Scielo RSS <![CDATA[Economia Global e Gestão]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0873-744420070003&lang=pt vol. 12 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>A África em movimento</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442007000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Introdução teórica e metodológica ao projecto «Angola em Movimento: sociabilidades e trocas económicas informais»</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442007000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo introduz as principais linhas teóricas e metodológicas, assim como os objectivos do projecto «Angola em Movimento». O âmbito do debate teórico situa-se em torno das características assumidas pelo comércio informal na sociedade globalizada. A análise é feita tendo em conta os padrões de mobilidade das pessoas e das mercadorias que circulam em redes transfronteiriças e transnacionais em quatro regiões angolanas envolvidas como estudos de caso (Namibe, Cunene, Luanda-Benguela-Huambo e Lisboa como país da diáspora angolana).<hr/>In this introduction we will establish the principal theoretical concepts, methodology and objectives of the project “Angola in Movement” inside the theoretical ongoing debate regarding the informal trade in the globalised society. The analysis is done on the mobility patterns of people and goods in Angola across trans-border and trans-national trade routes in the Angolan regions involved like case-studies (Namibe, Cunene, route Luanda-Benguela-Huambo and Lisbon as host diaspora country). <![CDATA[<b>A diáspora angolana em Lisboa</b>: <b>Uma introdução</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442007000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This article aims to contextualise the data gathered on informal economy and networks in the Angolan diaspora in Lisbon within the context of the «Angola em Movimento» project. This data derived from a questionnaire. In the discussion of the data the author drew on twenty months of ethnographic fieldwork she has been doing on the diaspora since 2002, she looks at possible ways to interpret this new knowledge. The base consists of 200 valid questionnaires. The findings partly correspond to the author’s experience, as they demonstrate the importance of extended family and kin relations to informal economic transactions and practices.<hr/>Este artigo pretende contextualizar os dados reunidos sobre a economia informal e as redes da diáspora angolana em Lisboa, no quadro do projecto «Angola em Movimento». Os dados foram recolhidos através dum questionário. Na discussão da informação recolhida a autora baseia-se no trabalho etnográfico de campo sobre a diáspora, que vem realizando desde 2002, procurando novos instrumentos para interpretar este novo conhecimento. A base consiste em 200 questionários válidos. Os resultados correspondem em parte, à experiência da autora, pois demonstram a importância da família alargada e relações étnicas nas trasacções e práticas da economia informal. <![CDATA[<b>Comércio informal, transfronteiriço e transnacional</b>: <b>que articulações?</b> <b>Estudo de caso no mercado de S. Pedro (Huambo) e nos mercados dos Kwanzas e Roque Santeiro (Luanda)</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442007000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo apresenta os resultados da pesquisa realizada em três mercados angolanos, relativa à linha de investigação sobre o eixo Luanda-Huambo, que integra o projecto «Angola em Movimento». O essencial da pesquisa centrou-se na produção e análise de dados empíricos, obtidos a partir da administração do inquérito-piloto do Banco Mundial, adoptado e adaptado pela equipa do projecto. Dos resultados apurados, emerge a constatação da existência de uma estreita articulação entre o comércio informal local, o comércio interprovincial e o comércio informal transnacional, conexão que se revela menos expressiva no caso do comércio transfronteiriço. A informação recolhida sugere que os comerciantes informais cultivam uma desconfiança generalizada em relação aos outros agentes com que se relacionam, constituindo o grupo familiar - que é referido como principal sede de confiança e como uma das principais fontes de ajuda ao arranque do negócio - e os agrupamentos religiosos as excepções à regra.<hr/>This article is the result of the research conducted in three Angolan markets, with special attention to the Luanda-Huambo line of investigation within the scope of «Angola in Movement» Project. The research was focused on the production and analysis of empirical data that came as a result of the application of the World Bank survey, adapted by the project researchers. The results lead to the conclusion that there is a strong connection between local informal trade, inter-provincial trade, and trans-national informal trade. The connection between local informal trade and cross-border trade is less significant. The data demonstrate that tradesmen don’t trust each other. Their family and their religious group are the only ones that deserve to be trusted. Family members are the most reliable ones and provide the main support when it comes to start business. <![CDATA[<b>Cunene em movimento</b>: <b>dinâmicas empresariais transfronteiriças</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442007000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O crescimento de Ondjiva e da povoação de Santa Clara no Sul de Angola - fronteira com a Namíbia - dependeu, em grande parte, do aumento das trocas comerciais entre os dois países a partir do final da guerra angolana. Embora os comerciantes de ambos os lados tivessem encontrado, ao longo dos períodos de guerra, estratégias de manutenção destas trocas, foi só a partir de 2002 que se intensificaram os tráfegos nesta região, provocando, por um lado, a fixação de população oriunda do meio rural e de outras regiões angolanas e, por outro, o desenvolvimento da capital do Cunene e de Santa Clara. Neste texto analisam-se as dinâmicas recentes de crescimento e intensificação da circulação comercial em diversos contextos determinantes: de guerra, de paz e livre circulação; de controlo dos movimentos de pessoas e bens e das alternativas; e estratégias comerciais e populacionais perante este controlo. Esta análise baseia-se numa conjugação de diversas pesquisas no local, em especial daquela realizada no âmbito do projecto «Angola em Movimento».<hr/>The growth of Ondjiva and Santa Clara in the south of Angola - bordering Namibia - largely depended on the increase of trade between the two countries after the end of the Angolan civil war. Though traders from both sides found strategies to maintain this trade during the war, it was only from 2002 on that circulation has intensified, causing, in one hand, the settlement of rural population and other Angolans and, on the other, development of the capital of Cunene and of Santa Clara. In this paper, the author analyses recent dynamics of growth and of intensification of trading circulation during diverse determinant contexts: war, peace, and free circulation; border control of people and trade; and commercial and population strategies before this control. This analysis is based in a combination of several researches in the area, particularly the research conducted through the project «Angola in Movement». <![CDATA[<b>Práticas, formas e solidariedades da integração de jovens de origem angolana no mercado de trabalho em Portugal</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442007000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste artigo são apresentados alguns dos dados recolhidos através da aplicação de um inquérito a 200 jovens (18-30 anos) de origem angolana a viver em Portugal. O questionário integrado para medir o capital social foi adaptado a partir de um estudo do Banco Mundial (Grootaert et al., 2003) ao contexto migratório português no âmbito do projecto «Angola em Movimento». Nos dados recolhidos procuram-se pistas de reflexão e discussão sobre as formas assumidas pelas solidariedades e a pela confiança que fazem funcionar as redes sociais, familiares e étnicas que apoiam os imigrantes no acesso ao mercado de trabalho em Portugal.<hr/>This paper aims to present some data collected through a questionnaire applied to a population of 200 young people (between 18 and 30 years old) with Angolan origin living in the area of Great Lisbon. The integrated questionnaire for the measurement of the Social Capital within the nets of Angolan young was adapted from a questionnaire of the World Bank (Grootaert et al., 2003) to the Portuguese migratory context in the scope of «Angola in Movement» project. The main objective of the presentation is to discuss organized information about the performance of solidarities and trust in the familiar, social and ethnical networks, in relation with the access of young migrant people to the labour market in Portugal. <![CDATA[<b>The African revolution</b>: <b>urban commerce and the informal economy</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442007000300007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste artigo são apresentados alguns dos dados recolhidos através da aplicação de um inquérito a 200 jovens (18-30 anos) de origem angolana a viver em Portugal. O questionário integrado para medir o capital social foi adaptado a partir de um estudo do Banco Mundial (Grootaert et al., 2003) ao contexto migratório português no âmbito do projecto «Angola em Movimento». Nos dados recolhidos procuram-se pistas de reflexão e discussão sobre as formas assumidas pelas solidariedades e a pela confiança que fazem funcionar as redes sociais, familiares e étnicas que apoiam os imigrantes no acesso ao mercado de trabalho em Portugal.<hr/>This paper aims to present some data collected through a questionnaire applied to a population of 200 young people (between 18 and 30 years old) with Angolan origin living in the area of Great Lisbon. The integrated questionnaire for the measurement of the Social Capital within the nets of Angolan young was adapted from a questionnaire of the World Bank (Grootaert et al., 2003) to the Portuguese migratory context in the scope of «Angola in Movement» project. The main objective of the presentation is to discuss organized information about the performance of solidarities and trust in the familiar, social and ethnical networks, in relation with the access of young migrant people to the labour market in Portugal. <![CDATA[<b>A lusofonia do século XXI</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-74442007000300008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste artigo são apresentados alguns dos dados recolhidos através da aplicação de um inquérito a 200 jovens (18-30 anos) de origem angolana a viver em Portugal. O questionário integrado para medir o capital social foi adaptado a partir de um estudo do Banco Mundial (Grootaert et al., 2003) ao contexto migratório português no âmbito do projecto «Angola em Movimento». Nos dados recolhidos procuram-se pistas de reflexão e discussão sobre as formas assumidas pelas solidariedades e a pela confiança que fazem funcionar as redes sociais, familiares e étnicas que apoiam os imigrantes no acesso ao mercado de trabalho em Portugal.<hr/>This paper aims to present some data collected through a questionnaire applied to a population of 200 young people (between 18 and 30 years old) with Angolan origin living in the area of Great Lisbon. The integrated questionnaire for the measurement of the Social Capital within the nets of Angolan young was adapted from a questionnaire of the World Bank (Grootaert et al., 2003) to the Portuguese migratory context in the scope of «Angola in Movement» project. The main objective of the presentation is to discuss organized information about the performance of solidarities and trust in the familiar, social and ethnical networks, in relation with the access of young migrant people to the labour market in Portugal.