Scielo RSS <![CDATA[Jornal Português de Gastrenterologia ]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0872-817820140003&lang=pt vol. 21 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Tempo de reflexão</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>GE</b>: <b>O nosso jornal</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Acuidade da elastografia hepática transitória (Fibroscan©) para avaliação da fibrose hepática</b>: <b>Fatores</b><b> de erro</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>A endoscopia digestiva alta em Portugal e o diagnóstico de lesões pré-malignas</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Um dia de endoscopia digestiva alta num país do sul da Europa</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction: Upper gastrointestinal (UGI) endoscopic outcomes are seldom described. Objectives: To assess UGI endoscopy performance in all Portugal’s National Health Service hospitals and assess the prevalence of premalignant gastric lesions. Methods: One randomly assigned day, cross-sectional study of UGI endoscopies. Results: 28% of the 43 hospitals invited actually participated in the study, reporting a total of 123 UGI endoscopies. Exams were conducted on an outpatient basis in 84% of cases and 78% required no sedation. The commonest indications were presence or suspicion of GI bleeding (20%), abdominal pain or dyspepsia (18%) or reflux (12%). Histological diagnosis of atrophy was found in 19% of cases (95% CI 8-30%), extensive atrophy or intestinal metaplasia in corpus in 15% (5-25%) and positivity for Helicobacter pylori in 38% (23-53%). When comparing first-time vs. repeat UGI endoscopies, no differences were found in atrophy (22% vs. 14%, p = 0.49) and H. pylori (44% vs. 30%, p = 0.36) nor did age < vs.≥50 years was relevant (11% vs. 21%, p = 0.51 and 63% vs. 31%, p = 0.10, respectively). Conclusions: Most UGI endoscopies carried out in Portugal are safely performed on an outpatient basis without anaesthesia and 15% of patients have extensive atrophy or intestinal metaplasia in the corpus that should be scheduled for endoscopic surveillance according to recent guidelines. Although the participation rate was low, this study is an insight for further decision analysis studies to evaluate UGI endoscopy as a surveillance option for these asymptomatic at-risk patients.<hr/>Introdução: Estudos transversais reportando resultados de Endoscopia Digestiva Alta (EDA) são raramente descritos. Objetivos: Avaliar o desempenho em termos de EDA em hospitais portugueses do Serviço Nacional de Saúde e a prevalência de lesões gástricas pré-malignas. Métodos: Estudo transversal multicêntrico, num único dia, definido aleatoriamente. Resultados: Participaram no estudo 28% dos 43 hospitais convidados, compreendendo um total de 123 EDA. Os exames foram realizados em ambulatório em 84% dos casos e 78% não necessitaram de sedação. As indicações mais frequentes foram presença ou suspeita de hemorragia (20%), dor abdominal ou dispepsia (18%) ou refluxo (12%). Histologicamente foi diagnosticada atrofia gástrica em 19% dos casos (95% IC 8-30%), atrofia extensa ou metaplasia intestinal no corpo em 15% (5-25%) e positividade para o Helicobacter pylori (H. Pylory) em 38% (23-53%). Comparando o tipo de EDA realizada, primeira vs. repetição não foram encontradas diferenças no diagnóstico de atrofia (22 vs. 14%, p = 0,49) e presença de H. pylori (44 vs. 30%, p = 0,36) assim como a idade < vs. ≥50 anos não foi relevante (11 vs. 21%, p = 0,51 e 63 vs. 31%, p = 0,10, respetivamente). Conclusões: A maioria das EDA em Portugal é realizada com segurança em ambulatório e sem anestesia. Dos pacientes, 15% apresentam atrofia extensa ou metaplasia intestinal no corpo que deve ser orientada para vigilância endoscópica segundo recomendações recentes. Embora com uma taxa de participação baixa, este estudo é um ponto de partida para estudos de análise de decisão que avaliem a EDA como uma opção de vigilância para estes doentes de alto risco assintomáticos <![CDATA[<b>Será uma refeição ligeira fator de erro na avaliação da dureza hepática por elastografia hepática transitória?</b>: <b>Um estudo prospetivo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introdução: A elastografia hepática transitória (EHT) é um método não invasivo de avaliação de fibrose utilizado na doença hepática, principalmente na infeção crónica pelo vírus da hepatite C (VHC). Está demonstrada a sua acuidade na identificação de doentes com fibrose avançada ou cirrose. No entanto, existem fatores capazes de interferir na medição da dureza hepática (DH) para além da fibrose. A ingestão alimentar poderá constituir um desses fatores de erro, embora esteja pouco estudada e até agora não esteja definida a condição em que deve ser realizado o exame. Objetivos: Avaliar a influência da ingestão alimentar na DH medida por EHT e a sua potencial interferência na orientação clínica de doentes com infeção crónica pelo vírus da hepatite B (VHB) e VHC. Doentes e métodos: Estudo prospetivo observacional em que se procedeu à realização de EHT em 2 tempos - em jejum e após (30-60 minutos) uma refeição padronizada - numa amostra de 42 doentes com infeção crónica pelo VHB, 26 pelo VHC e 42 controlos. A análise foi complementada pela divisão em subgrupos, de acordo com o estádio presumido de fibrose. Resultados: Apesar da DH variar em todos os grupos com a ingestão alimentar, só se verificou um aumento estatisticamente significativo nos indivíduos sem fibrose presumida (baixa DH) infetados pelo VHB (p = 0,001). Constatou-se que as variações observadas poderiam interferir na orientação clínica de 11,8% dos doentes. Conclusão: No nosso estudo a ingestão alimentar fez variar o valor de DH no subgrupo de doentes com hepatite crónica pelo VHB com baixa fibrose presumida. Neste sentido, não parece interferir de forma significativa com a decisão e orientação clínica dos doentes, o que não nos permite fazer sugestões sobre a utilidade de efetuar o exame em jejum.<hr/>Introduction: Transient Elastography (TE) is a noninvasive method widely used to evaluate hepatic fibrosis in patients with liver disease, especially in chronic hepatitis C. It has excelente accuracy in identifying patients with advanced fibrosis or cirrhosis. However, some factos can interfere with liver stiffness (LS) measurement. The food intake may be one of those confounding factors and there are no defined conditions under which the examination should be performed. Objectives: To evaluate the influence of food intake in LS and its potential interference with the clinical management of patients with chronic hepatitis B and chronic hepatitis C. Patients & Methods: Observational prospective study in which TE was performed in two physiological conditions - fasting and after (30-60 minutes) a standard meal - in a sample of 42 patients with chronic hepatitis B, 26 chronic hepatitis C and 42 controls. The analysis was complemented by the division into subgroups according to the presumed stage of fibrosis. Results: Despite the LS variation in all groups with food intake, a significant increase was only seen in individuals with chronic hepatitis B without suspected fibrosis (low LS) (p = 0,001). This variation could influence the clinical orientation in 11.8% of cases. Conclusion: In our study, a meal altered LS value in chronic hepatitis B without suspected fibrosis (low LS). As it does not seem to interfere significantly with the clinical management of our patients, we can not, at this point, make any suggestion about the usefulness of performing this exam in the fasting condition. <![CDATA[<b>Perceção do estado de saúde e da qualidade de vida numa amostra de celíacos portugueses</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introdução: O tratamento da doença celíaca consiste na prática de uma dieta isenta de glúten (DIG). A adesão à DIG é dependente de múltiplos fatores, nos quais se inclui, possivelmente, a qualidade de vida (QdV). Objetivos: Avaliar a perceção do estado de saúde e a QdV de uma amostra de celíacos portugueses, relacionando-a com o cumprimento da DIG. Material e métodos: Tratou-se de um estudo transversal, cuja recolha de informação se baseou num questionário estruturado, autoaplicado e de preenchimento online. A QdV foi avaliada através da escala Short-Form 36 (SF-36). As variáveis categóricas foram descritas através de proporções e as variáveis contínuas foram descritas através da média e desvio-padrão ou da mediana e intervalo interquartil. Resultados: O estudo incluiu 195 indivíduos portugueses, com mediana das idades de 32 anos. Cerca de 67% dos inquiridos consideravam gozar de muito boa ou de boa saúde. Registaram-se pontuações médias mais elevadas para os domínios «capacidade funcional» e «aspetos físicos» do SF-36 e mais fracas para os domínios da «vitalidade» e «estado geral de saúde». As mulheres apresentaram pontuações significativamente mais baixas para os domínios «dor», «vitalidade» e «saúde mental». Não se encontrou associação entre a perceção da QdV e o cumprimento da DIG. Os participantes com diagnóstico mais recente apresentaram pontuações mais baixas em todos os domínios do SF-36. Conclusão: Os celíacos inquiridos classificaram o seu estado de saúde geral e a sua QdV em melhores níveis do que a população portuguesa no geral. A QdV não se associou ao cumprimento da DIG.<hr/>Introduction: The treatment of celiac disease is a gluten-free diet (GFD). The compliance with a GFD is dependent on multiple factors, which include, possibly, the quality of life (QoL). Objective: To evaluate the perception of health status and QoL in a sample of Portuguese celiac patients, relating it to the compliance of the GFD. Material and methods: Transversal study which data collection was based on a structured questionnaire prepared to be self-applied and filled in online. The QoL was evaluated through Short-Form health survey 36 (SF-36). Categorical variables were described through proportions and continuous variables were described through mean and standard deviation or median and interquartile range. Results: The study included 195 Portuguese individuals, with a median age of 32 years. About 67% of respondents believed to enjoy very good or good health. The highest mean scores were obtained for the domains ‘‘physical functioning’’ and ‘‘role-physical’’ and the lowest scores for the domains ‘‘vitality’’ and ‘‘general health’’. Women had significantly lower scores for the domains ‘‘bodily pain’’, vitality’’ and ‘‘mental health’’. There was no association found between the perception of QoL and compliance with the GFD. Participants with more recente diagnosis had lower scores in all domains of the SF-36. Conclusions: The celiac respondents rated their general health status and QoL in better levels than the Portuguese population in general. The QoL was not associated with compliance of the GFD. <![CDATA[<b>Púrpura trombocitopénica imune e doença celíaca</b>: <b>acaso?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A doença celíaca é uma enteropatia autoimune crónica, relativamente frequente, despoletada por um agente ambiental (gliadina, componente do glúten), num indivíduo geneticamente predisposto. Estudos sugerem associação da doença celíaca com outras patologias autoimunes, mais frequentemente diabetes mellitus tipo 1, tiroidite autoimune, hepatite autoimune e síndrome de Sjögren. Estão descritos 12 casos de associação de doença celíaca e púrpura trombocitopénica imune. Relata-se o caso de uma doente de 24 anos com doença celíaca desde a infância a quem foi diagnosticada púrpura trombocitopénica imune, coincidente com a reintrodução de glúten na dieta, sugerindo a existência de um mecanismo imune comum.<hr/>Celiac disease is a relatively common, chronic autoimmune disease, triggered by the environment (gliadin, a gluten compound) in a genetically predisposed patient. Some case reports and small series describe the association between celiac disease and others autoimmune disorders, mainly type 1 diabetes mellitus, autoimmune thyroiditis, autoimmune hepatitis and Sjögren syndrome. In the literature, there are 12 reports of an association between celiac disease e immune thrombocytopenic purpura. We report a case of a 24-years-old woman with celiac disease since childhood, which developed immune thrombocytopenic purpura with the reintroduction of a gluten diet. We propose that the coexistence of these two disorders suggests a common immune mechanism. <![CDATA[<b>Um diagnóstico difícil de dor abdominal</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A doença celíaca é uma enteropatia autoimune crónica, relativamente frequente, despoletada por um agente ambiental (gliadina, componente do glúten), num indivíduo geneticamente predisposto. Estudos sugerem associação da doença celíaca com outras patologias autoimunes, mais frequentemente diabetes mellitus tipo 1, tiroidite autoimune, hepatite autoimune e síndrome de Sjögren. Estão descritos 12 casos de associação de doença celíaca e púrpura trombocitopénica imune. Relata-se o caso de uma doente de 24 anos com doença celíaca desde a infância a quem foi diagnosticada púrpura trombocitopénica imune, coincidente com a reintrodução de glúten na dieta, sugerindo a existência de um mecanismo imune comum.<hr/>Celiac disease is a relatively common, chronic autoimmune disease, triggered by the environment (gliadin, a gluten compound) in a genetically predisposed patient. Some case reports and small series describe the association between celiac disease and others autoimmune disorders, mainly type 1 diabetes mellitus, autoimmune thyroiditis, autoimmune hepatitis and Sjögren syndrome. In the literature, there are 12 reports of an association between celiac disease e immune thrombocytopenic purpura. We report a case of a 24-years-old woman with celiac disease since childhood, which developed immune thrombocytopenic purpura with the reintroduction of a gluten diet. We propose that the coexistence of these two disorders suggests a common immune mechanism. <![CDATA[<b>Esofagite dissecante superficial</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A doença celíaca é uma enteropatia autoimune crónica, relativamente frequente, despoletada por um agente ambiental (gliadina, componente do glúten), num indivíduo geneticamente predisposto. Estudos sugerem associação da doença celíaca com outras patologias autoimunes, mais frequentemente diabetes mellitus tipo 1, tiroidite autoimune, hepatite autoimune e síndrome de Sjögren. Estão descritos 12 casos de associação de doença celíaca e púrpura trombocitopénica imune. Relata-se o caso de uma doente de 24 anos com doença celíaca desde a infância a quem foi diagnosticada púrpura trombocitopénica imune, coincidente com a reintrodução de glúten na dieta, sugerindo a existência de um mecanismo imune comum.<hr/>Celiac disease is a relatively common, chronic autoimmune disease, triggered by the environment (gliadin, a gluten compound) in a genetically predisposed patient. Some case reports and small series describe the association between celiac disease and others autoimmune disorders, mainly type 1 diabetes mellitus, autoimmune thyroiditis, autoimmune hepatitis and Sjögren syndrome. In the literature, there are 12 reports of an association between celiac disease e immune thrombocytopenic purpura. We report a case of a 24-years-old woman with celiac disease since childhood, which developed immune thrombocytopenic purpura with the reintroduction of a gluten diet. We propose that the coexistence of these two disorders suggests a common immune mechanism. <![CDATA[<b>Linfoma ‘‘metamórfico’’</b>: <b>diagnóstico por punção de agulha fina guiada por ecoendoscopia combinada com citometria de fluxo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782014000300011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A doença celíaca é uma enteropatia autoimune crónica, relativamente frequente, despoletada por um agente ambiental (gliadina, componente do glúten), num indivíduo geneticamente predisposto. Estudos sugerem associação da doença celíaca com outras patologias autoimunes, mais frequentemente diabetes mellitus tipo 1, tiroidite autoimune, hepatite autoimune e síndrome de Sjögren. Estão descritos 12 casos de associação de doença celíaca e púrpura trombocitopénica imune. Relata-se o caso de uma doente de 24 anos com doença celíaca desde a infância a quem foi diagnosticada púrpura trombocitopénica imune, coincidente com a reintrodução de glúten na dieta, sugerindo a existência de um mecanismo imune comum.<hr/>Celiac disease is a relatively common, chronic autoimmune disease, triggered by the environment (gliadin, a gluten compound) in a genetically predisposed patient. Some case reports and small series describe the association between celiac disease and others autoimmune disorders, mainly type 1 diabetes mellitus, autoimmune thyroiditis, autoimmune hepatitis and Sjögren syndrome. In the literature, there are 12 reports of an association between celiac disease e immune thrombocytopenic purpura. We report a case of a 24-years-old woman with celiac disease since childhood, which developed immune thrombocytopenic purpura with the reintroduction of a gluten diet. We propose that the coexistence of these two disorders suggests a common immune mechanism.