Scielo RSS <![CDATA[Psicologia, Saúde & Doenças]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=1645-008620080002&lang=en vol. 9 num. 2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Editorial</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Why we eat what we eat</b>: <b>Psychosocial determinants of food selection</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo apresenta uma breve análise sobre os determinantes psicossociais do comportamento alimentar. É essencial compreendermos os factores subjacentes às escolhas alimentares dos indivíduos, isto é, compreendermos porque é que comemos os alimentos que comemos e porque comemos a quantidade de alimentos que comemos, se pretendemos intervir neste domínio, seja ao nível da promoção da saúde, seja ao nível da prevenção ou tratamento da doença. No presente trabalho, apresenta-se uma análise sobre alguns dos determinantes psicológicos e sociais da regulação do comportamento alimentar, bem como uma síntese de alguns dos modelos explicativos da selecção alimentar (Modelo Desenvolvimental e Modelo Cognitivo). Procedemos, ainda, a uma reflexão sobre a relação entre alimentos, emoções, cognições e comportamentos, assim como a uma reflexão sobre a relação entre o stress e o comportamento alimentar.<hr/>This paper presents a brief analysis of the psychosocial determinants of eating behaviour. It is essential to understand the factors underlying food selection, that is to say, the factors that contribute to the individual eating, what he/she eats and how much he/she eats. In this paper, we present an analysis of some of the psychological and social factors which regulate eating behaviour, as well as some of the theoretical models that try to explain eating behaviour regulation (namely the Developmental Model and the Cognitive Model). We also discuss some issues concerning the relation between food, emotion, cognition and behaviour, and the relation between stress and eating behaviour. <![CDATA[<b>Eating behavior and food habits in children and adolescents</b>: <b>A literature review</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste trabalho de revisão bibliográfica, os autores descrevem alguns determinantes do comportamento e hábitos alimentares ao longo do desenvolvimento, da infância à adolescência. Embora primariamente influenciados por factores constitucionais, são as experiências com diversos alimentos e sabores, incentivadas por aspectos de ordem afectiva e sociais, os principais factores do comportamento e hábitos alimentares. Entre as influências mais importantes das escolhas de crianças e jovens contam-se os níveis de satisfação com o corpo, o tempo despendido face à TV e a publicidade sobre alimentos. Sobre-ingestão e excesso de peso e obesidade são algumas as consequências negativas. Compreender o comportamento alimentar e os seus determinantes é um passo importante para o desenvolvimento de estratégias de prevenção.<hr/>In this literature review, some factors of eating practices and eating behavior along development of children and adolescents are described. Although there are some genetic influences, the learning experiences with different tastes and foods in affective and social context are the main determinants of eating habits and preferences. Satisfactions with body aspect, the time spent in TV and publicity about food are some of the important influences in children and adolescents eating preferences, exercise practices. Overeating and overweight are some of the negative consequences. Obesity and eating disorders are the results of eating style and food selection. To understand eating behavior and overweight development is an important step to develop preventive and educative strategies. <![CDATA[<b>Characterization of eating style in children with eating disorders</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objectivo deste trabalho foi investigar o comportamento alimentar, de um grupo de crianças com perturbações alimentares comparativamente a crianças normo­ponderais, com excesso de peso e obesas. Foram avaliadas 124 crianças dos dois sexos com idades entre os 3 e 13 anos, das quais 26 tinham perturbações alimentares, 33 eram normo-ponderais, 32 tinham excesso de peso e 33 eram obesas. Foi realizada a avaliação antropométrica das crianças e progenitoras e calculados os Z scores de IMC das crianças. As mães responderam ao Child Eating Behaviour Questionnaire. Os resultados foram investigados recorrendo-se à análise de regressão linear e análise univariada. Entre os determinantes positivos do estatuto ponderal das crianças (Z score de IMC) encontram-se Tipo físico da mãe e Sobre-ingestão emocional. Entre os determinantes negativos encontram-se Resposta à saciedade e Ingestão lenta. Verificou-se que os quatro grupos se distinguiam quanto ao comportamento alimentar. Os factores classificados como de “atracção pela comida” associam-se positivamente às categorias de peso, enquanto os factores de “evitamento da comida” se associam negativamente com as mesmas categorias. Os resultados confirmam a interesse da investigação sobre o estilo alimentar não só na obesidade mas também nas perturbações alimentares, e a importância em se utilizar o CEBQ.<hr/>The aim of this research was to study comparatively the eating style of children with feeding disorders, normal-weight, over-weight and obese. 124 children from both gender, and age between 3-13 were observed; 26 of them presented feeding disorders, 33 were normal-weight, 32 over-weight and 33 were obese. Children and their mothers were assessed about demographic factors and SES. Mothers answered to the Child Eating Behaviour Questionnaire. Results were statistically analysed with Linear Regression and Anova. The weight status of the mother and Emotional-over-eating (from CEBQ) were determinants of the children's weight status (Z score BMI). Satiety response and Slowness in eating were negatively associated with children's Z score BMI. The four groups were different in their eating style. Factors included in food attraction scale were positively associated with weight categories; factors classified in food avoidant scale were negatively associated. This research confirms the importance of the investigation of eating style in feeding disorders, and the contribution of the CEBQ for that subject. <![CDATA[<b>Temporal stability of the children hope scale and students´life satisfaction scale</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200005&lng=en&nrm=iso&tlng=en A Esperança e a Satisfação com a Vida são variáveis individuais que reflectem uma natureza disposicional. Têm recebido atenção especial quanto ao papel que desempenham na construção de um desenvolvimento humano positivo e como potenciais contributos para o desenvolvimento de outros comportamentos e atitudes positivas. Tendo como base as características e potencialidades destas variáveis, consideramos avaliar a estabilidade destas variáveis ao longo do tempo. O objectivo deste estudo é avaliar a estabilidade das respostas às escalas de Esperança e de Satisfação com a Vida para estudantes após um período de 6 meses numa população de crianças e adolescentes. Participaram 367 estudantes que constituíram uma amostra de conveniência, 53,1% do sexo feminino, com idade M = 11,78 (entre os 10 e os 15 anos) e escolaridade M = 6,98 (entre o 6º e 8º ano). O material utilizado foi a “Escala de Esperança para Crianças”e a“Escala de Satisfação com a Vida para Estudantes”. Os resultados mostram que o coeficiente de fidelidade teste-reteste é de 0,60 para a escala de Esperança e de 0,69 para a escala de Satisfação com a Vida para Estudantes. Os resultados suportam a premissa teórica de que a Esperança e a Satisfação com a Vida compreendem propriedades de componentes traço. O desenho longitudinal deste estudo introduz um acréscimo temporal significativo, comparativamente a estudos conduzidos anteriormente e acrescenta um indicador de fidelidades aos estudos de validação das versões portuguesas das respectivas escalas. São discutidas implicações dos resultados encontrados.<hr/>Hope and satisfaction with life are individual difference variables with a dispositional nature. They receive special attention related to their importance of building on human positive development and as potentials contributors to the development of other positive behaviours and attitudes. In this later regard, having as foundation the characteristics and potentialities of hope and satisfaction with life, we consider relevant to evaluate the stability of these variables across time. The goal of the study is to evaluate the students hope and satisfaction with life scores over a 6 months period. The study include a convenience sample of 367 individuals from the community (53.1% females; age M = 11.78 years, range 10-15 years). Participants completed a questionnaire packet that included the Portuguese versions of the “Children Hope Scale” (CHS; Snyder et al., 1997) and “Students’ Life Satisfaction Scale” (SLSS; Huebner, 1991). Results show that the test-retest stability coefficient is .60 for the CHS and .69 for the SLSS. The results support the theoretical premise that hope and satisfaction with life demonstrates some trait-like properties. The longitudinal design of this study, in which hope and satisfaction with life scores were reassessed after a 6 month period, is a significant increase in comparison to previous studies that have assessed test-retest stability after a 1-, 2-week or 1-month interval. Implications of these findings are discussed. <![CDATA[<b>The male experience of infertility and assisted reproduction</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200006&lng=en&nrm=iso&tlng=en A infertilidade é clinicamente definida como a incapacidade de conceber um filho ou de levar uma gravidez a termo após um ano de relacionamento sexual regular e sem utilização de contraceptivos (WHO, 1992). Apesar de apenas um dos membros do casal ser geralmente alvo do diagnóstico de infertilidade, esta deve ser conceptualizada como um problema de ambos. Alguns autores sugerem que a literatura científica tem menosprezado o impacto da infertilidade nos homens, ao focar as suas investigações essencialmente nas mulheres, e vários estudos têm demonstrado que os homens também são afectados pela infertilidade. O presente artigo pretende abordar o impacto da infertilidade nos casais e no homem em particular, focando também aspectos relacionados com a infertilidade masculina e o recurso a dador de esperma. Especial relevo é dado às questões relativas ao aconselhamento psicológico nestes contextos. É apresentado um caso único ilustrativo, sendo a discussão realizada à luz deste caso e dos tópicos abordados, procurando apontar para implicações clínicas concretas.<hr/>According to the World Health Organization (2000), infertility is defined as the incapacity of the couple to achieve pregnancy after 12 months of non protected sexual intercourse, and it is presently regarded as health impairment. Although around 10% of these diagnoses result exclusively from male dysfunction, they should be regarded as a problem of the couple. Some field authors suggest that the scientific literature as been underestimating the impact of infertility in men, as research usually focus on women, and several studies have shown that men are also significantly affected by fertility problems. The present article intends to focus on infertility impact on couples and especially on men, exploring issues related to male infertility and male donor insemination. Special attention is given to psychological intervention in this context. A case study is presented, and discussion is made in light of the previously explored issues, pointing out specific clinical implications. <![CDATA[<b>Analysis of the psychometric properties of the impact on participation and autonomy questionnaire in people with multiple sclerosis</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200007&lng=en&nrm=iso&tlng=en A avaliação da Autonomia e funcionalidade das pessoas com esclerose múltipla é fundamental para a compreensão das limitações e necessidades destas pessoas. O presente estudo tem como objectivo estudar as propriedades psicométricas da Escala de Impacto Autonomia e Participação em doentes com esclerose múltipla. Participaram neste estudo 280 indivíduos com diagnóstico de esclerose múltipla, 71,4% mulheres com idade média de 39,23 anos. Procedeu-se à análise factorial exploratória, consistência interna, teste-reteste, validade convergente e discriminante. Os resultados demonstram valores psicométricos apropriados para a versão de língua portuguesa semelhantes às versões de língua alemã e de língua inglesa. Concluímos que esta escala tem boas condições psicométricas para avaliar a autonomia funcional em indivíduos com esclerose múltipla.<hr/>Assessment of Autonomy and participation of patients with multiple sclerosis is essential to understand the limitations and necessities of these patients. The present study aims to examine the psychometric proprieties of the Impact on Participation and Autonomy Questionnaire (IPA) in patient with multiple sclerosis. Participants are 280 patients with a diagnostic of multiple sclerosis, 71.4% females, mean age of 39.23 years. We inspect metric properties namely, validity, construt validity and convergent and discriminant validity, and reliability, internal consistency and test-retest. The results show that IPA is a reliable and valid instrument for assessment autonomy and participation in Portuguese language, with similar sensibility than the Germany and English version. In conclusion these instruments have psychometric conditions for assessment the functional autonomy of people with multiple sclerosis. <![CDATA[<b>Psychologycal morbidity and ilness representation in patients with multiple sclerosis</b>: <b>Validation study of the “Hospital Anxiety and Depression Scale ” (HADS)</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=en A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença desmielinizante crónica podendo provocar incapacidade, frequentemente associadas a altos níveis de ansiedade e depressão dada as suas características de imprevisibilidade em termos de evolução. O objectivo do presente estudo foi o estudo das características psicométricas, nos doentes com EM, da escala “Hospital Anxiety & Depression Scale” (Zigmund & Snaith, 1983) e avaliar de que modo a morbilidade psicológica está relacionada com as representações na doença. A amostra incluiu 100 pacientes com Esclerose Múltipla. Os instrumentos utilizados foram: Questionário Clínico e Socio-Demográfico; Hospital Anxiety and Depression Scale” (HADS) (Zigmond & Snaith, 1983), “Illness Perception Questionnaire-Revised” (IPQ-R) (Weinman & Petrie, 1997). Os resultados revelaram que o HADS-total apresenta uma boa fidelidade (0,87), bem como uma boa consistência interna das duas sub-escalas HADS-A (0,81) HADS-D (0,78), e uma estrutura factorial de dois factores preconizados pelos autores originais. Em relação à mobilidade psicológica, as diferenças encontradas vão no sentido dos doentes com mais sintomatologia depressiva e ansiosa apresentarem uma percepção mais negativa e cíclica das consequências da doença, uma compreensão mais pobre da própria doença, bem como mais distress em relação à doença. Implicações dos resultados ao nível da intervenção são apresentados.<hr/>Multiple Sclerosis (MS) is a chronic demyelinating disease that may create incapacity often associated with anxiety and depression due to the unpredictable characteristics regarding its evolution. The goal of the present study was the study of psychometric characteristics, in patients with MS, of the psychometric characteristics of HADS (Zigmund & Snaith, 1983) and assess how psychological morbidity is related to illness representations. The sample for this study included 100 ambulatory patients with MS diagnosis. The instruments included were: Socio-demographic Questionnaire, Hospital Anxiety and Depression Scale” (HADS) (Zigmond & Snaith, 1983), “Illness Perception Questionnaire-Revised” (IPQ-R), (Weinman & Petrie, 1997). Results showed that Hads-.total has a good consistency (.87) and the same holds true for its subscales HADS-A (0,81) HADS-D (0,78) and the factorial analysis showed two factors just like the original version (Zigmond & Snaith, 1983). In terms of morbidity, patients with more depression and anxiety showed a more negative and cyclic perception of disease consequences, a poor understanding of the disease and also more distress regarding the illness. Implications of results in terms of intervention are discussed. <![CDATA[<b>Neuropsychological assesment of the opositional defiant disorder</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200009&lng=en&nrm=iso&tlng=en A Perturbação de Oposição e Desafio (POD) é um dos diagnósticos mais comuns na psicopatologia infantil. O presente estudo pretende: caracterizar o funcionamento neuropsicológico destas crianças, nas áreas da atenção, linguagem e funções executivas, com recurso à Bateria de Avaliação Neuropsicológica de Coimbra (BANC); descrever o seu comportamento em situação de teste, através do Guia de Avaliação do Comportamento na Sessão de Teste (GATSB); e estudar a validade discriminante de alguns testes da BANC. A amostra é constituída por: 31 crianças, com diagnóstico recente de POD, dos 5 aos 15 anos; e 31 crianças seleccionadas da amostra de aferição da BANC e equiparáveis às primeiras em termos de idade, género e nível socioeconómico. Os resultados evidenciam um perfil neuropsicológico característico das crianças com POD, com défices em todas as áreas estudadas. Apesar de o comportamento em situação de teste das crianças com POD apresentar uma grande variabilidade, existe uma tendência para exibirem comportamentos de oposição e desafio. Foi ainda possível aferir que os testes da BANC utilizados diferenciam os grupos clínico e de controlo.<hr/>Oppositional Defiant Disorder (ODD) is one of the most common diagnoses in children’s psychopathology. This study aims: to characterize these children’s neuropsychological functioning in the attention, language and executive functions domains, using tests of Coimbra’s Neuropsychological Assessment Battery (BANC); to describe these children’s behavior in a test environment through the Guide to the Assessment of Test Session Behavior (GATSB); and to study the discriminant validity of some BANC’s tests. The sample comprises: 31 recently ODD diagnosed children, aged 5 to 15; and 31 children selected from BANC´s normative sample, and comparable to the former in age, gender and socioeconomic status. The results obtained indicate a neuropsychological profile characteristic of ODD, with deficits in all studied areas. Although the behavior during assessment of ODD children shows great variability, there is a tendency towards oppositional and defiant behaviors. It was also possible to verify that the BANC’s tests used differentiate the clinical and control groups. <![CDATA[<b>Type II diabetes mellitus and psycopathological symptoms</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Pretendeu avaliar-se a presença de sintomatologia ansiosa e depressiva nos diabéticos tipo 2 determinando que variáveis discriminam os que apresentam sintomas psicopatológicos dos que não apresentam. Observou-se a existência de elevada prevalência de sintomatologia depressiva e ansiosa. Em relação à ansiedade, obteve-se uma função com poder discriminatório entre os grupos com e sem sintomas, baseada em quatro variáveis responsáveis pela explicação de 16,7% da variância, sendo uma maior utilização de coping de Fuga/Evitamento característico dos indivíduos com sintomatologia, e mais Apoio Instrumental, pertencer ao género masculino e desenvolver uma actividade profissional característico dos indivíduos sem sintomatologia. No caso da depressão identificaram-se quatro variáveis na distinção dos grupos numa função que explica 25,3% da variância: indivíduos com sintomatologia depressiva caracterizam-se por maior utilização da estratégia de Fuga/Evitamento e mais elevado IMC. Maior Apoio Emocional e Instrumental caracterizam indivíduos sem sintomatologia. Salienta-se a importância dos aspectos psicossociais no atendimento do doente diabético.<hr/>The objective was to evaluate the presence of anxious and depressive symptomatology in type 2 diabetics to determine which variables differentiate those that present psychopathological symptoms and those that do not. It was observed that depressive and anxious symptomatology prevailed. In relation to anxiety, a function able to discriminate between groups with or without symptoms was obtained, based on four variables which justify the 16.7% variation. It was found that a higher dependency on escape-avoidance coping was characteristic of individuals who presented symptoms and greater Instrumental support, belonging to the male gender and holding a professional activity, were characteristics of individuals without symptoms. In the depressive cases, four variables were identified that differentiated groups, with a function that explained the 25.3% variation: individuals with depressive symptomatology were characterised by a greater dependency on escape-avoidance strategies and higher BMI. Greater Emotional and Instrumental support characterised individuals who did not present symptoms. Psychosocial aspects are considered to be extremely important when providing healthcare to diabetic patients. <![CDATA[<b>The effect of unemployment on the stress levels of the secondary school teachers and strategies for coping with it</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200011&lng=en&nrm=iso&tlng=en O desemprego constitui um flagelo na nossa sociedade. Os professores são uma das categorias profissionais mais atingidas. Esta situação tem consequências sociais e psicológicas que se reflectem na saúde do indivíduo. O objectivo deste estudo é compreender o stress e a forma como os professores lidam com ele, ou seja a utilização de estratégias de adaptação (coping). A amostra contempla 100 professores do 2º ciclo, 50 desempregados e 50 exercendo a docência, em ambos os casos 25 homens e 25 mulheres a residir na zona norte de Portugal. Os professores do primeiro grupo encontravam-se desempregados ou aguardando a entrada na profissão. Os instrumentos utilizados para a avaliação do stress foram a Escala Toulosana de Stress (ETS) e a Escala Toulousana de Coping (STC) para perceber as estratégias face ao stress. Os resultados mostram que os professores desempregados ou com retardamento na entrada para a docência têm um stress elevado (p.< 0001), em comparação com os professores que exercem a profissão. A natureza do stress éuma Tensão sócio-emocional,uma Tensão física e depressiva, Perturbações físicas e agitação. Ambos os grupos manifestam um stress elevado relativamente ao futuro Lassidão e angústia temporal. Não existem diferenças entre homens e mulheres, já os mais jovens manifestam um stress significativamente mais elevado do que os mais idosos. A estratégia de coping mais utilizada pelos professores desempregados é a retracção, retraindo-se socialmente para reduzir o stress.<hr/>Unemployment is one of the scourges of modern society and teachers are among the professional categories most affected by it. This situation gives rise to social and psychological consequences with repercussions on an individual's health. The objective of this study is to understand the nature of the stress and how teachers cope with it. The sample consisted of 100 secondary school teachers in Northern Portugal, 50 of whom were unemployed and 50 who were actively teaching, each group being equally divided in gender (25 men and 25 women). The teachers in the first group had either been made unemployed or were still waiting to enter the profession. The instruments used for the purposes of evaluation were the Toulouse Stress Scale (TSS) to measure the level of stress and the Toulouse Coping Scale (TCS) to determine the strategies used to deal with it. The results showed that teachers who are unemployed or whose entry into the profession has been delayed, suffer increased stress in comparison with teachers practising their profession. The nature of the stress can be summarised as: socio-emotional tension, physical tension and depression, physical perturbations and agitation. Both groups demonstrated increased stress with regard to the future, tiredness and temporary anguish. There were no differences between men and women, though the youngest individuals demonstrated significantly higher levels of stress than the older teachers. The strategy of coping most employed by unemployed teachers is withdrawing from society to reduce stress. <![CDATA[<b>Alcohol cravers</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862008000200012&lng=en&nrm=iso&tlng=en O craving pode ser definido como um desejo irreprimível, intrusivo e intenso pelo consumo do álcool. Na literatura, têm sido introduzidos vários modelos explicativos e instrumentos de avaliação deste conceito. O estudo tem como objectivo avaliar as características psicométricas de dois questionários de avaliação do craving (Escala Obsessivo-compulsiva de Yale-Brown para Bebedores Excessivos e a Escala de Craving pelo Álcool de Penn), numa população dependente do álcool em regime de tratamento em ambulatório e averiguar comparativamente os níveis de craving da amostra. O estudo da fiabilidade, da constituição factorial e dos coeficientes de correlação das escalas com medidas análogas, revelaram boas qualidades psicométricas e corroboram a validade convergente. A análise comparativa verificou que os pacientes dependentes do álcool classificados como “Cravers” apresentaram significativamente maiores níveis de depressão, ansiedade e agressividade; reforçando a componente cognitiva do craving enquanto elemento induzido por afectos negativos - craving negativo.<hr/>Craving can be defined as a strong desire/urge towards alcohol consumption. In the literature, several models have tried to explain this phenomenon and many psychometric instruments have been introduced. The study aims to assess the psychometric properties of two craving questionnaires (Yale -Brown Obsessive Compulsive Scale for heavy drinking and the Penn Alcohol Craving Scale) and the alcohol craving levels in an alcohol dependent outpatient population. Reliability study, factorial analysis and correlation coefficients of similar measures revealed good psychometric qualities and corroborate the convergent validity. Comparative analysis verified that alcohol dependent patients classified as “cravers” show significantly higher scores of depression, anxiety and aggressivity, supporting the cognitive component of craving induced by negative emotions - negative craving.