Scielo RSS <![CDATA[Faces de Eva. Estudos sobre a Mulher]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0874-688520200001&lang=pt vol. num. 43 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Jardim perdido</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>O legado de Manuela Silva. Um desafio para o futuro</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Aprender com Manuela Silva</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Por que razão a paz é importante para o movimento feminista e das mulheres para a igualdade de género? Desembaraçando os relacionamentos entre mulheres e paz e segurança, e a Declaração e Plataforma de Ação de Pequim</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The year 2020 marks the 25th anniversary of the Beijing Platform of Action (BPFA) and the 20th anniversary of the United Nations Security Council Resolution (UNSCR) 1325 on women, peace and security. It is an opportunity for reflection on the linkages between the two historic documents. In this paper, I explore these linkages from three standpoints. Firstly, conceptually, I show a strong dependency between gender equality and peace. Secondly, historically, I argue that BPFA gave an impetus to a feminist and women’s peace movement which led to the adoption of UNSCR 1325. Finally, I answer the question: are these linkages still pertinent today?<hr/>O ano de 2020 marca o 25.º aniversário da Plataforma de Ação de Pequim (BPFA, na sigla em inglês) e o 20.º aniversário da Resolução 1325 do Conselho de Segurança das Nações Unidas (UNSCR 1325, na sigla em inglês) sobre mulheres, paz e segurança. É uma oportunidade para refletir sobre as interconexões destes dois documentos históricos. Neste artigo, a autora explora estas interligações a partir de três pontos de vista. Em primeiro lugar, conceptualmente, examinam-se as interseções entre igualdade de gênero e paz. Em segundo lugar, historicamente, argumenta-se que a BPFA deu um impulso ao movimento feminista das mulheres pela paz, o que levou à adoção da UNSCR 1325. Por fim, responde-se à questão: estas interligações são ainda pertinentes no mundo de hoje? <![CDATA[<b>Assimetrias de género na(s) engenharia(s) em Portugal</b>: <b>Dinâmicas e desafios</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo centra-se na representação de homens e mulheres nas engenharias em Portugal, tanto ao nível da educação como do exercício da profissão de engenheiro/a. Evidencia-se que a engenharia permanece essencialmente representada por homens, sendo a designação no plural (engenharias) aquela que mais se adequa ao panorama nacional. Há áreas da engenharia onde a proporção do sexo feminino supera a do sexo masculino, e outras onde prevalece um padrão de hegemonia masculina. Os processos de socialização genderizados continuam a moldar as opções educativas de rapazes e raparigas, condicionando as suas aspirações e oportunidades profissionais e contribuindo para a reprodução da segregação sexual das profissões.<hr/>This article focuses on the representation of men and women in engineering in Portugal, both at the tertiary level of education and professional practice. A key conclusion is that despite the gender imbalances and the overrepresentation of men, the adoption of the plural form (engineering fields) is the most adequate one to describe the current national context. There are domains where women outnumber men, whereas other still prevail as male-dominated areas. Gendered socialisation processes are still shaping the educational options of boys and girls, therefore constraining their career aspirations and opportunities, as well as reproducing gender-based occupational segregation. <![CDATA[<b>A Plataforma de Ação de Pequim e o processo de revisão Pequim +25</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A adoção da Plataforma de Ação de Pequim (PAP) em 1995, na IV Conferência Mundial das Nações Unidas sobre as Mulheres, constituiu um momento de viragem na agenda global para concretizar a igualdade entre mulheres e homens. Neste ano de 2020, a PAP comemora o 25.º aniversário, estando neste momento a decorrer a avaliação global da sua implementação. Este artigo pretende demonstrar a relevância da PAP, analisar o caminho percorrido até à sua adoção e as revisões posteriores. Procura ainda esclarecer o que está a acontecer durante o atual processo de revisão, Pequim +25, e analisar o contexto português e europeu.<hr/>The adoption of the Beijing Platform for Action (PFA) in 1995, at the Fourth United Nations World Conference on Women, was a turning point in the global agenda to achieve equality between women and men. In this year of 2020, the PFA celebratesits twenty-fifth anniversary, and the global evaluation of its implementation is currently taking place. This article intends to present the importance of PAP, to analyze the path taken until its adoption and the subsequent revisions. It also seeks to clarify what is happening during the current review process, Beijing +25, and to analyze the Portuguese and European context. <![CDATA[<b>Uma reflexão sobre desigualdade de género e saúde no contexto da migração</b>: <b>Que desafios e respostas para a promoção da saúde das mulheres migrantes?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O género é fator de desigualdades sociais entre mulheres e homens, incluindo na área da saúde. Diferenças nos papéis sociais de género e disparidades nas condições laborais e socioeconómicas tornam as mulheres mais suscetíveis a piores resultados em saúde e condicionam a sua acessibilidade e utilização dos serviços de saúde. Esta vulnerabilidade é agravada no contexto da migração. Este artigo apresenta uma reflexão teórica sobre a saúde das mulheres migrantes e seus determinantes, revelando-se evidência sobre as desigualdades e oportunidades de ação para a promoção da saúde destas populações.<hr/>Gender is a factor of social inequalities between women and men, including in health. Differences in gender roles and disparities in working and socioeconomic conditions make women more susceptible to worse health outcomes and influence their accessibility and use of health services. This vulnerability is aggravated in the context of migration. This article presents a theoretical reflection about the health of migrant women and its determinants, revealing evidence on health inequalities and opportunities for action to promote the health of these populations. <![CDATA[<b>No 25.º aniversário da Conferência de Pequim sobre as Mulheres - avaliação dos progressos alcançados no que se refere ao equilíbrio de género na adopção e gestão das políticas ambientais</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se. <![CDATA[<b>Associação mulheres sem fronteiras</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se. <![CDATA[<b>25 anos da plataforma de ação de Pequim</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se. <![CDATA[<b>Rosa Monteiro secretária de estado para a cidadania e a igualdade</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se. <![CDATA[<b>Maria Virgínia Brás Gomes</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se. <![CDATA[<b>Beatriz Craveiro Lopes</b>: <b>Uma contínua disponibilidade e dedicação aos doentes de dor crónica</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se. <![CDATA[<b>Dina Pedro</b>: <b>Pioneira nas artes marciais em Portugal</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se. <![CDATA[<b>Maria Isabel Aboim Inglez</b>: <b>«A Indomável»</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se. <![CDATA[<b>Mulheres e eleições</b>: <b>Pires, A. P., Mariano, F. & Veiga, I. (Coords.). (2019) Coimbra: Almedina, 278 pp.</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se. <![CDATA[<b>As vozes que se entrecruzam: Múltiplas discriminações II</b>: <b>Sales, T., & Ralão, J. (Coord.). (2020). Lisboa: UMAR, 115 pp.</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-68852020000100019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper reviews the contribution of the Beijing Platform to achieve gender sensitive environmental policy, based on a number of examples covering a range of scales, regions and timings of their inclusion of gender: the EU; the UN Framework Convention on Climate Change; IOC-UNESCO’s Decade of Ocean Science for Sustainable Development which launches in 2021; and municipalities in Europe responsible for implementing waste reduction initiatives. The broader context of gender mainstreaming provides a critical conceptual and analytical framework. It acknowledges some limited and isolated progress, but concludes that, overall, a lack of structural change leaves unequal gender relations broadly intact, while environmental conditions continue to deteriorate.<hr/>O artigo faz uma avaliação da contribuição da Plataforma de Pequim para uma política ambiental sensível às questões de género, com base numa série de exemplos abrangendo patamares, regiões e momentos de inclusão desta perspectiva: a UE, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a Década das Ciências dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável da COI-UNESCO, que será lançada em 2021, e os municípios europeus responsáveis pela implementação de iniciativas para a redução de resíduos. O contexto alargado de integração da perspectiva de género constitui o quadro de referência analítico e conceptual, e através dele reconhece-se a existência de algum progresso, embora limitado e isolado; conclui-se, porém, que, em última análise, a falta de uma mudança estrutural faz com que a desigualdade nas relações de género permaneça intacta, ao mesmo tempo que as condições climáticas continuam a deteriorar-se.