Scielo RSS <![CDATA[Economia Global e Gestão]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0873-744420090003&lang=pt vol. 14 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Comunicar e Agir em Rede</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442009000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Internacionalização e PME: um estudo empírico sobre PME em Portugal]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442009000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This paper presents the results of a survey of small and medium-sized enterprises (SMEs) in Portugal drawn from a database of 2500 SMEs supplied by COFACE - the holder of the largest company database in Portugal. It is an exploratory study presenting descriptive results on their export drive, competitiveness in external markets, analysis of the environment, and innovation concerns vis-à-vis global markets and information needs for these markets. We draw from recent literature to identify the main features global markets require of companies if they are to operate successfully and compare them with our findings. Portugal was selected as the basis of our study not only because local companies have faced great changes in the last three decades following the transition from a closed and protected economy to full membership within the European Union and the current very open economy, but also because the country and population are so small that companies face tremendous pressures to internationalize as the domestic market for many types of goods is very limited.<hr/>Este estudo apresenta os resultados de um inquérito realizado em Portugal junto de 2500 pequenas e médias empresas (PME) constantes da base de dados da COFACE. É um estudo exploratório e apresenta resultados descritivos sobre a orientação para a exportação, competitividade nos mercados externos, capacidade de análise da envolvente e inovação relativamente ao mercado global bem como as necessidades de informação das PME inquiridas relativamente a esse mercado. A partir de literatura recente identificámos as características principais que o mercado global exige das empresas para que nele possam operar com sucesso e comparámo-las com os resultados que obtivemos. Seleccionámos Portugal como base do nosso estudo não apenas porque as empresas locais têm vindo a sofrer profundas alterações nas últimas três décadas tendo passado de um ambiente protegido para o contexto aberto da União Europeia, mas também porque, sendo um país pequeno, com um reduzido mercado interno, sofrem enormes pressões no sentido da internacionalização. <![CDATA[<b>A ação dos sindicatos nos países centrais e a cooperação sindical internacional frente às mudanças no mundo de trabalho</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442009000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo reúne algumas das principais reflexões sobre as grandes mudanças que vêm ocorrendo no mundo do trabalho nas últimas décadas, destacando os seus impactos sobre a ação sindical nos países centrais. Busca-se compreender os movimentos dos sindicatos - em um dos vértices do jogo das relações de trabalho - se reestruturando num novo contexto em que cresce a importância das atividades de cooperação sindical internacional. Neste objetivo, demonstra-se como mudaram de escopo, ganharam corpo e influência algumas das organizações que realizam atividades de cooperação internacional no Brasil. Entre estas organizações são apontadas o Solidarity Center (EUA), o SASK (Finlândia) e o Observatório Social (vinculado à CUT brasileira e com recursos da Holanda e Alemanha). Tais organizações desenvolvem atividades de pesquisa, assessoria e apoio à formação de quadros sindicais com recursos provenientes de outros países. Especialmente no âmbito econômico, entende-se que para a análise mais precisa das decisões tomadas nos espaços nacional e mundial pelas empresas - outro vértice das relações de trabalho - é indispensável o acompanhamento dos movimentos dos sindicatos.<hr/>This article shows main analysis about changes that have taken place within labor around the world over the last three decades. It notices the influence over the unions’ work in developed countries. It tries to understand unions’ movements - regarding one part of the labor relationship - by reorganizing themselves within a scenario in which the importance of international union cooperation activities grew. It shows organizations of international union cooperation changed by increasing their influence in Brazil. Economically speaking, in order to understand how companies take decisions at national and international level, one must know about union movements. <![CDATA[<b>Três axiomas da economia ecológica</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442009000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Faz-se uma reflexão sobre três grandes axiomas da economia ecológica: que o capital «natural» é o factor originário da produção dos bens e o sumidouro dos resíduos da economia; que as relações entre o capital natural e o capital «produzido» são basicamente de complementaridade; que os recursos naturais são escassos, funcionando como «factores restritivos» da acumulação do capital. Investiga-se aquilo que a economia tem dito sobre estes axiomas. A conclusão é que eles estão numa linha de continuidade com o conceito fisiocrata de «produto líquido» e as teses da economia política clássica sobre a terra como factor de produção e o advento do «estado estacionário». Pelo contrário, estão em contraste com os fundamentos do modelo neoclássico, que retém apenas o trabalho e o capital «produzido» como argumentos perfeitamente substituíveis da função macroeconómica de produção. Modelos recentes da ciência económica (a teoria endógena do crescimento e as teses sobre o conhecimento e a inovação) anulam o quadro conceptual ortodoxo, quando introduzem o conceito de rendimentos crescentes da informação. Permanecem, contudo, antropocêntricos e mudos sobre as restrições ambientais do crescimento. Devem ser estudados dois tipos de ciclos essenciais: dos rendimentos crescentes da informação e da exploração a custos crescentes dos recursos materiais e da energia. Estes ciclos contraditórios geram pressões enormes sobre o ambiente, o que convida a políticas novas de gestão e regulação da economia, se quisermos evitar o colapso.<hr/>Three axioms of ecological economics are discussed: that “natural” capital is the originating factor for the production of goods and the sink of the wastes of the economy; that the relationships between natural capital and “man made” capital are basically complementary; that natural resources are scarce, operating as "limiting factors” on capital accumulation. We ask what economists have historically said about these axioms. The conclusion is that they are in a line of continuity with the physiocrats' concept of “net product” and the theses of classical political economics on the role of land as a factor of production and the advent of the “stationary state”. But they contrast with the foundations of the neoclassical model, insofar as this model considers only labor and “man made” capital as perfect substitute factors of the macroeconomic production function. More recent models of economic science (endogenous growth theory and the theses on the role of knowledge in innovation) go against this conceptual framework, by introducing the concept of increased returns of information. They remain however anthropocentric and silent about the environmental restrictions on growth. Two types of essential cycles should be studied: the cycle of increased returns of information and the cycle of exploration with increasing costs of material resources and energy. Such contradictory cycles exert huge pressures on the environment, which implies new policies in the fields of management and regulation, if we want to avoid collapse. <![CDATA[<b>Dimensão do sector público e crescimento económico</b>: <b>uma relação não linear na União Europeia dos 15?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442009000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os Estados-Membros da União Europeia têm tido a preocupação de reduzirem a dimensão da Administração Pública na economia, a par de a tornar muito mais eficiente de forma a promover o crescimento económico. Neste artigo analisam-se as relações entre a despesa pública e o crescimento económico em 14 Estados-Membros da União Europeia dos 15, com o objectivo de determinar a dimensão óptima das Administrações Públicas, tendo por base teórica a Curva de Armey. Os resultados, para o período 1965-2007, sugerem uma dimensão do sector público maximizadora do crescimento económico de 47,37% e 22,17% do PIB, quando avaliada pelas despesas públicas totais e o consumo público, respectivamente.<hr/>Member States of the European Union have been concerned to reduce the dimension of general government in the economy, along with becoming more efficient in order to promote economic growth. In this article, the relations between the public expenditures and the economic growth are analyzed in 14 Member States of the European Union of the 15, in order to determine the optimal size of the government, having for theorical ground the Armey Curve. The results for the period 1965-2007, suggest a size of government maximizing the economic growth of 47.37% and 22.17% of GDP, when measured by total public expenditure and public consumption, respectively. <![CDATA[<b>À conquista de um sistema forte de gestão de recursos humanos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442009000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A gestão estratégica da gestão de recursos humanos tem-se centrado nas formas como o sistema de RH é crítico para a performance organizacional. Esta relação desencadeou um forte interesse teórico e teve igualmente algum apoio nos estudos empíricos. Apesar da profusão de escritos, há ainda uma significativa falta de conhecimento no que respeita ao funcionamento dessa associação. No sentido de contribuir para a clarificação desta relação, Bowen e Ostroff (2004) desenvolveram um modelo no qual a relação entre o sistema de RH e performance é mediada pela interpretação psicológica dos acontecimentos, mormente pelo nível de convergência das pessoas quanto às situações (designado Força da Situação). Estes autores introduziram também o conceito de Força dos Sistemas de RH, nos quais as mensagens acerca do que se considera o comportamento adequado são comunicadas aos colaboradores de forma mais ou menos consensual e mais ou menos ambígua. Assim, atingir os objectivos da organização depende da capacidade da função de RH em influenciar comportamentos e percepções. Tendo por base o quadro teórico de Bowen e Ostroff, apresenta-se um modelo expandido em que a força da situação age como elo de ligação entre o sistema de RH e a liderança, por um lado, e a performance organizacional, por outro. O argumento apresentado tem como objectivo avançar no conhecimento existente, relativamente à ligação entre o sistema de RH e a performance organizacional.<hr/>Strategic Human Resources Management has highlighted the ways in which the HR System is critical to organizational performance. This relationship has being at the centre of some recent theoretical developments in the HRM literature, with moderate empirical support from several studies. Notwithstanding such support, there is still a significant lack of knowledge with regards to how such association works. In order to clarify the problem, Bowen and Ostroff (2004) have put forward a model in which the HR System/Organizational Performance relationship is mediated by the psychological interpretation that people construct of their surrounding environments (called Situation Strength). These authors have also introduced the notion of HR System Strength, to designate the attributes which make the HR System more efficient in communicating desired and appropriate messages across the organization. Reaching organizational goals is therefore dependent on the HR aptitude to influence people’s perceptions and behaviors. Based on Bowen and Ostroff’s (2004) propositions, the current text offers an extension of their model, incorporating culture and leadership as two additional organizational influence factors. The extended model intents to expand on existing knowledge and, at the same time, it describes the research project in which this text’s authors are presently involved. <![CDATA[<b>O mecenato</b>: <b>uma perspectiva económico-fiscal</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442009000300007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A relevância social de algumas entidades do terceiro sector está na base do seu financiamento público, que assenta não só nas transferências públicas directas, mas também nos donativos atribuídos pelo sector privado. É precisamente para fomentar este comportamento que o Estado consagra benefícios fiscais aplicáveis às empresas e particulares que apoiam determinadas instituições, cujo interesse público da sua actividade justifica que aquele participe de forma indirecta no seu financiamento, abdicando da receita fiscal inerente. Este trabalho foca essencialmente os aspectos económicos do mecenato, em particular o comportamento filantrópico das empresas.<hr/>The social importance of some entities pertaining to the third sector is evoked as the reason behind direct public financial support, which is based not only on direct public transfers, but also on the donations made by the private sector. In order to encourage this behaviour, the State relinquishes revenue by granting tax benefits to companies and citizens who support institutions of widely recognized public interest. The focus of this work is mainly the economical aspects behind donations, in particular the corporate charitable giving. <![CDATA[<b>Avaliação imobiliária pelo método comparativo na óptica do avaliador</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442009000300008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente artigo centra-se no âmbito da avaliação imobiliária em Portugal na óptica do avaliador. Tem por objectivo fazer uma revisão bibliográfica sobre a utilização do método comparativo na avaliação imobiliária. Na primeira parte do artigo apresenta-se a forma de cálculo do valor correcto de comparação, a sua composição e os requisitos para a utilização deste método. Na segunda parte são apresentadas as fases do método comparativo e os parâmetros de homogeneização. Finalmente, o artigo alerta para as vantagens e inconvenientes da utilização do método comparativo e questiona a sua utilização à generalidade das avaliações imobiliárias.<hr/>The present article is centred on real estate evaluation in Portugal following the comparative method. Its main purpose is to present a bibliographical revision about the use of the comparative method in the real estate evaluation. The first part of the article addresses the form of calculation of the comparative value, its composition and the requirements for the use of this method. In the second part of the article the steps of the comparative method and the homogenisation parameters are put forward. Finally, the article presents the advantages and inconveniences of the use of the comparative method and questions its use to the generality of the real estate evaluations. <![CDATA[<b>Uma nova ordem económica?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442009000300009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente artigo centra-se no âmbito da avaliação imobiliária em Portugal na óptica do avaliador. Tem por objectivo fazer uma revisão bibliográfica sobre a utilização do método comparativo na avaliação imobiliária. Na primeira parte do artigo apresenta-se a forma de cálculo do valor correcto de comparação, a sua composição e os requisitos para a utilização deste método. Na segunda parte são apresentadas as fases do método comparativo e os parâmetros de homogeneização. Finalmente, o artigo alerta para as vantagens e inconvenientes da utilização do método comparativo e questiona a sua utilização à generalidade das avaliações imobiliárias.<hr/>The present article is centred on real estate evaluation in Portugal following the comparative method. Its main purpose is to present a bibliographical revision about the use of the comparative method in the real estate evaluation. The first part of the article addresses the form of calculation of the comparative value, its composition and the requirements for the use of this method. In the second part of the article the steps of the comparative method and the homogenisation parameters are put forward. Finally, the article presents the advantages and inconveniences of the use of the comparative method and questions its use to the generality of the real estate evaluations.