Scielo RSS <![CDATA[Nascer e Crescer]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0872-075420190001&lang=pt vol. 28 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>A importância da revisão por pares</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-07542019000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Lesão renal aguda numa unidade de cuidados intensivos pediátricos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-07542019000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background and aims: Acute kidney injury (AKI) is a common condition in Pediatric Intensive Care setup and has been associated with increased mortality and morbidity. The aim of this study was to determine incidence, risk factors, and outcome of AKI in a Pediatric Intensive Care Unit (PICU). Materials and methods: An exploratory study was conducted using prospective data collected from July to December 2017. Clinical and biochemical data from all patients admitted to PICU was recorded. Kidney Disease: Improving Global Outcomes (KDIGO) criteria were used for diagnosis. Patients with hospital stay shorter than 48 hours and with previously documented kidney disease were excluded. Results: During the study period, 32 of 112 children developed AKI (28.6%). Median time of diagnosis was on the second day of admission. Overall, 59.4% of children fulfilled creatinine criteria, 68.8% urinary output criteria, and 28.1%, both. KDIGO stages 1, 2 and 3 accounted for 50.0%, 28.1%, and 21.9% of cases, respectively. Total renal function recovery occurred in 56.3% of cases, partial recovery in 28.1%, and 15.6% of cases did not recover. Invasive ventilation (p=0.028), need for vasoactive drugs (p=0.043), and shock (p=0.043) were independent risk factors for AKI. Mortality was higher in AKI (15.6%) than in non-AKI (1.3%) patients (p=0.007). Discussion: AKI is common in PICU setting, especially in the first days of admission. Both serum creatinine and urinary output criteria should be considered for diagnosis. Use of mechanical ventilation and/or vasoactive drugs and shock are common risk factors and should elicit careful monitoring and prompt treatment.<hr/>Introdução: A lesão renal aguda (LRA) é um problema frequente em cuidados intensivos pediátricos, estando associada a morbilidade e mortalidade aumentadas. O objetivo deste estudo foi caracterizar a incidência, fatores de risco e prognóstico da LRA numa Unidade de Cuidados Intensivos Pediátricos (UCIP). Materiais e Métodos: Foi efetuado um estudo exploratório com colheita prospetiva de dados entre julho e dezembro de 2017. Foram analisados os dados clínicos e bioquímicos de todos os doentes admitidos na UCIP e aplicada a classificação Kidney Disease: Improving Global Outcomes (KDIGO). Doentes com duração de internamento inferior a 48 horas e com doença renal previamente conhecida foram excluídos do estudo. Resultados: Durante o período de estudo, 32 de 112 crianças apresentaram LRA. A mediana de tempo de diagnóstico foi o segundo dia de admissão. No total, 59.4% dos casos cumpriram o critério de creatinina, 68.8% o critério de débito urinário e 28.1%, ambos os critérios. Os graus de KDIGO 1, 2 e 3 representaram 50.0%, 28.1% e 21.9% dos casos, respetivamente. Foi observada recuperação total em 56.3% dos casos, recuperação parcial em 21.9% e 15.6% dos casos não apresentaram recuperação da função renal. Ventilação invasiva (p=0.028), uso de inotrópicos (p=0.043) e choque (p=0.043) foram fatores de risco independentes para LRA. A mortalidade nos doentes com LRA (15.6%) foi superior à dos doentes sem LRA (1.3%; p=0.007). Conclusão: A LRA é uma complicação comum em cuidados intensivos pediátricos, especialmente nos primeiros dias de admissão. Ambos os critérios de creatinina e débito urinário devem ser utilizados para o diagnóstico. O uso de ventilação mecânica e/ou fármacos inotrópicos e choque são fatores de risco frequentes e devem conduzir a uma monitorização cuidadosa para um diagnóstico e tratamento atempados. <![CDATA[<b>Hemangioma infantil ulcerado</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-07542019000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Infantile hemangiomas are the most frequent vascular tumors in pediatric age. Diagnostic can be challenging due to variable clinical presentation and natural history. Most cases have a favorable evolution. Treatment may be required according to tumor location, extension, and complications. Propranolol is an effective and safe treatment. The case of an infant with perianal ulcerated hemangiomas treated with propranolol with clinical improvement is reported.<hr/>Os hemangiomas infantis são os tumores vasculares mais comuns em pediatria, mas o seu diagnóstico pode ser dificultado pela apresentação clínica e história natural variáveis. A maioria dos casos apresenta evolução favorável, porém a sua localização, extensão e complicações podem determinar necessidade terapêutica. O propranolol é uma terapêutica eficaz e segura. É apresentado o caso de uma lactente com hemangioma perianal ulcerado tratado com propranolol com boa evolução clínica. <![CDATA[<b>Síndrome de junção ureteropélvica</b>: <b>três casos clínicos com início dos sintomas na adolescência</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-07542019000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Ureteropelvic junction obstruction (UPJO) is defined as urine flow blockage occurring where the ureter enters the kidney and is presented as urinary tract dilatation (UTD), formerly named hydronephrosis. The condition may be congenital or acquired. Most UTD are diagnosed by antenatal ultrasonography, but some cases present later. In adolescence, clinical manifestations include intermittent flank or abdominal pain, hematuria, nephrolithiasis, urinary tract infection, deterioration of renal function, or arterial hypertension. The imaging modality of choice to diagnose UTD is ultrasonography (US). A diuretic renography will allow to identify UPJO. Treatment goals are to prevent renal function deterioration and relieve symptoms. Although conservative treatment measures are favored, some patients require surgical correction (pyeloplasty). Three clinical cases with first symptom onset during adolescence are presented. The first case is a 14-year-old boy with abdominal pain suspected to correspond to acute appendicitis; the second case is a healthy 15-year-old female which presented with dysuria and lumbar pain; the third case is a 15-year-old female with prenatal diagnosis of left ureteropelvic dilation but no further medical problems, with left lumbar pain, dysuria, and fever. Conclusion: A high degree of suspicion is required to include UPJO in the differential diagnosis of flank or back pain in adolescents.<hr/>A Síndrome de Junção Ureteropélvica (SJUP) é definida como obstrução ao fluxo de urina na transição entre a pelve renal e o ureter e manifesta-se por dilatação do trato urinário (DTU), anteriormente designada hidronefrose. Esta condição pode ser congénita ou adquirida. A maioria dos casos de DTU são diagnosticados na ecografia pré-natal, mas alguns casos são detetados mais tarde. Na adolescência, as manifestações clínicas incluem dor abdominal ou lombar intermitente, hematúria, nefrolitíase, infeção do trato urinário, deterioração da função renal ou hipertensão arterial. O exame de imagem de escolha para diagnosticar DTU é a ecografia. O renograma permite identificar os casos de SJUP. Os objetivos do tratamento são prevenir a deterioração da função renal e controlar os sintomas. O tratamento conservador é prioritário, mas pode ser necessária correção cirúrgica (pieloplastia). São apresentados três casos clínicos com apresentação dos primeiros sintomas de doença na adolescência. O primeiro caso refere-se a um adolescente de 14 anos com dor abdominal inicialmente interpretada como apendicite aguda; o segundo, a uma adolescente saudável de 15 anos com queixas de disúria e dor lombar; e o terceiro, a uma adolescente de 15 anos saudável, com diagnóstico pré-natal de dilatação uretero-pélvica esquerda, sem outros antecedentes de relevo, com dor lombar à esquerda, disúria e febre. Conclusão: É necessário um alto grau de suspeição para incluir a SJUP no diagnóstico diferencial da dor lombar e/ou abdominal em adolescentes. <![CDATA[<b>Sépsis neonatal tardia a streptococcus do Grupo A</b>: <b>um agente improvável</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-07542019000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neonatal sepsis due to group A Streptococcus is rare and has a high associated mortality. The case of a 14-day-old female neonate who presented to the Emergency Department with feed refusal and hyporeactivity is reported. The girl was born at 36 weeks of gestation and had an unremarkable pregnancy and birth. Peripheral white blood cell count was 18.100/mm3 with 81% neutrophils, and C-reactive protein was 13.6 mg/dL. Urinalysis, cerebrospinal fluid cytochemical examination, and chest X-ray were normal. A multisensitive group A Streptococcus was isolated in the blood culture and ten-day course of ampicillin was completed. Urine and cerebrospinal fluid cultures were negative. All co-inhabitants were tested for the presence of group A Streptococcus antigen in the oropharynx, which was positive in a two-year-old cousin. Group A Streptococcus is an uncommon neonatal sepsis agent. Transmission in the community through a carrier should be considered. This case highlights the importance of infection preventive measures for the newborn at home.<hr/>Sépsis neonatal tardia por Streptococcus do grupo A é uma entidade rara, com mortalidade elevada. É descrito o caso de um recém-nascido do sexo feminino, com 14 dias de vida, que recorreu ao Serviço de Urgência por recusa alimentar e hiporreatividade. Este tinha nascido às 36 semanas de gestação, tendo a gravidez, parto e período neonatal decorrido sem intercorrências. Entre os exames realizados destacam- se a contagem leucocitária de 18.100/mm3 com 81% de neutrófilos, proteína C-reativa de 13.6 mg/dL, e exame sumário de urina, exame citoquímico do líquor e radiografia torácica sem alterações. Por isolamento de Streptococcus do grupo A na hemocultura, o recém-nascido cumpriu dez dias de ampicilina. A cultura do líquor e urocultura foram negativas. Foi pesquisada a presença de antigénio de Streptococcus do grupo A na orofaringe em todos os conviventes, sendo positiva numa prima com dois anos. O Streptococcus do grupo A raramente é descrito como agente de sépsis neonatal e a sua transmissão na comunidade através de um portador deve ser considerada. Com este caso, pretende reforçar-se a importância das medidas de prevenção da infeção nos cuidados de puericultura no domicílio. <![CDATA[<b>Fidget spinners</b>: <b>a moda do momento perigos à antiga...</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-07542019000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction: Fidget spinners are small rotating toys with a central disc and three tips. They are currently one of the most popular children’s toys. Case report: The case of a seven-year-old child admitted to the Emergency Department of the local hospital due to epigastric pain following ingestion of a fidget spinner component is described. Due to presence of a foreign body in the digestive tract, an upper digestive endoscopy (EDA) was performed, and the foreign body identified in the distal esophagus was removed without complications. Discussion/Conclusion: Although these are adequately sized toys, fidget spinners can easily be dismantled by children, allowing easy access to its components. Some units have LED lights with lithium batteries and esophageal ulcers have been described only a few hours after their ingestion. With this report, the authors aim to advise Pediatricians to actively alert parents to the potential risks of a seemingly innocent toy, based on a real case.<hr/>Introdução: Os fidget spinners constituem um pequeno brinquedo giratório com um disco central e três pontas. Neste momento, são um dos brinquedos mais populares entre as crianças. Caso clínico: É descrito o caso de uma criança de sete anos que recorreu ao Serviço de Urgência do hospital da área de residência por dor epigástrica e ingestão de uma peça constituinte de fidget spinner. Devido à presença de corpo estranho no tubo digestivo, foi realizada endoscopia digestiva alta (EDA), sendo removido o corpo estranho identificado no esófago distal, sem intercorrências. Discussão: Apesar de serem brinquedos de dimensões adequadas, os fidget spinners são facilmente desmontados pelas crianças, permitindo um fácil acesso aos seus constituintes. Alguns exemplares possuem luzes LED com baterias de lítio, estando descritas úlceras esofágicas poucas horas após a ingestão das mesmas. O presente caso clínico visa alertar os Pediatras para a necessidade de informar os pais para os riscos potenciais de um brinquedo aparentemente inócuo, a partir da descrição de um caso real. <![CDATA[<b>Caso clínico dermatológico</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-07542019000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Allergic contact dermatitis (ACD) is a delayed hypersensitivity reaction. ACD’s incidence increases with age and rarely presents in the first year of life. Diagnosis of ACD is suspected based on a detailed history and physical examination and confirmed with patch testing. Avoidance of allergen(s) involved is essential for symptom control. The authors present a case of ACD associated with multiple allergens manifesting in the first year of life which resolved with avoidance measures.<hr/>A dermatite de contacto alérgica (DCA) é uma reação de hipersensibilidade tardia. A incidência de DCA aumenta com a idade e raramente se manifesta no primeiro ano de vida. Uma anamnese detalhada, associada ao exame físico, permite estabelecer uma hipótese diagnóstica, que é confirmada pelas provas de sensibilidade cutânea (testes de contacto patch). A evicção do(s) alergénio(s) envolvido(s) é crucial para o controlo sintomático. Os autores apresentam um caso de DCA associada a múltiplos alergénios, manifestada no primeiro ano de vida, e que resolveu com medidas de evicção. <![CDATA[<b>Caso imagiológico</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-07542019000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A ten-year-old soccer practitioner female presented with right anterior knee pain lasting one month and exacerbated by running, with no constitutional symptoms or recent trauma. Physical examination revealed pain on the inferior pole of the patella and infrapatellar swelling. Lateral radiography of the right knee revealed fragmentation of the lower pole of the patella. These findings are suggestive of Sinding- Larsen-Johansson syndrome, an osteochondrosis that affects the extensor mechanism of the knee and is a self-limited condition. The patient was treated with analgesics, rest, and abstention from sports activity during four weeks, with progressive improvement.<hr/>Uma adolescente de dez anos, jogadora de futebol, foi observada no Serviço de Urgência por gonalgia direita com evolução de um mês e agravamento com a corrida, sem história de trauma ou outra sintomatologia associada. Ao exame físico, apresentava dor à palpação do pólo inferior da rótula e edema discreto infra-rotuliano. A radiografia do joelho revelou fragmentação do pólo inferior da rótula. Estes achados são compatíveis com o Síndrome de Sinding- Larsen-Johansson, uma osteocondrose que afeta o mecanismo extensor do joelho, geralmente auto-limitada. A doente foi tratada com analgesia, repouso e evicção de exercício físico durante quatro semanas, com melhoria progressiva.