Scielo RSS <![CDATA[Faces de Eva. Estudos sobre a Mulher]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0874-688520190002&lang=pt vol. num. EXTRA lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Reflexão prévia I</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Reflexão prévia II</b>: <b>Arte e Género como tema de investigação</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Performatividade de género, performatividade queer e o queering como método</b>: <b>Uma introdução</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os conceitos de performatividade de género e de performatividade queer encontram-se no núcleo duro da teoria queer, e o “queering” é a metodologia de análise que comprova a extraordinária produtividade desta no desestabilizar da equação sexo/ género/desejo. A aplicação do projeto crítico desnaturalizador e desessencializador do queering às artes, das artes performativas às artes plásticas e à literatura, tem-se revelado imensamente frutífera para discernir os processos mediante os quais foram construídas a oposição binária entre masculinidade e feminilidade, os estereótipos identitários de género, ou as subjetividades sexuais abjetas.<hr/>The notions of gender performativity and queer performativity are at the core of queer theory and queering is the methodology of queer inquiry that testifies to its extraordinary productivity in what concerns the destabilizing of the sex/ gender/desire equation. The application of the critical denaturalizing and des-essentializing queering project to the arts, from the performative arts to the fine arts and literature has proved to be immensely productive in order to discern the processes through which have been construed the binary opposition between masculinity and femininity, identitary stereotypes of gender, or abject sexual subjectivities. <![CDATA[<b>História das mulheres e de género em Portugal</b>: <b>Horizontes temáticos e desafios atuais</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste artigo traça-se o desenvolvimento dos estudos das mulheres e de género em Portugal, desde o início do século XXI à atualidade, identificando-se o seu contributo para a historiografia recente e para a renovação da ciência histórica. Tomando como elemento de análise a investigação produzida desde o ano de 2000, captada, sobretudo, a partir de bases de dados de repositórios científicos, apontam-se as principais linhas de pesquisa, os seus pressupostos epistemológicos e enunciam-se as áreas temáticas exploradas e/ou em construção.<hr/>This article focuses on the development of women and gender studies in Portugal, from the beginning of the 21st century onwards, until the present moment. It also identifies their contribution to recent historiography and to the renovation of historical science. Considering as analysis element all the research produced since the year 2000, gathered mostly from the databases and scientific repositories of both universities and other sources, we show the several lines of research, their epistemological presuppositions, and we refer explored and/or undergoing thematic areas. <![CDATA[<b>Supõe que a verdade fosse uma mulher… E porque não?</b>: <b>Entrando de lado, ou o ‘gendering’ e o ‘blackening’ de histórias coloniais, anti- e pós-coloniais na obra de Eurídice Kala aka Zaituna Kala</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A partir de Entre de lado, Measuring blackness and a guide to many other industries e Supõe que a verdade fosse uma mulher… E porque não?, examino de que forma a obra de Eurídice Kala (Maputo, 1987) questiona hegemonias eurocêntricas e masculinistas. Argumento no sentido de se reconhecer a relevância da sua prática para a desconstrução de versões ‘branqueadoras’ da história - incluindo o masculinismo de muitas narrativas anti-coloniais - e para a afirmação de um feminismo interseccional. A esta reflexão subjaz o reconhecimento da importância do diálogo entre práticas artísticas e historiográficas, com impacto ao nível duma descolonização epistémica.<hr/>Drawing on Entre de lado, Measuring blackness and a guide to many other industries, and Imagine if truth was a woman... And why not?, I examine the ways in which the work of Eurídice Kala (Maputo, 1987)questions eurocentric and masculinist hegemonies. I argue that her practice is relevant for the deconstruction of ‘whitening’ versions of history - including the masculinism of many anti-colonial narratives - and the affirmation of an intersectional feminism. The analysis is underlined by the acknowledgement that the dialogue between artistic and historiographical practices can be productive, notably at the level of an epistemic decolonization. <![CDATA[<b>Análise da produção poética das artistas Letícia Parente, Regina José Galindo e Andressa Cantergiani acerca dos conflitos de gênero</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Esta pesquisa objetiva analisar os desdobramentos de e sobre mulheres na contemporaneidade nos contextos político-sociais a partir da obra de três artistas visuais: Letícia Parente; Regina José Galindo e Andressa Cantergiani. Através da ótica cartográfica e afetiva sobre os corpos como territórios de domínio, são realizadas análises sob paradigma feminista das produções geopoéticas das artistas citadas e suas colaborações subjetivas acerca dos conflitos de gênero e construção identitária feminina no campo da história e da teoria da arte. A análise das produções poéticas das artistas permitiu identificar suas corpografias enquanto territórios existenciais expressos em seus trabalhos e as relações desses territórios com os conflitos de gênero.<hr/>This research aims at analyzing the women unfoldings in the contemporaneity socio-political context from the work of three visual artists: Letícia Parente, Regina José Galindo, and Andressa Cantergiani. Through the cartographic and affective view of bodies as territorial domain, under a feminist paradigm, an analysis of the geopoetic art productions of these artists and their subjective collaborations on the discussion about gender conflicts and feminine identity construction in the field of history and theory of art is carried out. The analysis of the poetic productions of the artists allowed to identify their corpographies as existential territories expressed in their works and the relations of these territories with gender related conflicts. <![CDATA[<b>A necropolítica e as resistências no discurso pictórico-político de Adriana Varejão</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este trabalho tem como objetivo analisar as intersecções entre gênero, colonialidade e raça no discurso pictórico da artista brasileira Adriana Varejão. O corpus é composto de imagens da série Terra incógnita, problematizadas segundo a ordem da biopolítica e da necropolítica, dispositivos que se produzem sob a égide do governo, das disciplinas e da violência. A hipótese é que Varejão inaugura uma heterotopologia estético-política, ancorada em estratégias de canibalismo e resistência que colocam em xeque, de uma perspectiva diaspórica, as corporalidades femininas e racializadas coloniais.<hr/>This work aims to analyze the intersections between gender, coloniality, and race in the pictorial discourse of the Brazilian artist Adriana Varejão. The corpus comprises images from the Terra incógnita series, problematized according to the order of biopolitics and necropolitics, apparatuses that are produced under the aegis of government, disciplines and violence. The hypothesis is that Varejão inaugurates an aesthetic-political heterotopology, anchored in strategies of cannibalism and resistance that challenge, from a diasporic perspective, the colonial feminine and racialized corporalities. <![CDATA[<b>Intersecções de género, “raça” e nacionalidade</b>: <b>Corpo e performatividade em Plantation memories de Grada Kilomba</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Género, “raça” e nacionalidade, como vectores analíticos vividos e experienciados, intersectam-se no trabalho de Grada Kilomba, cruzando estudos de género, pós-coloniais com histórias de vidas de mulheres negras. Plantation memories reúne episódios de racismo quotidiano, colocando num mesmo plano temporal da História passado e presente, expondo feridas, procurando a sua desconstrução, potenciando leituras alternativas. O livro é mote de uma lectureperformance, na qual cinco actores tomam o palco e as palavras assumem toda a força, dominando os corpos que as ressignificam. Tomando os conceitos de corpo e performatividade em Plantation memories procura-se alargar o campo da reflexão sobre intersecções de género, “raça” e nacionalidade.<hr/>Gender, race, and nationality, as lived and experienced analytical vectors, intersect in the work of Grada Kilomba, crossing gender and postcolonial studies with stories of the lives of black women. Plantation memories brings together episodes of everyday racism, putting in the same temporal plane past and present history, exposing wounds, seeking their deconstruction, fostering alternative readings. The book is a motto of a lectureperformance, in which five actors take the stage and the words assume all the force, dominating the bodies that resignify them. Taking the concepts of body and performativity in Plantation memories seeks to broaden the field of reflection about intersections of gender, “race” and nationality. <![CDATA[<b>Considerações sobre o arquivo em práticas artísticas pós-coloniais</b>: <b>Uma reflexão a partir da obra de Ângela Ferreira</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste breve ensaio proponho fazer uma reflexão em torno das diferentes aceções da ideia de arquivo e das possibilidades de interpretação que as mesmas abrem na análise de diversas práticas artísticas e de representação, podendo ser posicionada no âmbito dos novos discursos da crítica contemporânea, genderizados e descentralizados. Partindo de uma perspetiva percetiva (Gilles Deleuze), pretendo investigar a possibilidade de esboçar uma ideia de “arquivo percetivo”, conceito que pode ser utilizado na análise de práticas artísticas contemporâneas e na revisão que estas têm operado nas representações e no eixo ético-político dos discursos feministas e pós/des-coloniais.<hr/>In this short paper I propose a reflection around different perspectives on the idea of the archive and the interpretative possibilities it might open in terms of analyzing different types of artistic and representation practices, thus being placed in the context of contemporary critical discourses, that are both gendered and decentralized. Departing from a ‘perceptive’ perspective (Gilles Deleuze), I intend to draw on the idea of a ‘perceptive archive’, a concept that can be used in the analysis of contemporary artistic practices and in the revision that such practices have been producing in the representations and the ethical and political axis of feminist and post/de-colonial discourses. <![CDATA[<b>Arte e resistência</b>: <b>Género e performance contemporânea em Portugal</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo explora a contradição entre a presença mais central das mulheres nas artes performativas e o seu distanciamento do feminismo. Analisa duas performances portuguesas com mulheres em papéis principais: Um museu vivo de memórias pequenas e esquecidas de Joana Craveiro e Fausta de Patrícia Portela. Conclui que estas performances oferecem alternativas significativas às normas de construção de género e modelos neoliberais de sucesso individual.<hr/>This article begins by outlining the contradiction whereby women increasingly occupy central positions in the performing arts while distancing themselves from feminism. It analyses two Portuguese performances where women are central: A living museum of small, forgotten memories by Joana Craveiro, and Fausta by Patricia Portela. It concludes that these performances offer significant alternatives to normative constructions of gender and neoliberal models of individual success. <![CDATA[<b>Entrelaçar é como fazer tricot</b>: <b>O ‘teatro interior’ de Paula Rego e a estrutura em rede das suas relações afectivas e intelectuais</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper establishes a dialogue amongst visual and literary narratives, drawing on Paula Rego’s intricate series of art compositions which she has been fearlessly creating over the years in a constant “interweaving” process with fellow artists and writers, classic and contemporary, Portuguese or British. Italo Calvino’s essay on “Visibility” (Six memos for the next millenium, 1988) will provide a structural guideline to our analysis and Balzac’s tale “Le chef d’oeuvre inconnu” (1845), will be comparatively discussed as an intriguing reflection on the nature of the work of art, the search for aesthetic perfection and the irrepresentability of the sublime, through the allegory of the feminine.<hr/>Este texto pretende estabelecer um diálogo entre narrativas visuais e literárias, focando a obra construída ao longo dos anos por Paula Rego, plena de “entrelaçamentos” e diálogos intertextuais e interartísticos. Pretende-se evidenciar que o “teatro interior” de Paula Rego é povoado de vozes, discursos e narrativas polifónicas desfiando fronteiras disciplinares e permanentemente questionando representações estereotipadas de género. O ensaio de Italo Calvino sobre a “Visibilidade” (Seis propostas para o próximo milénio, 1990) será um leitmotif desta análise comparativa, assim como o conto de Honoré de Balzac “Le chef d’oeuvre inconnu” (1845). <![CDATA[<b>Mulher Changana calada</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo descreve e analisa a minha instalação “Mulher Changana calada”, que faz parte de um conjunto de obras que tenho vindo a desenvolver e a expor em diversos espaços públicos, com o propósito de divulgar a tradição e cultura moçambicanas na arte contemporânea. A obra apresenta uma reflexão crítica sobre os rituais Changana, que combinam a tradição e a religião, aos quais a mulher viúva Changana é submetida na região sul de Moçambique. A carga simbólica destas práticas encontra-se presente na minha obra através de diferentes elementos da tradição Changana. De igual modo, esta pesquisa destaca o papel da mulher artista moçambicana no panorama artístico e enquanto professora de artes visuais no sistema de ensino moçambicano.<hr/>This article describes and analyzes my installation “Mulher Changana calada”, which is part of a set of works that I have been developing and exhibiting in various public spaces, with the purpose of disseminating the Mozambican tradition and culture in contemporary art. The art work presents a critical reflection on the Changana rituals, which combine tradition and religion, to which the Changana widow woman is subjected in the southern region of Mozambique. The symbolic charge of these practices is present in my work through different elements of the Changana tradition. Similarly, this research highlights the role of Mozambican women artists in the artistic panorama and and as a teacher of visual arts in the Mozambican teaching system. <![CDATA[<b>Odeio ser gorda, come-me por favor!</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Obra composta por travessas de porcelana montadas sobre um tecido vermelho adamascado. Cada travessa é diferenciada, tendo como elemento decorativo uma fotografia a sépia do corpo nu da artista em poses variadas e a frase/legenda impressa em quatro línguas (português, inglês, francês e alemão) Odeio ser gorda, come-me por favor! Num exercício de revisitar a representação do nu feminino na arte, estas poses encenam posturas diversas num discurso que vai desde a representação de uma beleza convencional até uma carga assumidamente erótica, aliado ao jogo de palavras que deixa entrever uma crítica aos estereótipos de um discurso androcêntrico.<hr/>Work composed by porcelain platters mounted on a red damask cloth. Each platter is unique, decorated with a sepia photograph of the artist’s naked body in different poses, and with the sentence (written in Portuguese, English, French, and German) I hate being fat, please eat me! Revisiting the representation of the feminine nude in art and adding to a word game that hints at a critique of the stereotypes of an androcentric society, these poses stage different postures in a discourse that ranges from the representation of a conventional beauty to an assumedly erotic intention. <![CDATA[<b>Máscaras da Venere</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo é estruturado em pertinentes citações visuais da pintura de Tiziano, Venere di Urbino, obra icónica do imaginário erótico renascentista que se revelou um catalisador formal e conceptual para artistas de gerações futuras, destacando aqui os portugueses Acácia Maria Thiele e Gabriel Abrantes, entre outras referências obrigatórias no palco artístico europeu. As suas obras são aqui interpretadas numa esfera de raiz activista, quer na objectificação do corpo feminino, quer na camuflagem social que igualmente propõem, apesar de algumas inevitáveis interferências, resultantes de conceitos e abordagens menos consensuais.<hr/>This article is structured in relevant visual quotations from the painting by Titian, Venere di Urbino, an iconic work of the Renaissance erotic imagery, which has proved to be a formal and conceptual catalyst for artists of future generations, especially the Portuguese Acácia Maria Thiele and Gabriel Abrantes, among others references on the European artistic stage. Their works are here interpreted in an activist root sphere, both in the objectification of the female body and in the social camouflage that they propose, despite some inevitable interferences, resulting from less consensual concepts and approaches. <![CDATA[<b>Corpos-identidades-géneros (all) ready-made</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Partindo do enunciado lançado pela lógica duchampiana, analisam-se diferentes estratégias de construção de identidades de género e de corpo, convocando os dispositivos de subjectividade e alteridade de um conjunto de quatro artistas - Andy Warhol, Cindy Sherman, Yasumasa Morimura e Madonna, problematizando sobre o modus operandi que parte das suas obras e discursos de auto-representação/ auto-referencialidade materializam. Sob esta perspectiva, corporalizam-se projectos estéticos, éticos e políticos de subversão, ruptura, transformação, resistência e alternativa aos regimes hegemónicos que encerram o binómio corpo-género numa lógica mono-discursiva. Contra este monopólio heterocêntrico, estes corpos constroem-se ao espelho reflectindo uma colecção de outros corpos e paisagem de si mesmos.<hr/>Starting from the statement launched by Duchampian logic, different strategies for the construction of gender and body identities are analyzed, calling on the devices of subjectivity and otherness of a group of four artists - Andy Warhol, Cindy Sherman, Yasumasa Morimura and Madonna, discussing the modus operandi that part of their works and discourses of self-representation / self-referentiality embody. From this perspective, aesthetic, ethical and political projects of subversion, rupture, transformation, resistance and alternative to the hegemonic regimes that enclose the body-gender binomial in a mono-discursive logic are embodied. Against this heterocentric monopoly, these bodies are constructed in the mirror reflecting a collection of other bodies and landscape of themselves. <![CDATA[<b>Para fazer uma obra de arte, é preciso construir uma casa? Algumas reflexões acerca da obra de Maria José Oliveira</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Desenvolvida a partir do final dos anos setenta, a obra de Maria José Oliveira articula encontros e desencontros desafiantes entre prática artística, materialidade e natureza através da utilização de materiais orgânicos e não orgânicos. Em diálogo com algumas ideias que emergem de formações teóricas que têm vindo a questionar e reconfigurar as relações entre o humano e o não humano - com um enfoque particular na implicação do pensamento feminista nestes debates -, este artigo pretende explorar a forma como a noção de “casa” atravessa o trabalho da artista.<hr/>Developed since the late seventies, the work of Maria José Oliveira articulates challenging encounters and ruptures between artistic practice, materiality and nature through the use of organic and non-organic materials. In dialogue with a set of ideas emerging from theoretical formations that question and reconfigure of the relations between the human and the nonhuman - with a particular focus on the implication of feminist thought in these debates -, this article intends to explore how the notion of “home” traverses the work of the artist. <![CDATA[<b>Sobre as margens das periferias</b>: <b>Uma introdução às vozes femininas do rap feito em Portugal</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O sucesso da cultura Hip Hop permite observar os efeitos da tensão entre centros e periferias, subculturas e cultura dominante, em contextos urbanos e sociais caracterizados por desigualdades, invisibilidades e preconceitos. Porém, a cultura Hip Hop continua a reproduzir no seu interior desequilíbrios que influenciam a sua receção e perceção. Em particular, quer a nível local, quer global, as vozes femininas do rap tiveram sempre que lutar para o reconhecimento da sua presença. Portugal representa mais um espaço onde a invisibilidade afeta a receção das mulheres autoras de rap. O presente trabalho oferece uma breve introdução à cultura Hip Hop e discute esta falta de visibilidade experienciada pelas vozes femininas do rap em Portugal.<hr/>The success of Hip Hop culture allows us to observe the outcomes of the struggle between centers and peripheries, subcultures and mainstream cultures, in urban and social contexts characterized by inequality, invisibility and prejudice. Yet, asymmetries still take place within Hip Hop affecting its reception and perception. In particular, female voices from rap have been always struggling for recognition, both globally and locally. Portugal represents one more space where invisibility affects the reception of female rappers. The present work offers a brief introduction on Hip Hop culture and discusses how the majority of black female voices from rap made in Portugal have been experiencing a strong lack of visibility. <![CDATA[<b>O cinema em Portugal tem sexo?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt É amplamente reconhecido que o número de mulheres realizadoras e guionistas a trabalhar no cinema mundial é muito reduzido. A forma como isso poderá influenciar a cultura cinematográfica e o modo como a sociedade vê e constrói o género está, no entanto, ainda sujeito a debate. Em Portugal, o estudo do género (dentro e fora da tela) está ainda pouco consolidado e parece de pouco interesse para o panorama nacional. Este artigo pretende ajudar a reverter essa tendência através da análise de um estudo numérico e percentual quanto a mulheres realizadoras e guionistas portuguesas de 1961 a 2011.<hr/>It has been broadly recognized that the number of women screenwriters and directors working in cinema worldwide is very low. The ways in which that may influence the cinematic culture and the way society views and construes gender is still, however, up for debate. In Portugal, the study of gender (on and off screen) is yet to be established and seems to be of little interest for the national diaspora. This article aims to help reverse this trend through the analysis of a numerical and percentage study of Portuguese women screenwriters and directors from 1961 to 2011. <![CDATA[<b>Estereótipos de gênero na Indústria Audiovisual</b>: <b>Mulheres cineastas engendram novos papéis modelo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Recentes estudos de mídia, com estatísticas e por meio de crítica audiovisual, revelam as características fundamentais nas produções Eurocêntricas - em especial, as norte-americanas, hegemônicas no panorama mundial - que instigam e enraízam estereótipos arcaicos (interseccionais) de gênero que permeiam as diversas culturas e sociedades globais. As produções audiovisuais realizadas pelas novas gerações de cineastas mulheres - diretoras, roteiristas, produtoras e atrizes - têm marcado transformações necessárias e urgentes nas representações femininas e nos papeis modelo para as crianças e jovens mulheres.<hr/>Recent media studies, through statistics and audiovisual criticism, reveal fundamental characteristics in Eurocentric audiovisual production - especially those made in USA, hegemonic worldwide -, which instigate and root archaic (intersectional) gender stereotypes that permeate diverse cultures and global societies. Audiovisual productions made by new generations of female filmmakers - directors, screenwriters, producers and actresses - have marked necessary and urgent transformations on female representations and role models for children and young women. <![CDATA[<b>Género na Arte</b>: <b>Dos museus à academia de belas-artes Estudos de caso de investigação artística</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852019000200021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo pretende salientar a importância para a mudança social dos estereótipos de género, da produção de investigação e prática artísticas na área da arte e género, realizada de um modo trans e interdisciplinar que cruza várias áreas do conhecimento com as artes visuais, a sociomuseologia e os estudos de género nos museus e nas academia de belas-artes. Esta investigação-ação tem como público-alvo os estudantes e as comunidades envolventes, visando a transformação das mentalidades das pessoas através da arte, de acordo com objetivos fixados nas Agendas da Organização das Nações Unidas relativamente à igualdade de género e capacitação de todas as mulheres e meninas e aos direitos LGBTI +.<hr/>This article aims to highlight the importance for the social change of gender stereotypes, the production of artistic research and practice in art and gender, carried out in a trans and interdisciplinary way that crosses several areas of knowledge with the visual arts, sociomuseology and gender studies in museums and the fine arts academy. This action-research has as a target audience students and surrounding communities, aiming at the transformation of people’s mentalities through art, in accordance with objectives set out in United Nations Agendas on Gender Equality and Empowerment of All Women and Girls and LGBTI+ rights.