Scielo RSS <![CDATA[Economia Global e Gestão]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0873-744420100003&lang=pt vol. 15 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>«Desenvolvimento humano» em 2010, segundo a ONU</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442010000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Caracterização territorial do desemprego registado em Portugal</b>: <b>aplicação da análise de <i>clusters</i></b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442010000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Apesar da discussão em torno da taxa de desemprego nacional, pouco se conhece quanto à distribuição territorial das características dos desempregados registados nos centros de emprego, mesmo que o conhecimento dessa distribuição possa ser de utilidade crucial no desenvolvimento de políticas públicas adequadas de combate ao desemprego. Este artigo procura ultrapassar tal lacuna, recorrendo à análise de clusters. A metodologia referida procurar encontrar grupos de unidades territoriais (NUTII) que apresentem as mesmas características para os desempregados registados. Os resultados permitem concluir pelo agrupamento dos distritos portugueses em quatro grandes grupos, com uma distinção clara entre o Norte e o Sul e, ainda, o litoral e o interior de Portugal Continental, assim como uma alteração no perfil regional de desemprego registado.<hr/>The regional distribution of the unemployed individual characteristics is of core importance for the development of public policies that can fight the unemployment phenomenon, especially in times of crises. In this research work, the data mining cluster methodology allows finding groups of regional areas - considering for that the NUTII administrative regions - that share the same characteristics for the register unemployed and, therefore, helps in a better understanding of the problem and possible solutions. Results for the Portuguese regions show a clear division of the territory among four regions - north and south and urban and rural areas of the country. The final results also show that the economic crisis imply changes in the geographical profile distribution of the registered unemployed. <![CDATA[<b>O papel da China nos PALOP</b>: <b>o caso de Moçambique (Primeira Parte)</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442010000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Due to the Reform and Open Door Policies initiated in 1978, China recorded since then a fast sustainable economic growth, turning it into the world’s second largest economy. With an export oriented economic model, highly supported by Foreign Direct Investment, China became world’s number one exporter, after surpassing Germany in 2009. Presently China has the world’s largest foreign exchange currency funds, 50% of which are being applied in American bonds, while the remaining supports Chinese health and social security systems, Chinese banks’ solvability, internationalization of the Chinese economy, outward foreign direct investment (OFDI) and Chinese official foreign aid (ODA) to other developing countries. Although the Chinese OFDI fluxes are nowadays more oriented to mature economies, its bulk is mainly directed to partnerships with other developing countries like the African countries, and within those, the Chinese government identified one group strategically important to cooperate and invest, the Portuguese Speaking African Countries. These countries have high expectations on the Chinese investment and cooperation and our research questions are: (a) Should this investment be considered ODA or OFDI?; (b) How far can Chinese finance fluxes contribute to the development of these countries in terms of employment, exports, technology transfer?; (c) Is this investment seen as an opportunity or a threat by local people, is it fulfilling the created expectations or not? In this paper we concentrate our empirical research in Mozambique’s case.<hr/>Devido às políticas de Reforma e Porta Aberta iniciadas em 1978, a China registou, desde essa altura, um rápido crescimento económico sustentado, tornando-a na segunda maior economia do mundo. Com um modelo económico orientado para a exportação, altamente suportado por Investimento Directo Externo, a China tornou-se no maior exportador mundial, depois de ultrapassar a Alemanha em 2009. Presentemente, a China tem a maior reserva do mundo de divisas estrangeiras, 50% aplicada em títulos do Tesouro americanos e o restante nos sistemas de saúde e segurança chineses, na solvabilidade dos bancos chineses, na internacionalização da economia chinesa, no investimento directo da China no exterior (IDENE) e na ajuda pública da China ao desenvolvimento de outros países (APED). Embora os fluxos de IDENE da China estejam hoje em dia mais virados para as economias maduras, a sua maior percentagem ainda se dirige a parcerias com outros países em desenvolvimento, como por exemplo os países africanos, e dentro destes o governo chinês identificou um grupo estrategicamente importante para cooperar e investir, os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP). Estes países têm grandes expectativas no investimento e cooperação com a China e as questões que pesquisamos são: (a) Deve este investimento ser considerado IDENE ou APED?; (b) Até que ponto estes fluxos financeiros contribuem para o desenvolvimento desses países em termos de emprego, exportações, transferência de tecnologia?; (c) Este investimento é visto como uma ameaça ou uma oportunidade pela população local, está ele a corresponder às expectativas criadas ou não? Neste artigo iremos focar a nossa pesquisa no caso de Moçambique. <![CDATA[<b>Saúde pública no Brasil</b>: <b>rede social, pacto de gestão e o Programa Mais Saúde Direito de Todos 2008-2011</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442010000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt No Brasil, como determina a Constituição de 1988, a saúde é um «direito de todos e um dever do Estado«» Desde o início dos anos 1990, sucessivos programas procuram viabilizar essa exigência constitucional, reformando as normas do chamado Sistema Único de Saúde (SUS), cuja principal meta é universalizar o atendimento de saúde no País. O mais recente desses programas é o Mais Saúde Direito de Todos 2008-2011, anunciado em Dezembro de 2007, que propôs evolução formal nos processos de gestão do SUS, apresentando medidas estruturadas em sete eixos com objetivo de articular a dimensão econômica e social da saúde. O SUS funciona, desde 1996, na perspectiva operacional e interativa de um pacto de gestão. O princípio de rede foi utilizado pelo Programa Mais Saúde Direito de Todos 2008-2011 como ponto de convergência de um Complexo Industrial de Saúde, que reunia, desde a produção de medicamentos, até núcleos de pesquisa de evolução tecnológica para a saúde. O objetivo principal deste artigo foi investigar se as mudanças propostas por esse programa do governo brasileiro criam entraves no conceito de rede do SUS, principalmente enquanto sistema de gestão de conhecimento. O objetivo secundário do trabalho foi verificar se a rede ganhou mais operacionalidade e universalidade com a adesão ao Complexo Industrial de Saúde. A pesquisa confirmou a existência de entraves à evolução do conceito de rede no SUS a partir da proposta do Complexo Industrial de Saúde, sem indicação de ganhos no processo de operacionalidade do sistema. A análise desse processo permitiu entender que a relação público/privado no atendimento de saúde brasileiro compõe um mercado imperfeito. Como conclusão, o artigo sugere que o aprimoramento do SUS, enquanto inovação tecnológica, depende de outro tipo de reforma de gestão, que não é a proposta pelo programa Mais Saúde Direito de Todos 2008-2011.<hr/>The 1988 Brazilian Constitution has established that health is a citizen’s right and a state duty. Since the early 1990’s several official programs in Brazil have been trying to respond to that constitutional demand, by adjusting the rules of the Unified Health System (UHS), which main goal is to provide health attendance for all. The most recent program, called More Health - Every Man’s Right 2008-2011, was announced in December of 2007. Its proposal is to develop the UHS’s formal management processes aiming to articulate the economical and social dimensions of Medical Care around seven different axes. Since 1996, the Brazilian National Health System (UHS) has been working based on an operational and interactive management agreement perspective. The network concept was used by the More Health - Every Man’s Right 2008-2011 Program as a point of convergence around the Medical Care Industrial Complex, which congregated medicine production and also research groups about technological development on Health Care. The main objective of this paper is to investigate whether this official Brazilian program brings obstacles for the UHS network concept, especially as a knowledge management system. The secondary objective is to verify whether the health network has gained operational effectiveness and universality by joining the Medical Care Industrial Complex. The outcomes of this research have confirmed that there are obstacles to the development of the UHS network concept when joining the Medical Care Industrial Complex, without benefits for the system operation effectiveness. The analysis of this process leads us to understand that the public/private partnership for the Brazilian health system may be considered an imperfect market. As a conclusion, the article suggests that the technological innovation improvement of the UHS improvement depends on other management model, which does not fit the More Health - Every Man’s Right 2008-2011 Program proposals. <![CDATA[<b>Proposição do conceito <i>Fit Strategy</i></b>: <b>estratégia de adequação para produtos populares</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442010000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O interesse empresarial pelo mercado de baixa renda tem aumentado nos últimos anos nos países emergentes. Para atendê-lo, é necessária uma postura inovadora no desenvolvimento de novos produtos e na compreensão de suas especificidades. Estudar quais são os atributos mais importantes na decisão de compra do consumidor e como as empresas estão se organizando para atender este segmento da população é o foco deste trabalho. Analisa-se o caso do consumo de um eletrodoméstico - tanquinho (máquina de lavar menos sofisticada) pela população de baixa renda. Assim, realizou-se uma pesquisa de campo em lojas de varejo com consumidores de baixa renda na cidade de São Paulo, no último trimestre de 2005. Os dados primários assim obtidos foram submetidos à análise através da utilização de técnicas estatísticas. Os resultados do trabalho mostram que o atendimento aos mercados populares não se consubstancia apenas com a adoção de estratégias genéricas de baixo custo. Necessita-se adotar uma estratégia de adequação, fit strategy, que se configura pelo equilíbrio entre a busca por ofertar melhores preços e o atendimento das necessidades do consumidor de baixa renda.<hr/>The interest of businesses in the low-income market has increased in recent years in emerging countries. In order to serve this market, there is a need of an innovative approach in the development of new products and in understanding their specificities. The focus of this paper is to assess crucial attributes in consumer purchase decision and how companies are organizing themselves to serve this population segment. It examines the case of the consumption of an electrical appliance - tanquinho (a less sophisticated washing machine) by low-income population. Thus, a field research was conducted in retail stores with low-income consumers in the city of São Paulo, in the last quarter of 2005. Primary data obtained were subjected to analysis using statistical techniques. The results show that to serve popular markets is not simply a matter of adopting low-cost generic strategies. There is also a need of an adequacy strategy, a fit strategy, which configures the balance between the search for the best price bid responses and addressing the needs of low-income consumers. <![CDATA[<b>Planejamento e gestão de parques científicos e tecnológicos</b>: <b>uma análise comparativa</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442010000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O processo de globalização econômica tem provocado mudanças substanciais na sociedade como um todo e, especificamente, sobre as empresas. Neste sentido, a concorrência deixa de ocorrer entre empresas para ocorrer entre regiões. Assim, a competitividade das empresas depende diretamente da qualidade do entorno criado pela região. Com isso, as empresas deixam de procurar regiões com mão-de-obra abundante e com incentivos fiscais, para buscar regiões que ofereçam um ambiente favorável à inovação. Desta forma, diferentes regiões têm implantado parques científicos e tecnológicos como forma de ampliar as suas respectivas atratividades. Dentro deste contexto, o presente artigo faz uma análise comparativa dos modelos utilizados por diferentes países, procurando identificar um conjunto de melhores práticas. O estudo inclui uma análise dos modelos dos parques científicos e tecnológicos da Itália, China, Espanha, Finlândia e Brasil.<hr/>The process of economic globalization has been considered the driver force of significant changes affecting the society and firms. The competition occurs not only among firms, but also among regions. Furthermore, the competitive advantage of firms will depend highly on the quality of the created advantages by the local environment. Local advantages to attract new investments are not limited to traditional factors like low costs of labor force and fiscal incentives, but are more related to the conditions of innovativeness in the region. Thus, several regions have been establishing scientific and technological parks with the aim to creating new localization’s advantage to attract firms and skills. Based on a cross country analysis, the objective of the present paper is to address different frameworks of local parks in developing and emerging countries in order to identify the best practices in local competitiveness and their connection to the strategies of innovativeness. <![CDATA[<b>Regulação de mercados por licenciamento</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442010000300007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A regulação é necessária para o eficiente funcionamento dos mercados mas a sua deficiente implementação pode alterar o comportamento das empresas e afectar negativamente o investimento e o crescimento económico. As alterações legais realizadas em Portugal, após 2003, no regime de licenciamento industrial, visaram a sua simplificação, sendo que a aplicação do modelo infinito de filas de espera indica que contribuíram para a redução dos respectivos prazos. Contudo, a legislação sobre licenciamento segue uma tendência comum aos países desenvolvidos e centra-se especialmente na fiscalização das empresas após o início dos projectos, havendo o risco de que uma excessiva simplificação deste instrumento possa conduzir a uma insuficiente regulação do mercado.<hr/>Regulation is needed for market efficiency but if implemented in a deficient way it may alter corporate behaviour in a negative way to investment and economic growth. Changes to Portuguese law after 2003 aimed to simplify industrial licensing procedures, and the empirical analysis indicates that they partly explain a reduction in its term. However, in a similar way to other developed countries, Portuguese law is too focused on ex-post inspections, thus increasing the risk of an oversimplification of industrial licensing to lead to an insufficient market regulation.