimidade nestes casais encontra-se ainda pouco documentada. Este estudo pretende conhecer a relação entre a intimidade conjugal (nas dimensões: comunicação, validação pessoal e abertura ao exterior) e a qualidade de vida destas mulheres, em duas etapas distintas da doença. A amostra é constituída por 47 mulheres recentemente diagnosticadas com cancro da mama, 47 mulheres sobreviventes de cancro da mama e 47 mulheres saudáveis, da população geral. As mulheres com diagnóstico recente de cancro da mama apresentaram uma melhor qualidade de vida social e maior intimidade na relação conjugal na dimensão comunicação. No grupo de sobreviventes, a dimensão validação pessoal da intimidade foi um preditor significativo de melhor qualidade de vida psicológica, enquanto a dimensão abertura ao exterior mostrou-se um preditor significativo de uma melhor qualidade de vida social. De uma forma geral, uma relação conjugal íntima, pautada pela validação, compreensão e livre partilha de emoções, sentimentos e preocupações, bem como pela abertura do casal aos elementos exteriores, parece promover uma melhor qualidade de vida da mulher com cancro da mama.<hr/>Despite the multiplicity of studies concerning the conjugality of women with breast cancer, research about the intimacy of these couples remains poorly documented. This study aims to analyse the relationship between couple’s intimacy (in the dimensions: communication, personal validation and opening to exterior) and women’s quality of life in two different phases of the disease. The sample is comprised of 47 women newly diagnosed with breast cancer, 47 breast cancer survivors, and 47 healthy women from general population. Women recently diagnosed with breast cancer presented better social quality of life and better conjugal intimacy on the communication dimension. Among breast cancer survivors, the personal validation dimension was a significant predictor of a better psychological quality of life, while the opening to exterior dimension was a good predictor of a better social quality of life. Generally, an intimate relationship, characterized by the validation, understanding and open share of emotions, feelings and concerns, as well as by the couple’s opening to the exterior, seems to promote a better quality of life of women with breast cancer. <![CDATA[<b>Educação sexual em Portugal e em vários países da América Latina</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862009000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O aumento das IST’s, da gravidez indesejada e de outros riscos ligados à actividade sexual, faz com que os jovens sejam considerados um grupo de intervenção prioritário em termos de saúde sexual e reprodutiva. A educação sexual tem como objectivo fundamental formar, desenvolver atitudes e competências nos jovens, permitindo que estes se sintam informados e seguros nas suas escolhas (GTES, 2005; 2007; 2007a). Estes dados apontam para uma educação sexual que incida em intervenções do tipo preventivo, de carácter universal, abrangendo toda a população escolar e respectivos contextos de vida: escola, família e grupo de pares; mas também em intervenções mais específicas e intensivas, nos subgrupos identificados como prioritários. Neste trabalho analisam-se as semelhanças e as diferenças entre o contexto de Portugal e o da América Latina, na sequência da licença sabática do primeiro autor. Mais detalhes deste percurso podem ser lidos em www.umaventurasocial.blogspot.com. Analisam-se, também, as suas consequências para as Políticas de Saúde e Educação para e com os adolescentes, nomeadamente na área da educação sexual.<hr/>The increase in STI’s, unplanned pregnancy and other risks related to sexual activity is responsible for selecting young people as an important target group for intervention in terms of sexual and reproductive health. Sex education aims at developing and training attitudes and skills in young people so as to enable them to make wel linformed and healthy decisions (GTES, 2005; 2007; 2007a). This suggests that sexual education should focus on preventive interventions, both universal, including the subgroups related to school life such as school professionals, family and peers, and selective strategies delivered to the targeted sub-groups.This work examines similarities and differences between Portugal and Latin America as a result of the first author’s sabbatical leave. It also gives insight on its consequences in terms of Health and Education Policies regarding adolescents mainly in the area of sexual and reproductive health. Further details of this period may be read in www.umaventurasocial.blogspot.com.